A prova de Português é uma das principais partes de uma prova de vestibular. É preciso se atentar aos temas mais cobrados para se preparar melhor para as provas.

O português é uma das partes mais essenciais de uma prova, não servindo apenas para as questões propriamente de língua portuguesa, mas também para todas as outras questões que necessitam de interpretação de texto. Confira aqui os temas de língua portuguesa que são mais cobrados no vestibular:

Semântica: as questões mais comuns de semântica são as que têm relação com o significado das palavras. A Fuvest é um dos vestibulares que mais cobra questões desse tipo. Também é importante para a compreensão do texto e do significado que as palavras tomam no contexto em que estão inseridas.

Pronomes e conjunções: responsáveis pela construção dos textos, também aparecem muito nas provas. O pronome relativo está presente todos os anos nos vestibulares.

Figuras de linguagem: as figuras de linguagem também aparecerão com frequência, principalmente para a compreensão dos textos e análise de épocas literárias. Dependendo da forma que é utilizada, o aluno poderá identificar a obra, o autor ou a época em que foi escrita. O ENEM costuma perguntar qual a figura de linguagem que está sendo utilizada, enquanto os vestibulares questionam a função delas.

Textos: as provas serão repletas de textos, pequenos ou grandes. É comum que sejam postos mais de um texto, às vezes de diferentes gêneros, para que o estudante faça uma relação entre eles. O interessante é ter o domínio de cada gênero textual, entender como é sua estrutura e objetivos, para que a análise seja feita de forma mais fácil.

Conjugação de verbos: muito importante para a redação. O vestibulando deve entender como utilizar cada tempo verbal e como conjugar os verbos.

Paráfrase: esse recurso deve ser bem compreendido, principalmente para utilizá-lo na interpretação de textos e na hora de analisar as alternativas de uma questão. Em uma alternativa podem ter coisas que possuem o mesmo significado, mas estão escritas de formas diferentes. Quando atento, o estudante perceberá as alternativas erradas.

Literatura: as questões de literatura aparecem em todos os vestibulares e do ENEM. O vestibulando deve ler os livros que são cobrados nos vestibulares que pretende prestar (cada um tem uma lista de livros). Se possível, deve conhecer outras obras dos autores que mais aparecem nas provas. Também é necessário ter conhecimento sobre os períodos literários, suas características e principais obras.  

Por Isabela Palazzo


Sabe-se que atualmente as provas de Português raramente trazem  questões que abordem somente gramática. Tem-se dado uma grande importância à interpretação. Questões de interpretação podem envolver gramática e testar o seu nível de compreensão textual.

As provas estão vindo sempre repletas de textos, poemas, charges, músicas,  entre outros. Então, antes de começar a responder leia atentamente às questões, em seguida leia com bastante atenção os textos da prova e grife o que mais te chamar atenção. Sabe por qual motivo deve grifar? Pra facilitar sua visibilidade. E também você já vai ter um pouco de noção do que estará sendo pedido nas questões.

Por isso, assim que pegar a prova, “passe o olho” rapidamente nas questões, pra evitar aquele problema chato de estar respondendo a questão e sentir necessidade de voltar a ler todo o texto novamente.
Se tiver poema, tente identificar a princípio de qual época é o autor e qual escola literária.

Nas charges, observe se há intertextualidade. A intertextualidade é a relação que ela possui com outros textos ou temas. Vale a pena ressaltar que a prova de língua portuguesa é uma das que mais “pesam” em qualquer processo seletivo.

Se a prova vier com alguma música, coloque em prática o seu senso crítico e boa sorte! 

Por Lidiane Freitas


A redação tem grande peso nos vestibulares e por isso, causa tanto pânico e terror  em quem vai prestar uma prova como essa. De nada adianta saber resolver os cálculos mais difíceis ou ser um historiador nato e não saber se expressar bem, ou não saber fazer uso da norma culta da língua e nem ter um bom conhecimento do assunto e linearidade de raciocínio.

Pessoas que não dominam a linguagem não conseguem se expressar isso é certo e comprovado. Assim, é preciso que o candidato se prepare também para a redação lendo muito e não apenas livros, mas jornais e revistas para ficarem por dentro dos mais diversos assuntos atuais.

Além disso, é preciso dominar a norma culta da língua, deixar os coloquialismos, gírias, regionalismos e clichês fora do texto. Outra coisa fundamental é conhecer o funcionamento do tipo de texto que se escreve pois, narração tem uma estrutura, dissertação tem outra completamente diferente.

A narrativa é uma história que possui personagens, tempo, espaço, narrador e enredo. Já a dissertação é um texto argumentativo, ou seja, é construído com argumentos para que se convença o leitor sobre determinado assunto. O texto argumentativo jamais permite que se use “eu” ou “na minha opinião”, esses são erros gravíssimos que os candidatos ao vestibular costumam cometer.

Por Karin Földes





CONTINUE NAVEGANDO: