Confira aqui os critérios de avaliação da redação do Enem.

A pontuação da redação do Exame Nacional do Ensino Médio é muito importante para quem quer ingressar numa universidade federal ou ter uma pontuação final alta o suficiente para ingressar numa particular de grande porte, por isso veremos a fundo quais são os critérios de avaliação das redações usados pelos corretores. São eles:

Domínio da Norma Padrão da Língua Portuguesa:

A prova exige que seja feita uma redação dentro da gramática normativa. Só escreve bem quem lê bem e os corretores sabem muito bem disso. A dica? Leia! Dê uma chance ao universo literário, com certeza encontrará algo prazeroso e de quebra ainda enriquecerá sua bagagem cultural e seu vocabulário. Se for prestar outros vestibulares que exigem leituras de obras literárias, não deixe de lê-las.

Compreensão da proposta de redação:

Esse critério quer dizer que não serão aceitas redações que fujam do tema proposto. Leia o texto da proposta até saber quais informações elas pedem.

Seleção e organização das informações:

Utilize elementos coesivos para entrelaçar seu texto de modo que os parágrafos não se disponham isoladamente. Calcule bem o tempo que terá para elaborar a redação e, numa folha de rascunho, faça uma lista dos assuntos que você pode tratar na sua redação. A partir dos temas que você selecionou, ordene-os na sua lista, fazendo com que um assunto desencadeie o outro.

Demonstração de conhecimento da língua necessária para argumentação do texto:

Novamente, a gramática normativa e o vocabulário são extremamente valorizados numa redação, o que não significa que seja necessário usar palavras difíceis para expressar uma ideia. Mostre apenas que você tem uma carga cultural muito grande e sabe utilizá-la a seu favor.

Elaboração de uma proposta de solução para os problemas abordados, respeitando os valores e considerando as diversidades socioculturais:

A proposta está pronta, mas ela pede que você dê um outro rumo para os fatos ali tratados. Não significa que você deve fugir do tema, de forma alguma; significa que ninguém quer ler algo que já foi dito, querem uma visão diferente para solucionar a problemática, pois todas as outras já foram propostas sem solução. Isso é: fuja do clichê! Essas soluções só serão válidas, entretanto, se respeitarem as diversidade socioculturais, sem ofender ninguém.

Boa prova!

Jean Carlos Weber Andrades


Saiba aqui quais são os critérios de avaliação do ENEM.

O Exame Nacional do Ensino Médio permite que alunos ingressem no ensino superior público (universidades federais) e privado (a pontuação na prova dará desconto na mensalidade, proporcionalmente). A redação é fundamental para a pontuação final e muitos podem se sair bem na prova, mas ir mal na redação e acabar tendo uma nota não satisfatória. Mas existe algum método para ir bem na escrita?

Antes de tudo, se a escrita nunca foi o seu forte, tenha em mente que precisará estudar a fundo os fundamentos e as práticas dela. O site do ENEM disponibiliza as melhores redações, leia-as com atenção e tente perceber o que há em comum entre elas: a coesão, a estrutura, o gênero textual, a impessoalidade, o cumprimento do tema proposto etc.

Coesão

Um texto bem escrito é um texto coeso. Coesão é a “costura” das palavras, dos parágrafos. Perceba nas redações como os parágrafos se entrelaçam no decorrer do texto. Desenvolver temas diferentes em cada parágrafo é importante, sim, desde que haja um conectivo entre um assunto e outro.

Estrutura

Uma dica útil é fazer um esboço antes de passar para a folha definitiva da redação e perceber no seu texto como você irá estruturá-lo. O padrão do ENEM e de muitos vestibulares de peso é a introdução, onde deverá ser abordado o tema proposto e tudo o que o seu texto tratará até o final, parágrafos de desenvolvimento do tema, que deverá desenrolar o que foi citado na introdução. O desenvolvimento é o mais importante, pois é nele que você poderá mostrar seu potencial. E por último, a conclusão. A conclusão deve fechar o assunto, mas nunca finalize com as mãos atadas. Se critica algo em seu texto, apresente uma solução para o problema. Se o tema é uma pergunta, desenvolva sua dissertação e responda ao que foi perguntado!

Gênero textual

Em outros vestibulares, como a FUVEST, pode ocorrer a proposta fora do padrão dissertativo argumentativo, mas no ENEM ela é imprescindível. O gênero dissertativo argumentativo exige que seja feita uma análise crítica sobre os fatos. Argumente!

Impessoalidade

A dissertação deve ser feita, impreterivelmente, na terceira pessoa do plural. Isso dá maior credibilidade ao seu texto. Dizer “Pode-se observar o crescimento do gráfico…” é mais impessoal do que “A partir da minha observação constato o crescimento do gráfico…”.

Cumprimento do tema proposto

Muitas, inúmeras redações são zeradas porque fogem do tema proposto. Seu texto pode estar correto, corresponder à realidade, mas se não foi isso que o enunciado pediu, ele já será descartado.

Por último, lembre-se de praticar sua escrita. Guarde suas redações conforme as fizer e compare as atuais com as antigas, perceba sua evolução, critique-se, reconheça sua evolução ao longo do tempo. Pratique!

Jean Carlos Weber Andrades


Veja aqui algumas dicas de como fazer uma boa redação.

Confira aqui 25 dicas para conseguir fazer uma boa redação no ENEM ou Vestibular:

1. A redação precisa de combustível (fonte de dados), comburente (organização dos dados) e ignição (estímulo – porque escrever?).

2. Jogue as primeiras ideias fora, a maioria dos candidatos vai escrever a primeira coisa que vem à cabeça, o óbvio! Lugar comum – Fuja!

3. Só se faz uma boa redação quando se insere novos dados, a base da redação está na informação que obtemos e não no quanto escrevemos.

4. Ampliação de vocabulário – O porquê das coisas, origem das palavras, conotação e denotação, domine!

5. Não espere validação – Só se corrige o ruim, ignora-se o correto.

6. Leitura, leitura e… LEITURA (Clássica) – modelo linguístico!

7. Grandes filósofos, poetas e políticos – Credibilidade!

8. Converse com seu professor, acompanhe a correção quando for possível, ouça o que ele tem a lhe dizer sobre seu estilo.

9. Reescrita, correção de outras redações, troca de redações.

10. Conhecimento de grandes marcos nacionais e mundiais.

11. Pleno envolvimento com questões sobre mulher na sociedade, família, cidadania, efeitos ante e pós-guerra, sustentabilidade, trabalho infantil, etc.

12. Se o argumento a favor é fraco, argumente contra, mesmo que não seja o que pensa!

13. O item 12 só é válido em casos emergenciais, escrever sobre o que se pensa é sempre melhor.

14. Recorra a argumentos irrefutáveis, não ande sobre pontes frágeis e sem retórica (afirmar que a maioria das pessoas não gosta de política não é um fato, é uma suposição. Afirmar que as tecnologias atuais otimizam processos mas também nos toma tempo, é um fato irrefutável).

15. Não use frases feitas, muito “batidas”, ditados populares, gírias, trechos de músicas ou interjeições.

16. Aproximar datas e períodos denotam atenção e domínio do assunto (no primeiro semestre de 2016, na última década, no primeiro trimestre, no século XIX…).

17. Leia e releia antes de transcrever sua redação na folha de avaliação.

18. Verifique a fluidez do texto e se ele fará sentido para qualquer pessoa que o leia.

19. Procure dividir os argumentos em dois ou três parágrafos, para suavizar frases muito longas.

20. Use e abuse da semântica! Ela existe e conspira a seu favor!

21. Analogias pobres não queria, analogias nobres utilize, só não abuse!

22. Não repita a mesma palavra várias vezes e as flexione sempre que possível (educação, processo ensino-aprendizagem, educação, sistema educacional, escolarização, alfabetização, letramento, gestão do ensino, etc).

23. Cuidado com a pressa na transcrição, letras N, M, U, V, R manuscritas sem atenção podem causar problemas de interpretação do corretor.

24. Procure sinônimos (a palavra “gravidezes” existe, mas soa terrível para a maioria, então troque por “gestações”, “períodos gestacionais”).

25. Alimente-se bem, hidrate-se, durma cedo e acorde cedo durante toda a semana do Exame, assim estará adaptado no grande dia, quando precisará estar pronto às 7h.

Boa redação!

Gracieli Borges Ferreira


Confira aqui algumas dicas de como fazer uma boa redação.

Quase todos os vestibulares brasileiros e o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) exigem do candidato na hora da prova a elaboração de uma redação, quase sempre no estilo dissertativo-argumentativo e muitas vezes é preciso escrever um bom texto para ter a chance de ser aprovado naquela universidade dos sonhos. Mas afinal, escrever uma redação é mesmo um bicho de sete cabeças?

Não. Muitas pessoas alegam extrema dificuldade na hora de dissertar, outras acham super fácil, mas a verdade é que a habilidade escrita é desenvolvida com muita prática e leitura, sendo que algumas dicas também podem dar aquela forcinha.

Primeiro, entenda a estrura de um texto, entenda cada uma das partes que o formam. A intrudução é formada quase sempre por um único parágrafo, nada muito longo, nele deve-se apresentar o assunto que será tratado ao longo do texto. No desenvolvimento é onde se organiza todo o pensamento do texto e apresenta-se os argumentos, algo em torno de 2 ou 3 parágrafos, ou 14 a 18 linhas. A conclusão é o fechamento da redação, é apresentada uma solução, a conclusão propriamente dita, não muito extenso, um parágrafo é suficiente.

É importante que você seja claro e objetivo, não repita palavras, use sinônimos se necessário, não utilize gírias e evite palavras no gerúndio.

Após estudar toda essa estruturação é importante praticar bastante, na rotina de estudos para o vestibular escreva uma redação semanalmente, procure também os temas das redações passadas de algumas universidades. Algo muito importante é manter-se atento ao tema e não sair dele. Muitos candidatos chegam a zerar por fugirem demais do assunto proposto.

Esteja informado, muitos temas cobrados nos vestibulares exigem seu conhecimento sobre assuntos atuais, então leia bastante jornais, revistas, sites e acompanhe os noticiários.

Na hora da prova mantenha a calma e leia a proposta com atenção, no rascunho estabeleça os pontos que irá abordar e comece a dissertar a partir deles. Sempre leia o último parágrafo escrito para não perder o foco. Leia e releia seu rascunho antes de passar a limpo. E claro, não se esqueça do título, de preferência deixe-o por último.

Entenda que não é preciso ser um escritor para apresentar uma boa redação, é necessário atenção e prática, é avaliado a sua capacidade de organização do texto e seu raciocínio sobre o assunto e não a sua opinião de fato.

Por Tom Vitor de Freitas


Confira aqui algumas dicas para realizar uma boa redação durante as provas do Vestibular.

A redação costuma deixar os estudantes ansiosos e inseguros, uma vez que não é possível saber exatamente o tema dela. Sendo muitas vezes o maior critério em vestibulares para entrar na faculdade desejada, é muito importante fazer uma boa redação. Mas como fazê-la?

O primeiro passo para escrever uma boa redação é saber escrever. Para isso é de extrema importância que o vestibulando leia bastante. Leia livros, jornais, revistas e artigos. A leitura deve se tornar um hábito diário, logo uma pessoa que lê bastante consequentemente irá escrever melhor.

A folha de redação nos vestibulares tem um limite de linhas. Treine para respeitá-las e escrever textos que caibam na folha. Textos muito pequenos irão perder pontuação, assim como textos que não cabem na folha e ficam incompletos.

Fique atento à estrutura de texto exigida no vestibular (dissertação, narrativa, notícia etc). Ela deve ser respeitada e seguida de acordo com a forma de determinada estrutura. No caso da dissertação, tipo de texto exigido mais comum, deve ter um parágrafo de introdução, cerca de três parágrafos de argumentação e um para a conclusão, que no caso do ENEM deve conter uma proposta de intervenção.

Algumas pessoas preferem começar a prova pela redação, embora isso dependa muito do vestibulando que está realizando a prova e como ele organiza seu tempo. Há uma dica para quem não gosta de começar a prova pela redação: Ao abrir a prova leia a proposta de redação e organize um pequeno rascunho apenas com as ideias que tiver em mente, pode anotar em tópicos ou como preferir, em seguida faça a prova. Após a prova faça a redação definitiva. Para algumas pessoas essa técnica pode ser mais funcional, uma vez que durante a prova podem surgir novas ideias até com os próprios textos dentro dela.

Antes de passar a caneta, sempre releia seu texto procurando por erros gramaticais ou frases desconexas e repetidas. A correção é muito importante e pode te poupar alguns pontos que perderia por falta de atenção.

Isabela Palazzo


Se você é um participante assíduo de concursos públicos, processos seletivos e exames oficiais, sabe o grau de importância de uma redação bem escrita. Além de aplicar as características corretas, dependendo do tipo de texto requisitado, é preciso ainda transmitir a informação, ideia ou pensamento de forma clara e coesa

Pensando em lhe auxiliar, selecionamos em nosso artigo algumas dicas de como acertar na produção deste material. São dicas simples, mas que podem fazer bastante diferença no resultado final do texto:

– Saiba do que você está falando: conhecer o tema é essencial para que um texto seja correta e adequadamente redigido. Afinal, você quer transmitir informação verdadeira, certo? Por isso, antes de iniciar a redação faça uma boa pesquisa sobre a temática. 

– Descubra para quem você está falando: definir o público alvo do seu texto é essencialmente importante, visto que para cada tipo de público é necessária uma estratégia de conteúdo.  

– Evite períodos longos: aplicar parágrafos curtos é muito importante, principalmente para a rápida leitura e fácil entendimento do conteúdo. Escrever frases longas pode complicar a análise, além de dispersar o leitor. 

– Cuidados com a pontuação: a organização do conteúdo só é garantida com a correta aplicação da pontuação. É importante salientar que empregar corretamente vírgulas e demais pontos evita a ambiguidade (duplo sentido). 

– Utilização de termos rebuscados: a fim de agradar, é comum os candidatos utilizarem termos difíceis em seus textos. Entretanto, muitas vezes o real significado das palavras é desconhecido. É importante salientar que, na maioria das vezes, "o menos é mais"! Aposte em palavras simples, que sejam entendidas por todo e qualquer leitor. 

– Organização dos blocos de texto: organizar o texto significa, também, evitar a repetição de palavras, frases e ideias. Aliás, o pleonasmo é uma das figuras de linguagem mais comum utilizada pelos brasileiros e pode, inclusive, modificar a sua ideia, mesmo que discretamente. 

Devemos salientar que tais dicas podem ser aplicadas em todos os tipos de redação, seja nos exames de vestibular, concursos públicos e ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio. 

Por Tati M.


Então você decidiu fazer o Exame Nacional do Ensino Médio e está com um milhão de dúvidas sobre a prova. Bem, saiba que você não está sozinho e, assim como você, muitos jovens sofrem por não saber ao certo o que vão encontrar na hora da prova.

Sem dúvida, a parte mais temida da prova é a Redação, onde você terá que demonstrar vários conhecimentos, domínio da grafia da língua portuguesa, coerência, coesão no texto, uso da linguagem culta e também o seu senso crítico. A análise crítica é avaliada mediante a observação da postura do candidato perante um assunto, isto é, da capacidade de dar soluções quando alguma situação deve ser mudada e a sociedade beneficiada.

Se você acha que não está preparado para dissertar acerca dos direitos humanos ou dar soluções para a crise econômica, não se desespere. Conseguir resolver problemas ou dar boas ideias reflete o ambiente cultural onde o estudante cresce. Faz parte da bagagem cultural a capacidade de tomar decisões e solucionar um problema, quanto mais conhecimento de atualidades o jovem possua, mais fácil fica olhar o contexto e buscar soluções para um determinado problema.

Provavelmente haja um ponto de interrogação na sua cabeça e esteja se questionando como aumentar a sua bagagem, eis que a resposta não é tão complicada e é relacionada com o tempo que você lê ou assiste televisão. Quando se fala em televisão, não é assistir uma filme de terror ou desenhos animados. Para adquirir mais cultura você precisará prestar atenção nos jornais, onde sempre aparecem matérias interessantes e relacionadas às atualidades. Se pensou em assistir um filme, tente buscar diretores que levem para os roteiros assuntos do momento e que sejam relevantes para a prova, documentários são ótimos.

Sabendo um pouco mais sobre o que está acontecendo no mundo ficará mais fácil pensar e chegar a uma solução para determinado problema.

Para fazer a análise crítica de forma correta, alguns passos podem ser seguidos a fim de melhorar a argumentação, são eles: verifique qual a proposta da redação, identifique qual é o assunto tratado no texto (tema principal). A partir destes dois primeiros passos, o estudante estará habilitado a relacionar o conteúdo tratado aos fatos que conhece, aplique todo o conhecimento que possua sobre o tema. Logo após de ter relacionado o texto com os seus conhecimentos, separe as ideias por tópicos, esquematize. Depois de dar estes passos, estará preparado para escrever a sua redação.

Por Melina Menezes


Adquirir o hábito de escrever não é tão fácil quanto parece, uma vez que exige do aluno alguns cuidados especiais com a leitura, caligrafia e regras ortográficas. No entanto, é possível alcançar a nota máxima no Enem quando o candidato se atenta a esses fatores. Diante disso, vamos abordar algumas dicas de como escrever melhor, feitas por estudantes de exames anteriores que tiraram notas máximas.

Primeiramente, é importante destacar que dos mais de 5 milhões de textos corrigidos apenas 481 receberam notas máximas. Desta forma, o primeiro fator a ser levado em conta são as normas da língua portuguesa, isto é, ter um bom livro de gramática junto a um bom dicionário durante os estudos. Cabe salientar que não existe fórmula mágica para alcançar uma nota máxima, é necessário que o estudante se adapte à prática de redigir diariamente e estudar o máximo que puder.

Outro fator importante é a prova. O candidato que almeja ser um dos destaques no exame precisa conhecer o exame e verificar os que foram aplicados anteriormente. Isso fará com que você saiba o tipo de prova que está lidando. Em seguida, leia e escreva muito, bem como se mantenha atualizado com o que acontece no mundo, através de jornais, revistas e internet. Isso ajudará na hora de emitir uma opinião ao examinador. A leitura de filosofia também pode ser útil, pois ensinará como os grandes filósofos pensavam.

Diante disso, o estudante precisa tomar bastante cuidado com a linguagem utilizada e evitar gírias, bem como clichês ou ditados populares. Evitar, ainda, expressões como “eu acho” ou “eu acredito”. Conhecer as conjunções da língua portuguesa pode ser um diferencial na hora da prova, pois fará com que o examinando saiba conectar orações e estabelecer relações de sentido.

Por fim, antes de iniciar a prova, coloque no rascunho as principais ideias sobre o tema proposto e redija baseado nelas.

Por Luciana Viturino


Processos seletivos de vestibulares ou concursos costumam contar com provas para a qualificação do candidato. Essas provas possuem em sua maioria uma parte de matemática, língua portuguesa, conhecimentos gerais e redação.

Muitas pessoas têm grandes dúvidas na hora de desenvolver uma boa dissertação de acordo com o tema proposto pela prova em que estão fazendo. Acompanhe aqui algumas dicas de como escrever uma boa redação e tirar bom proveito de suas palavras escritas para ir bem em um processo seletivo.

O que é uma dissertação?

O candidato deve manter em mente que o texto exigido nessas provas, em sua maioria, é uma dissertação. Uma dissertação é um texto constituído de argumentos convincentes que procuram comprovar uma tese baseada nas opiniões do autor deste texto.

Etapas da dissertação:

É constituída por três etapas: apresentação, desenvolvimento e conclusão.

Apresentação:

Nesta etapa é onde o autor esclarecerá a tese, ou seja, o que pretende desenvolver no texto de acordo com o tema proposto. É aproveitado o primeiro parágrafo para a desenvoltura dessa “explicação” inicial, que guiará o leitor do texto para o assunto que será tratado.

Desenvolvimento:

No desenvolvimento são aproveitados cerca de 2 parágrafos, para que o autor desenvolva seu texto. O autor irá utilizar de argumentos que comprovem suas opiniões sobre o tema, podendo utilizar de fatos, dados, citações e também opinião própria, tudo para constituir argumentos plausíveis e convincentes.

Conclusão:

É apresentada no parágrafo final. Nela é feito o resumo das ideias apresentadas durante todo o texto. É possível que o candidato apresente uma solução para o problema discutido na dissertação, porém, não é obrigatório.

Lembre-se que dissertações não são textos longos. Embora exprimam a opinião do autor do texto, devem ser escritas de forma culta, evitando gírias ou coisas do gênero. Não costumam passar de uma folha, logo, deve-se ser objetivo e simples, apresentando seus argumentos de maneira eficiente para que sejam entendidos. Seguindo essas dicas, você poderá fazer uma boa dissertação.

Por Luiz Guilherme Feliciano Palazzo


No vestibular ou no Enem, uma boa redação é essencial para se obter aprovação. Nesses concursos (quer queira, quer não queira), este é um mal necessário. Existem fatores que devem ser considerados para se fazer um bom texto dissertativo/argumentativo. Veremos o que pode ser útil na hora de encarar algum concurso vestibular ou o próprio exame do ensino médio.

Um dos pontos mais importantes – senão o mais interessante – é estar bem informado. Sem estudar assuntos de atualidades, não é possível fazer uma boa redação. Segundo a professora Maria Aparecida Custódio (escola Objetivo): “O candidato precisa estar atento às questões que estão mobilizando a opinião pública e que podem provocar polêmicas no país”. Sem as informações adequadas, é inviável chegar a uma boa pontuação na prova argumentativa/dissertativa.

A tendência dos temas das redações do Enem são justamente temas sociais, os quais estão atrelados a assuntos da atualidade, como já comentado – por isso da importância de se estar atualizado desses temas. Pode ser que seja um tema atípico para quem faz a redação na hora do exame, mas com certeza as informações que o vestibulando captou, estudou ou recapitulou meses antes da prova, serão de extrema importância para o desenvolvimento do tema proposto.

Outro aspecto primordial é estar tranquilo para enfrentar o exame. Estude, mas descanse bem na semana que antecedente ao exame. Além de estudar, é preciso dar um tempo a mente, para que ela possa absorver o que foi estudado – esse é o melhor método a ser seguido, quando se fala de estudos preparatórios. O nervosismo na hora da prova atrapalha tudo, acaba bloqueando o que foi estudado.

Portanto, para o próximo exame, estude, organize-se, relaxe. Seja um estudante aplicado. Respeite o seu corpo e mente, dando repouso necessário para eles. Leia revistas, sites especializados em estudos e provas de concursos e exames preparatórios. Estude temas da atualidade para a prova da redação, e lembre-se de que o que foi estudado, em qualquer hipótese, ajudará a você a elaborar uma boa redação.

Por Reginaldo Soares


Todos sabem que fazer nos dias de hoje uma redação de alta qualidade é mais do que fundamental para conseguir uma boa nota em uma avaliação ou até mesmo para conseguir uma nova oportunidade de emprego, não é verdade?

Exatamente por esse motivo o cursinho da Poli vai oferecer no dia 09 de julho uma oportunidade para aprender um pouco mais sobre todos os modelos de redação, ou seja, você vai poder fazer um curso gratuito de redação para a preparação dos melhores vestibulares do nosso país, por isso não perca tempo e se inscreva.

Esse curso será ministrado em três unidades do cursinho da Poli, os endereços das unidades são:  

 – Zona Leste: Rua Sábado D’Angelo, 2078

 – Lapa: Av. Ermano Marchetti, 576

 – Santo Amaro: Rua Desembargador Bandeira de Melo, 468

Faça a sua inscrição no próprio site do Cursinho Poli (www.cursinhodapoli.net.br/web), ou ligue para o telefone de contato (11) 2145-7654. Saiba que as vagas são limitadas, por isso se inscreva o quanto antes.

São três horários para fazer o curso de redação no dia 09/07. O primeiro horário é às 09h da manhã, o segundo as 14 horas e o último às 20 horas, com tolerância de 15 minutos de atraso. 

Por Josiane Fernandes de Jesus


A redação é uma questão sensível em qualquer processo seletivo, e deve ter uma avaliação especial por parte da instituição que realiza essa seleção.

Com o Enem não pode ser diferente, e, por se tratar de um concurso de abrangência nacional, houve vários problemas relacionados a ela, reivindicados pelos estudantes.

No ano passado, quando a correção era fechada, vários estudantes entraram na justiça e conseguiram acesso à redação corrigida, o que causou desconforto e perda de certa confiabilidade por boa parte dos inscritos.

Já esse ano, um pacote de mudanças promete minimizar os conflitos. Para começar, haverá uma terceira verificação da redação corrigida, se o número de pontos entre a primeira e a segunda avaliação diferir em pelo menos 200 pontos. E ainda há uma possibilidade de quarta correção, como instância final.

Essa fase do processo agora valerá 1000 pontos, e os estudantes terão acesso à correção sem qualquer recurso, como regra geral.

Podemos ver que a especialidade da redação se deve não só à importância da escrita nos concursos, mas por uma certa insatisfação sobre a reprovação na mesma. Os estudantes do Brasil não fogem à regra dos concursos gerais, sendo a redação o “calcanhar de Aquiles” da maioria deles. E, educadores e pais sabem o quanto esse quesito está em baixa nas escolas de hoje, e o quanto os próprios estudantes negligenciam isso.

Por isso, o grau de reprovação com motivo principal na redação tende a ser maior no Enem, porque a escrita já é deficiência crônica nos estudantes do ensino médio, e que se estende até os estudantes do ensino superior, infelizmente.

Esperamos, então, que não só o método dos avaliadores melhore no Enem e seja mais justo e claro, mas que a parte cognitiva dos nossos candidatos ao ensino superior possa melhorar e ser incentivada definitivamente por esse exame, que se tornou, nos últimos anos, fundamental para qualquer estudante e aspirante ao sucesso profissional, e à avaliação do ensino num país tão carente de acesso ao conhecimento básico.

Por David Leys


Uma das provas que muitas vezes causam medo nos candidatos de vestibulares em todo o país diz respeito à redação. Isto ocorre pela necessidade de um pensamento claro do estudante para que seja criado um texto conciso e coerente, exigência esta que pode ser um problema.

As bancas examinadoras de vestibular, neste tipo de avaliação, consideram a qualidade do texto, bem como o atendimento do mesmo aos requisitos solicitados na prova de redação.

Por isso, de forma generalizada, é sugerido pela maioria dos professores que os alunos iniciem a prova pela redação, analisando o tema e fazendo o rascunho. Depois desta primeira versão, é preciso fazer as questões de Português e depois retornar para realizar a versão final da redação, que estará mais concisa e adequada às propostas da banca.

Para evitar que neste processo de confecção do texto surjam problemas fatais para a aprovação, os estudiosos deste assunto indicam que os principais erros relacionados à redação são: Fuga do Tema, Erro do Gênero do Texto (exemplo: fazer uma narração ao invés de uma dissertação), Apresentar Argumentos Frágeis, Texto sem Coesão e Coerência, Usar Gírias, além de Cometer Erros Gramaticais ou de Concordância.

Deste modo, para evitar a ocorrência destes erros, é preciso um estudo aprofundado das regras gramaticais e de produção de textos. Além disso, também é necessário treinar muito antes da prova para verificar como esta a elaboração das redações pelo candidato.

Por Ana Camila Neves Morais


Fundado pelo Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da USP, o Cursinho do XI, está oferecendo vagas para o curso de redação básica, que será realizado aos sábados às 14h.

O curso tem como objetivo de promover o aprimoramento da língua escrita. São ministradas aulas de Gramática para aplicação em redações. Nessas aulas, os alunos terão oportunidade de argumentar e escrever, podem discutir diretamente com o professor (diferente dos cursos de redação em Cursinhos tradicionais, onde o contato pessoal com o corretor não existe).

As pessoas interessadas devem comparecer na secretaria do Cursinho (Avenida Brigadeiro Luis Antonio, nº277, 5º andar, na Bela Vista) de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h ou então aos Sábados, das 8h às 16h, tendo em mãos cópias simples do CPF, comprovante de residência, RG e uma foto 3X4.

O valor é de R$ 40 por mês, visando à manutenção do curso, uma vez que o projeto é sem fins lucrativos.

Outras informações podem ser adquiridas pelos telefones (11) 3101-4583 ou (11) 3107-6293.

Por Iracema Iris Gonçalves


A redação sempre é um ponto preponderante no vestibular. Muitos concorrentes tiveram bons estudos durante o ano todo e conseguem efetuar uma boa prova em outras matérias, mas pecam neste quesito e acabam deixando passar a oportunidade de ingressar na universidade.

Pensando nisto, a Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, estará aceitando a partir do dia 11 de abril de 2011, as inscrições para a sua oficina de redação. Intitulada como “A Redação no Vestibular Unicamp”, o projeto aborda os aspectos da nova prova de redação, a qual teve sua primeira aplicação no ano de 2010.

Os interessados deverão pagar uma taxa de inscrição no valor de R$ 35. O valor é único a ser pago pelos estudantes e professores da rede de ensino pública que pretendem participar desta oficina. Com realização no campus de Campinas, em São Paulo, ela acontece no horário das 9 horas às 17 horas.

Efetue a sua inscrição através do site da Unicamp até a data de encerramento que é o dia 22 de abril de 2011. Para obter outras informações e sanar dúvidas, ligue para (19) 3521 7547 ou mande um e-mail para oficina@comvest.unicamp.br.

Por Oscar Ariel


A redação tem grande peso nos vestibulares e por isso, causa tanto pânico e terror  em quem vai prestar uma prova como essa. De nada adianta saber resolver os cálculos mais difíceis ou ser um historiador nato e não saber se expressar bem, ou não saber fazer uso da norma culta da língua e nem ter um bom conhecimento do assunto e linearidade de raciocínio.

Pessoas que não dominam a linguagem não conseguem se expressar isso é certo e comprovado. Assim, é preciso que o candidato se prepare também para a redação lendo muito e não apenas livros, mas jornais e revistas para ficarem por dentro dos mais diversos assuntos atuais.

Além disso, é preciso dominar a norma culta da língua, deixar os coloquialismos, gírias, regionalismos e clichês fora do texto. Outra coisa fundamental é conhecer o funcionamento do tipo de texto que se escreve pois, narração tem uma estrutura, dissertação tem outra completamente diferente.

A narrativa é uma história que possui personagens, tempo, espaço, narrador e enredo. Já a dissertação é um texto argumentativo, ou seja, é construído com argumentos para que se convença o leitor sobre determinado assunto. O texto argumentativo jamais permite que se use “eu” ou “na minha opinião”, esses são erros gravíssimos que os candidatos ao vestibular costumam cometer.

Por Karin Földes





CONTINUE NAVEGANDO: