Como alguns de vocês já sabem, muitos vestibulares de Universidades Federais, Estaduais e mesmo particulares publicam listas de livros, as famosas "leituras obrigatórias". Nelas são selecionadas obras de referência da Literatura em língua portuguesa a serem cobrados nos exames. O número de livros é geralmente grande, especialmente quando levamos em conta o baixíssimo hábito de leitura do brasileiro médio.

As listas podem variar bastante, podendo ter desde 5 a até 19 livros cobrados por cada instituição.

Mesmo que existam alguns livros que sejam coincidentes entre as listas, como obras de Machado de Assis e Guimarães Rosa, se um estudante fosse prestar vestibular em todas essas instituições teria que ler mais de 50 livros! Mesmo que ele se concentrasse apenas em ler os livros sem estudar para as demais matérias, acredito que fosse uma tarefa bastante inviável para a grande maioria.

Felizmente algumas instituições como USP e Unicamp unificam sua lista de leituras obrigatórias. Além disso, a relação delas geralmente não varia muito de um ano pra outro, permitindo que os estudantes possam programar suas leituras ao longo do Ensino Médio ou mesmo permitindo aos candidatos que possam aproveitar suas leituras de um ano para o outro. Além disso, muitas vezes (dependendo do Vestibular) não é necessário ler realmente as obras, mas apenas se informar sobre alguns aspectos literários da obra, como a corrente literária em que o autor se aplica ou quais os temas principais que a obra analisa.

Em breve eu pretendo lançar uma série de posts analisando os principais aspectos de obras cobradas em exames de vestibular. Mas, por enquanto, fiquem com essas dicas.  

Por Wilson Lira


A literatura brasileira no vestibular é tão importante quanto outras matérias, mas muitos vestibulandos não possuem estratégia e organização para estudá-la para os exames. Nas provas do país afora caem muitas questões relacionadas a autores e obras brasileiras que estão ligados aos períodos literários aos quais eles pertencem.

O que fazer então com tanta informação literária? Elas devem preferencialmente ser escritas em fichas em forma de tópicos para que o estudante não se perca nos estudos e assim tenha melhor memorização delas.

Por exemplo, se o aluno for destacar os fatos principais sobre a obra “Dom Casmurro" de Machado de Assis, ele deve colocar nessa ficha dados sobre o livro, sobre o autor e sobre o período literário ao qual pertence (nesse caso, o Realismo).

O contexto sócio histórico em que o livro está inserido também não deve ser esquecido. Ao ler uma obra que provavelmente cairá no vestibular o estudante deve fazer anotações sobre os elementos mais importantes do livro e buscar diferenças e semelhanças entre as obras, pois, é isso que certamente ele terá que fazer na hora do vestibular.

Por Karin Földes





CONTINUE NAVEGANDO: