Saiba aqui o que é, para que serve e quais os países envolvidos no Protocolo de Kyoto.

Na busca em auxiliar o meio-ambiente e a mãe natureza, as nações filiadas à ONU – Organização das Nações Unidas – resolveram elaborar o “Protocolo de Kyoto”, um tratado que visa à diminuição da emissão dos gases de efeito estufa, ao qual agride a camada de ozônio, importante mecanismo que protege aqueles que aqui vivem contra os raios ultravioletas.

O documento teve a assinatura em meados da década de 90, mais precisamente no ano de 1997, durante a realização da conferência de Paris, na cidade de Kyoto, no Japão. O acordo é uma das medidas para a redução do aquecimento global.

Tratado

O tratado diz que os países reduzirão suas emissões de gases do efeito estufa em até 5,2 por cento. Estão na mira aqueles resíduos eliminados no ar por indústrias sediadas nas grandes potências. Para a ONU, estes gases tem colaboração considerável no aquecimento global, citado anteriormente na matéria, e que causa danos climáticos consideráveis e que assola os países há décadas.

Para o cumprimento do tratado, as nações devem tomar uma série de medidas, tais como: proteção de florestas e outros locais do meio-ambiente, a otimização energética como arma na diminuição dos gases, a promoção de práticas sustentáveis em um segmento considerável da indústria, a utilização e adoção de fontes renováveis de energia, produção de tecnologia, limitação da produção de metano, entre outras medidas.

Países que “toparam a parada”

Dos 170 países que toparam esta parada, destacam-se a adoção em massa das nações da América do Sul (Argentina, BRASIL, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Venezuela, entre outros) e aqueles localizados na África, Europa e Ásia.

O único país que causou confusão foram os Estados Unidos, durante a administração Bush. Naquela oportunidade, o presidente da maior potência do mundo justificou a posição do país devido à economia. Para ele, o protocolo traria efeitos negativos. Apenas sob o governo de Obama, voltou-se a discussão dos Estados Unidos cumprirem o acordo.

Países desenvolvidos e emergentes

A ONU estabeleceu obrigatoriedade para as nações desenvolvidas e aquelas que estão na categoria de emergentes. Para os primeiros, o cumprimento das metas seria mais rigoroso, já que estes contribuíram de forma mais expressiva para a situação atual do meio ambiente, resultando no aquecimento global. Estas terão que cumprir a meta de 5,2 por cento citada no texto anteriormente.

Aos países ditos emergentes, o cumprimento da meta não seria tão rigoroso assim, apesar de que, estes tem o compromisso de adotar as medidas descritas no documento.

Prazos

As medidas ratificadas no documento passaram a ser executadas em meados de 2005. Dez anos após a aplicação das medidas, a análise é de que as medidas não surtiram efeito já que, aumentou-se a emissão dos gases em cifras acima de 15 por cento.

O protocolo ainda está em execução e deve se arrastar por mais dois anos.

Brasil

De acordo com informações obtidas no site do Ministério do Meio Ambiente, por aqui, o acordo foi ratificado no ano de 2002, sob decreto legislativo após aprovação interna do tratado. Na oportunidade o texto foi tramitado com urgência, sendo aprovado após rápida discussão nas várias instâncias da casa.

Sobre a ONU

A ONU, ou Organização das Nações Unidas, originou-se ao final da segunda guerra mundial, no ano de 1945. Atualmente possui 73 anos. Com sede em Nova York, nos EUA, esta organização reúne os países signatários, que são 193 até o momento (incluindo o Brasil). Tem como origem a promoção da paz em todo o mundo.

Para a promoção da qualidade de vida e bem-estar da população mundial, a ONU tem diversos braços, destacando-se a OMS – Organização Mundial da Saúde – bem como os conselhos de direitos humanos e conselho econômico e social. Suas decisões são relevantes aos países membros e em quase sua totalidade acatada por eles.

Por Leandrinho de Souza


Confira aqui algumas dicas do que fazer para se dar bem no Vestibular.

As provas de vestibular e ENEM se tratam de provas extensas, de longa duração e que testam o conhecimento do vestibulando nas mais diversas áreas do conhecimento, passando pelas exatas, humanas, biológicas, linguagens e conhecimentos gerais.

Para um teste tão extenso como esse, é necessária uma preparação a longo prazo, que costuma acontecer durante todo o ano no qual o estudante pretende prestar a prova. No entanto, pelos mais diversos motivos, essa preparação costuma falhar ou acontecer de forma desorganizada. É importante ter em mente como estudar para ter êxito no dia do vestibular.

Uma das práticas mais comuns é estudar por várias horas uma mesma matéria. O resultado disso é que o vestibulando acaba aprendendo uma boa parte de algumas matérias, enquanto fica sem aprender outras matérias importantes. Por esse motivo, o recomendado é estudar a matéria no mesmo dia que teve a aula dela. Se a aula durou cerca de 50 minutos, deve-se estudar os 50 minutos daquela mesma matéria no mesmo dia. Após esse tempo, mude de matéria e estude 50 minutos de outra. É melhor possuir um conhecimento razoável das matérias que serão exigidas do que saber muito sobre poucas e nada sobre outras.

Crie um sistema que permita o estudo das matérias. Pode-se utilizar o despertador do celular para saber a hora de começar o estudo de outra disciplina. Mesmo que não consiga concluir todos os exercícios no tempo estabelecido, guarde-os para o fim de semana. Os fins de semana devem ser utilizados principalmente para resolver exercícios das matérias em que se tem maior dificuldade, treinar redação e ler revistas e jornais.

Evite qualquer tipo de tecnologia enquanto estiver estudando. O computador, o celular e até mesmo a música irão tirar sua atenção do objetivo principal, pois seu subconsciente estará prestando atenção em todo o ambiente à sua volta. Além do mais, se permanecer em redes sociais são grandes as chances de que o estudante irá pausar o estudo a todo momento para checá-las. O ideal é um local silencioso e um bom material didático.

No entanto, lembre-se que não se deve estudar 24 horas por dia. É ideal estabelecer horários e prazos, pois os momentos de descanso são ideais para a mente funcionar adequadamente. Algumas horas de distração são essenciais e não devem ser dispensadas.

Também é de grande importância manter um sono regulado. Estudar a madrugada inteira só fará com que o vestibulando esteja extremamente cansado no dia seguinte e não consiga manter atenção na sala de aula e, até mesmo, nos estudos no período da tarde.

Portanto, procure fazer um sistema de estudos regrado e com horários estabelecidos, separando muito bem a hora de estudar da hora de se distrair. Seguindo essas dicas, são grandes as chances de passar no vestibular.

Isabela Palazzo


Confira aqui algumas dicas de planejamento de estudos para o Enem 2016.

As inscrições para o ENEM 2016 já terminaram, mas a maratona de estudos para o exame que será feito por mais de 9,2 milhões de estudantes em todo Brasil só está começando. Uma forma simples de garantir sucesso na hora do vestibular é a organização no processo de estudos, dessa forma você otimizará seu tempo e terá uma bagagem de conhecimento bem cheia até os dias 5 e 6 de novembro. Agora vamos deixar de procrastinar e fazer nosso planejamento de estudos.

Por onde começar?

A quantidade de conteúdo a ser estudado para um vestibular como o ENEM é grande e para que nada fique de lado é interessante fazer um planejamento semanal de estudos com horários, matérias e quantidade de exercícios a serem feitos por dia. Estudar conteúdos aleatoriamente pode deixar você muito mais confuso, é importante lembrar que cada disciplina tem seu tópicos divididos em ordens cronológicas e estudá-los fora dessa ordem pode prejudicar seu tempo.

Faça um cronograma levando em consideração as matérias de cada competência que será cobrada no exame. Na segunda-feira, você pode estudar uma matéria de cada competência como História (Ciências Humanas), Física (Ciências da Natureza) e Literatura (Linguagens e Códigos) e usar esta lógica cíclica para os outros dias da semana. O final de semana pode ser para revisão de conteúdo, redação, leitura global e descanso.

Não tenha medo de fazer pausas durante os estudos.

É muito importante entender que nosso cérebro é como um músculo que cansa quando é sobrecarregado de atividades. Por isso é interessante fazer pausas entre os estudos para que sua habilidade de concentração e foco não vá se perdendo e, principalmente, revezar as disciplinas estudadas, já que o ENEM se divide em 5 grandes blocos ou competências que são: Ciências Humanas e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Linguagens, códigos e suas tecnologias e por fim a Redação.

Crie uma rotina, estipule um tempo de estudo para cada competência (entre 1 hora e 1 hora e meia), faça pausas (não tão longas) entre elas para não sobrecarregar seu cérebro e faça exercícios de fixação. Personalize seu planejamento de estudos, o MEC tem uma plataforma com simulados para testar os seus conhecimentos e o INEP também disponibiliza as provas dos anos anteriores com os gabaritos para você conferir as respostas no final.

Faça uma redação por semana.

Redação também é matéria para ser estudada, afinal, é preciso saber sobre o que se está escrevendo.

Aproveite a leitura do final de semana e pesquise sobre o que está acontecendo no mundo, aumente seu acervo de palavras, aprenda a formar e embasar suas opiniões e coloque tudo em prática, sempre estruturando seu texto de acordo com o gênero. O ENEM costuma propor a redação de um texto dissertativo-argumentativo.

Lembre-se também que a interpretação de textos serve para todas as competências. As provas do ENEM estão cheias de textos e damandam bastante leitura.

Agora você está pronto para a maratona de estudos.

Boa prova!

Ana Luiza Suficiel


Confira aqui algumas dicas de como conciliar os estudos com a vida pessoal.

Uma das épocas mais estressantes para o estudante é o período de vestibular. Conciliar coisas como vida pessoal, estudos e família pode não ser tarefa fácil para algumas pessoas. A pressão e expectativa da família e amigos também podem gerar um desconforto e cobranças pessoais muitas vezes inalcançáveis. Confira algumas dicas de como administrar bem seu tempo e evitar a sobrecarga de estudos, que pode gerar desde estresse até transtornos físicos.

– Faça uma lista de prioridades: as matérias que o estudante tiver maior dificuldade devem ser as mais estudadas, para evitar que o conhecimento não seja fixado.

– Anote os pontos fracos: anotar aquelas partes que precisam ser relembradas ajuda a ter domínio sobre seu real conhecimento.

– Faça pausas entre as matérias: nada de querer emendar um assunto no outro sem nem parar para descansar. Faça blocos de estudo com pausas entre as disciplinas, para que o cérebro possa retomar as atividades sem pressão. O tempo de descanso pode variar entre 15 minutos a meia hora. Em alguns casos, o estudante pode até fazer intervalos maiores, de 1 hora. Tudo vai depender do nível de estudo e do desgaste sofrido. Durante esse tempo de relaxamento procure atividades que te dão prazer: jogar vídeo game ou mexer no computador podem ser boas alternativas. Procure não pensar nos estudos nesse período de tempo.

– Respeite o tempo de descanso: mesmo que o seu relógio desperte para sua pausa durante um assunto importante, respeite o tempo da pausa. Anote onde parou e depois volte, com o cérebro mais relaxado. Sua produtividade com certeza será maior.

– Tire um dia de folga: é estranho falar em folga quando o vestibular se aproxima e todos os seus concorrentes estão em um ritmo acelerado de estudos não é mesmo? Mas a realidade é que todos precisam de um tempo para a diversão. Tirar um dia para se dedicar à família, amigos, namoro e coisas que te agradam, além de ser extremamente saudável, pode ajudar a criar ainda mais laços afetivos, muito importantes para essa fase da vida.

– Não se cobre demais: a busca pela perfeição, em alguns casos pode levar o estudante a um desgaste físico e emocional extremo. Defina metas realísticas. Nem sempre a aprovação virá no primeiro ano. Saiba disso, respeite seus limites. O processo de aprendizado é diferente para cada pessoa. Se não for dessa vez, respire fundo e tente novamente. O importante é não parar de tentar.

Rodrigo Silva


A matéria é essencial para o desenvolvimento de uma sociedade e possibilita a interpretação de dados coletados

Ao analisar a grade curricular da maioria dos cursos de graduação oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior do Brasil, é muito provável que se encontre ali a unidade curricular (matéria, como já é de costume chamar) de Estatística. Engana-se, e muito, quem pensa que a matéria de Estatística está presente apenas nos cursos que se enquadram como Ciências Exatas.

A Estatística é um campo de estudo muito importante para o desenvolvimento de uma sociedade, pois possibilita a interpretação de dados coletados e permite a interpretação da situação atual de um objeto de estudo, para a tomada de decisões futuras.

A Estatística está presente na vida de diversos profissionais, tanto de forma direta quanto indireta. Na atualidade, a estatística está presente, principalmente, nas seguintes áreas.

– Ciências Naturais (Astronomia, Física, Química…)

– Ciências da Saúde (Biomedicina, Biologia, Medicina…)

– Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciências Políticas…)

– Ciências Sociais Aplicadas (Economia, Contabilidade, Administração…)

– Ciências Comportamentais (Pedagogia, Psicologia, Terapia Ocupacional…)

– Ciências Exatas (Engenharia, Matemática, Atuária…)

A Unidade Curricular varia de acordo com as necessidades específicas de cada curso superior, e depende também da metodologia escolhida pela Instituição de Ensino. No entanto, é de praxe que as universidades ensinem: Arredondamento estatístico; Séries Estatísticas; Preparação de Dados Estatísticos; Média, Moda e Mediana; Medidas de Dispersão e Probabilidade.

Esse conteúdo serve de base, permitindo que o aluno faça uso das técnicas estatísticas para a organização e análise de dados. Para informações mais precisas – pois como já foi dito, a unidade curricular varia de acordo com o curso e a faculdade – sugere-se uma breve visita ao site da universidade, abrir a página do curso e procurar pela grade curricular ou plano de ensino.

A matéria pode ser um pouco difícil para os alunos com dificuldade de raciocínio lógico. No entanto, o conteúdo base da estatística não costuma abusar de cálculos complexos da matemática. Alunos que se identificam com a matéria tem mais chances de atuar com pesquisa acadêmica, pois a estatística é extremamente importante para a investigação e planejamento da ciência.

Sendo assim, fica claro que, diferente do que muitos pensam, a estatística é essencial no dia a dia de diversos profissionais, seja em pesquisas com o consumidor, seja na análise da necessidade de um novo produto no mercado, ou ainda no estudo do comportamento humano.

É muito provável que o estudante universitário se “encontre” com essa matéria, odiada e, ao mesmo tempo, amada por muitos, mas indiscutivelmente necessária para a ampliação do conhecimento.

Por Júnior Beluzzo


Depois que nos formarmos na faculdade, sempre vem a dúvida de continuar com os estudos numa pós-graduação ou num curso de mestrado. O problema das pessoas, é que muitas delas acabam fazendo esses cursos só por status, e no fim das contas não arranjam emprego nenhum ou ainda quando arranjam, não ganham como esperavam.

Se você está passando por esse momento atualmente, reflita sobre as seguintes questões:

– Fazer um curso, uma faculdade, um curso de graduação ou até um mestrado pode não te garantir sucesso financeiro. É o que diz milhares de pessoas que conseguiram sucesso em suas vidas apenas com o esforço do trabalho no dia a dia. Elas levantavam cedo e trabalhavam de sol a sol todos os dias. Algumas dessas pessoas foram vendedores ambulantes, outras engraxates, mas cada uma delas tinha o mesmo objetivo: ganhar dinheiro e melhorar de vida. E conseguiram. Portanto, não adianta se vangloriar pela graduação que você tem ou pelo nome da faculdade que você estudou se você não sabe onde quer chegar, ou se você não tem nenhuma ideia do que o sucesso representa pra você.

– Continuar os estudos depois da faculdade pode ser tanto uma ambição quanto uma necessidade para você que sabe qual carreira seguir, desde que depois você arque com as consequências tanto boas quanto ruins do mercado e saiba ter responsabilidade com isso. Às vezes, depois de estudar anos e anos uma pessoa acaba desistindo de tudo depois da primeira decepção que tem do mercado, seja por salário ou seja pelas condições da carreira. É preciso saber que sempre a primeira oportunidade não vai ser aquela que vai te oferecer rios de dinheiro, e sim aquela que pode te dar uma carreira e um futuro brilhante se você persistir nela. Para que isso aconteça muitas das vezes, é preciso ter muita paciência e saber o que quer.

Por Daniela Almeida da Silva


Estudar para obter boas notas em um vestibular pode não ser uma tarefa fácil para todos. Por isso, é necessário ter muita persistência e disciplina. Se você encontra-se nessa fase, atente-se às dicas a seguir e aprenda como estudar para ir bem nos vestibulares:

– Separe tudo o que você tem para estudar:

Nessa hora vale tudo. Livros, sites, cadernos, rascunhos, apostilas, arquivos, entre outros. Tire algumas horas do seu tempo todos os dias para estudar, dar uma lida e revisar tudo o que você aprendeu durante os estudos. Nunca se conforme com pouco. Tenha persistência em estudar e aprender cada vez mais.

– Estude de tudo um pouco:

Comece estudando algumas coisas do ensino médio, depois parta para ferramentas de redação, dê uma revisada em sua gramática, principalmente na nova revisão ortográfica e fique por dentro de todas as atualidades.

– Programe-se:

Se você é uma pessoa que trabalha fora e não tem muito tempo, coloque um alarme para te lembrar dos horários que você tem que estudar. Utilize um despertador ou uma agenda eletrônica para você se programar e não ficar sem estudar por muito tempo, pois quanto mais você se atualizar e se dedicar nos estudos, melhor será seu desempenho.

– Atualize-se:

Atualize-se com novas leituras, assista documentários e matérias informativas, leia jornais, livros e artigos científicos para ficar bem informado e seja curioso com notícias da atualidade. Busque novos meios de aprendizados e leia livros em outros idiomas, principalmente em inglês, se for o caso. Uma boa alternativa também é buscar imprimir antigos modelos de vestibulares para você se basear. Só não vale olhar o gabarito.

– Esteja preparado:

O mais importante de tudo é que você se sinta bem preparado para o grande dia de realizar a prova. Esteja certo de que você será muito cobrado por isso.

Portanto, um dia antes da prova, durma bem, alimente-se bem e dê mais uma revisada em tudo o que você estudou.

Por Daniela Almeida da Silva


Você sente dificuldade em memorizar matérias teóricas, sejam elas relacionadas a momentos históricos, termos técnicos ou processos específicos? Saiba que, muitas vezes, tal dificuldade pode ser ocasionada pelo erro no modo como as informações são analisadas e agrupadas em sua mente

A escolha da técnica correta pode ser crucial para uma boa memorização. Por isso, pensando em auxiliar os candidatos a vestibulares, ENEM e demais processos seletivos, selecionamos as melhores técnicas de memorização para matérias teóricas

  • Anotação do conteúdo: já está comprovado que anotar os principais tópicos de determinadas matérias enquanto estuda é eficiente não somente para a memorização, mas também para a revisão e para o entendimento. Uma boa dica é atentar-se a detalhes certeiros, tais como datas e processos. Se você é universitário, pode aplicar s anotações no seu dia a dia na faculdade. Neste caso, as anotações recebem um nome específico: fichas de estudos.
  • Leitura atenta, porém ligeira: ler mais rapidamente favorece a assimilação do conteúdo em um curto espaço de tempo. Porém, é preciso atentar-se à assimilação do conteúdo. Se o candidato perceber que não está lendo com atenção e compreendendo, de fato, este conteúdo, é preciso retomar a leitura e, principalmente, o foco. 
  • Conteúdos complexos em primeiro lugar: quando o candidato precisa memorizar matérias complexas, principalmente que envolvam nomes, locais e datas, é recomendado que tais tópicos sejam analisadas logo no início do processo de estudos. O cuidado deve-se ao fato de a mente do candidato ainda não estar sobrecarregada e cansada com os demais assuntos, facilitando assim a compreensão. Esta dica é indicada, principalmente, para candidatos que preferem iniciar a resolução das questões que envolvem cálculos (muitas vezes, os cálculos tomam muito tempo do candidato, prejudicando o desempenho no restante da prova). 

Devemos frisar, porém, que estas táticas podem ser aplicadas tanto na rotina de candidatos que estão com exames bem próximos, como para aqueles que estudam com uma certa antecedência. Aproveite e dê um upgrade no seu processo de estudos! 

Por Tati M.


Se você é um participante assíduo de concursos públicos, processos seletivos e exames oficiais, sabe o grau de importância de uma redação bem escrita. Além de aplicar as características corretas, dependendo do tipo de texto requisitado, é preciso ainda transmitir a informação, ideia ou pensamento de forma clara e coesa

Pensando em lhe auxiliar, selecionamos em nosso artigo algumas dicas de como acertar na produção deste material. São dicas simples, mas que podem fazer bastante diferença no resultado final do texto:

– Saiba do que você está falando: conhecer o tema é essencial para que um texto seja correta e adequadamente redigido. Afinal, você quer transmitir informação verdadeira, certo? Por isso, antes de iniciar a redação faça uma boa pesquisa sobre a temática. 

– Descubra para quem você está falando: definir o público alvo do seu texto é essencialmente importante, visto que para cada tipo de público é necessária uma estratégia de conteúdo.  

– Evite períodos longos: aplicar parágrafos curtos é muito importante, principalmente para a rápida leitura e fácil entendimento do conteúdo. Escrever frases longas pode complicar a análise, além de dispersar o leitor. 

– Cuidados com a pontuação: a organização do conteúdo só é garantida com a correta aplicação da pontuação. É importante salientar que empregar corretamente vírgulas e demais pontos evita a ambiguidade (duplo sentido). 

– Utilização de termos rebuscados: a fim de agradar, é comum os candidatos utilizarem termos difíceis em seus textos. Entretanto, muitas vezes o real significado das palavras é desconhecido. É importante salientar que, na maioria das vezes, "o menos é mais"! Aposte em palavras simples, que sejam entendidas por todo e qualquer leitor. 

– Organização dos blocos de texto: organizar o texto significa, também, evitar a repetição de palavras, frases e ideias. Aliás, o pleonasmo é uma das figuras de linguagem mais comum utilizada pelos brasileiros e pode, inclusive, modificar a sua ideia, mesmo que discretamente. 

Devemos salientar que tais dicas podem ser aplicadas em todos os tipos de redação, seja nos exames de vestibular, concursos públicos e ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio. 

Por Tati M.


Sentir sono durante a rotina diária de estudos é bastante comum entre os estudantes, principalmente quando o volume de conteúdo a ser revisado é alto – como nos processos seletivos, concursos públicos, vestibulares e ENEM. Segundo professores, para evitar que o sono apareça inesperadamente, a regra principal é dormir bem à noite, no mínimo, por 8 horas consecutivas

Entretanto, além de uma boa noite sono, existem algumas formas de evitar o cansaço e, consequentemente, o sono. Listamos em nosso artigo 5 dicas infalíveis para você não sentir sono enquanto estuda. Confira a lista: 

1 – Alimentação correta: 

Que alimentar-se corretamente é bom para a saúde todos sabem. Porém, os efeitos de uma boa alimentação podem ser decisivos em muitos fatores, incluindo os estudos. As refeições mais leves e saudáveis, como saladas e alimentos integrais reduzem a sensação de sono após a ingestão. Uma excelente dica é evitar pratos carregados como churrascos, feijoadas e carnes ricas em gordura. 

2 – Atividade física: 

Não, não é preciso ser um maratonista expert ou frequentar a academia todos os dias. Basta que você realize pequenos movimentos durante o horário dos estudos, principalmente quando sentir que os olhos estão começando a pesar. Procure levantar-se, alongar-se ou simplesmente ir até a cozinha tomar um copo de água.

3 – Mantenha-se sentado: 

Apesar de ser muito confortável, estudar deitado só aumenta a vontade de tirar aquela soneca. Evite se deitar enquanto lê ou resolve as questões. Se possível, realize tais atividades em um local apropriado para tal, como uma escrivaninha. 

4 – Boa iluminação: 

Estudar em ambientes escuros favorece a produção de melatonina. E, quando mais melatonina no organismo, maior é a sensação de sono. Mantenha uma boa iluminação no seu local de estudos, seja este o quarto, a sala ou o home office.

5 – Aposte na cafeína: 

A cafeína, quando consumida com moderação, é um excelente despertador para o organismo. Pode ser encontrada no café, chá preto e também no açaí. Preste atenção à quantidade consumida: cafeína em excesso pode causar problemas cardíacos e nos ossos. 

+ uma dica: o bom e velho banho gelado é uma opção certeira para espantar o sono. Quando começar a sentir sono, dê uma pausa nos cálculos e tome aquela ducha fria.

Por Tati M.


Nos dias de hoje não é raro encontrarmos pessoas que possuem grande dificuldade em memorizar determinado assunto. Diante disso, muitos são os fatores criados por especialistas para ajudar nessa tarefa. Porém, nem todas são eficazes e fornecem um bom desempenho. Sendo assim, vamos abordar neste artigo algumas dicas que irão fazer com que você memorize de forma mais rápida e eficaz.

A princípio é importante destacar que nosso cérebro é como uma máquina que precisa ser constantemente aprimorada para não definhar. É como se fosse um computador super moderno que possui capacidade infinitamente superior a de um computador normal. A primeira dica e considerada a melhor é o hábito da leitura. Ela continua na frente de outras atividades, como: xadrez, palavras cruzadas, entre outros. Todavia, não basta simplesmente ler, pois essa é uma tarefa passiva. É importante que o estudante reflita sobre o que está sendo lido para que não fique desatento ou distraído, uma vez que uma das grandes aliadas da memória é a atenção.

Entretanto, se, ainda assim, o estudante tiver dificuldades ao ler, recomenda-se a leitura em voz alta, pois estudos revelam que a repetição auditiva permanece por mais tempo na memória que a imagem visual. Com isso, o fato de ouvir ajuda a gravar mais que o simplesmente ver escrito num pedaço de papel. Com essa técnica o candidato pode utilizar algumas associações mnemônicas ou trechos importantes de determinadas matérias.

Cabe salientar que nenhuma técnica de memorização será eficaz se o estudante for desorganizado, isto é, ter disciplina para estudar e organizar o conteúdo em questão. É muito importante que sempre ao terminar uma aula, o aluno dê uma revisada no assunto que foi abordado e faça uma rápida síntese do que aprendeu. Na aula seguinte, antes de iniciar a matéria, o aluno precisa reler a síntese da aula anterior. Esse método é indubitavelmente considerado um dos mais eficazes se comparado a outros indicados por neurocientistas.

Por Luciana Viturino


Não é raro encontrarmos estudantes cheios de manias que atrapalham a produtividade nos estudos. Diante disso foi feito uma pesquisa que relatou quais são os piores fatores que atrapalham a vida dos estudantes. Desta forma, vamos abordar neste artigo as dez principais atitudes que pode arruinar o seus estudos.

O primeiro fator negativo e que recebeu os maiores votos está no telefone e nas mensagens de texto. Hoje em dia com as novas tecnologias e a criação de vários bate-papos, como é o caso do Whatsapp, alguns estudantes têm perdido muito tempo com isso. Se não tomar os devidos cuidados, esses aplicativos podem engolir o tempo de estudo do indivíduo.

Em segundo lugar está a fofoca com os amigos, a qual faz os estudantes perderem tempo e muitas vezes com assuntos dispensáveis. Em terceiro e quarto lugar está a internet e as mídias sociais, que têm feito o aluno ficar um bom tempo pesquisando páginas de menos importância e que pode se tornar um vício. O quinto culpado encontra-se nos intervalos para lanches ou fumar, no caso dos fumantes. Algumas vezes, se o intervalo é de 15 minutos, o estudante acaba se esquecendo e prolonga esse tempo, o que prejudica o cronograma diário.

Em sexto lugar, um dos fatores externos que mais atrapalham é um ambiente de estudo barulhento, pois faz com que o aluno não se concentre 100% nos estudos e demore mais tempo para aprender determinada disciplina. Em seguida, está a interrupção de familiares, a verificação de e-mails, a conversa quando o estudo é em grupo, e por fim, as chamadas em viva voz dos colegas de turma. Esses são os principais fatores que atrapalham a vida do estudante.

Se você se encontra com um dos problemas acima, procure tomar algumas providências e sanar o que atrapalha. Assim, você levará menos tempo para aprender o assunto e ser aprovado no concurso ou vestibular que deseja.

Por Luciana Viturino 


Um dos graves problemas hoje encontra-se no fato de conseguir se concentrar inteiramente nos estudos e livrar-se de fatores externos. Atualmente, o mundo moderno conectou toda a sociedade à interatividade, o que faz com que o estado de alerta e a distração andem juntos. Não é raro encontrarmos essa dependência tecnológica que faz com que muitas pessoas experimentem a sensação de aflição por não receber ou compartilhar informações.

Com isso, vamos dar algumas dicas importantes para você se livrar desses vilões que têm atrapalhado a sua vida. A princípio, aprenda a baixar o fluxo dos pensamentos a um nível parecido com a meditação. Isso esvazia o cérebro de outras preocupações e assuntos paralelos. Caso haja dificuldades, foque em algum ponto estático. O desafio aqui é livrar-se da imensa gama de pensamentos que causam ansiedade.

Alguns livros e exercícios proporcionam essas habilidades. É o caso daqueles que possuem alto nível de dificuldade, pois fazem com que os alunos se concentrem mais. Tenha em mente que você terá de ter uma rotina de estudos. Nesse momento não misture tarefas. Tome café na hora do café, trabalhe na hora do trabalho, e estude quando tem que estudar.

Além disso, trace metas daquilo que precisa ser estudado diariamente e a cada hora ou hora e meia, faça pequenos intervalos para descansar a mente. Se for preciso, realize uma lista com tudo o que precisa cumprir. Cada vez que concluir uma tarefa, você ganha um ponto, e se o trabalho for grande, dois pontos. Quando chegar a cinco pontos você se dá um presente. Com dez, você se proporciona meia hora de descanso.

Atente-se também para os estudos em grupo, pois podem ser uma boa tática para a apreensão do conteúdo, porém, isso exige regras de como o programa funcionará, para que não se transforme em encontros para fofocas. Se for preciso faça uma lista do que distrai você.

Por Luciana Viturino


Hodiernamente, não é raro encontrarmos estudantes que precisam trabalhar durante os estudos. Seja para pagar os próprios estudos, seja para ajudar no sustento da família em casa. Poucos são os que têm condições financeiras de ficar o dia todo somente por conta dos estudos. Desta forma, vamos abordar alguns aspectos dos benefícios de se estudar à noite.

Especialistas afirmam que um das melhores formas de gravar determinado assunto é no decorrer da noite, haja vista o silêncio ser maior e as poucas distrações durante esse período, as quais favorecem a concentração. A ausência de sons externos é o principal fator que leva inúmeros alunos a estudar nesse período. Todavia, para pegar nos livros esse horário são necessários alguns cuidados, pois, caso contrário, o aluno poderá desenvolver alguns hábitos que prejudicarão o desempenho escolar. O fato de dormir tarde, não ajuda as notas se o estudante não tiver qualidade no sono.

Outro fator que precisa ser levado em consideração é estudar numa mesa e com o ambiente iluminado. Ler deitado na cama é “pedir pra dormir”, além de ser uma péssima ideia para quem deseja manter a concentração. Ambientes pouco iluminados também dificultam o aprendizado.

Desta forma, se você está cansado de estudar durante o dia e não consegue obter bons resultados, é importante seguir essas dicas e verificar o desempenho durante o período noturno. Pode ser que essa melhora escolar se encontre nesse turno.

Ressalte-se que, cada estudante precisa pesquisar técnicas de estudos e se adequar a que for melhor. Não há uma técnica específica para todos os alunos, uma vez que cada pessoa tem sua individualidade e rende melhor de determinada forma. Porém, quando um estudante utiliza vários tipos de técnicas para aprender um assunto, pode ser que ele seja mais bem gravado. Como, por exemplo, utilizar videoaulas, leitura de livros e resolução de exercícios em seguida, é uma excelente tática para aprender um assunto.

Por Luciana Viturino


Esse é um período onde muitas pessoas estão estudando e já se preparando para a maratona de provas e de processos seletivos que vão acontecer no segundo semestre deste ano de 2014, como por exemplo, prova do Enem, que é uma das mais importantes, pois existe a possibilidade de conseguir bolsas de estudos em universidades públicas e privadas.

E como essa é uma fase onde os alunos precisam estudar durante muitas horas é preciso também se preocupar com a alimentação para os vestibulandos, e aqui vamos postar algumas dicas de como se organizar também nesse seguimento.

A primeira coisa que se deve ter em mente é que ninguém consegue manter um bom ritmo de estudos caso não se alimente bem, por isso, mesmo que isso leve algum tempo, é preciso sim parar um pouco para ter uma alimentação leve e saudável.

O indicado é fazer uma alimentação em um período de 3 em 3 horas, e durante esse tempo é preciso intercalar as principais refeições do dia, como o café da manhã, o almoço e o jantar. Coma alimentos leves, como frango grelhado, arroz integral e feijão sem caldo. Frutas também são recomendadas.

De acordo com alguns nutricionistas, o ideal mesmo é ter pelo menos 5 refeições ao dia para manter uma boa concentração e a boa disposição para conseguir ficar por mais horas estudando.

Mas vale também ressaltar que a rotina alimentar deve ser alterada aos poucos, até que o organismo comece e se acostumar.

É ideal também beber pelo menos 1 litro e meio de água durante o dia, e beber outros tipos de bebidas como água de coco ou suco natural.

Evite o consumo excessivo de café, de guaraná natural ou de mate, pois isso pode fazer com que você tenha insônia e isso prejudica o seu desempenho no outro dia.

Alimentos como lanches de fast food, salgadinhos, doces e refrigerantes devem ser evitados durante essa fase, pois além de não serem saudáveis, eles ainda podem prejudicar na sua concentração, pois podem causar enjoos e outros tipos de mal-estar.

Por Josiane Fernandes de Jesus


Adquirir o hábito de escrever não é tão fácil quanto parece, uma vez que exige do aluno alguns cuidados especiais com a leitura, caligrafia e regras ortográficas. No entanto, é possível alcançar a nota máxima no Enem quando o candidato se atenta a esses fatores. Diante disso, vamos abordar algumas dicas de como escrever melhor, feitas por estudantes de exames anteriores que tiraram notas máximas.

Primeiramente, é importante destacar que dos mais de 5 milhões de textos corrigidos apenas 481 receberam notas máximas. Desta forma, o primeiro fator a ser levado em conta são as normas da língua portuguesa, isto é, ter um bom livro de gramática junto a um bom dicionário durante os estudos. Cabe salientar que não existe fórmula mágica para alcançar uma nota máxima, é necessário que o estudante se adapte à prática de redigir diariamente e estudar o máximo que puder.

Outro fator importante é a prova. O candidato que almeja ser um dos destaques no exame precisa conhecer o exame e verificar os que foram aplicados anteriormente. Isso fará com que você saiba o tipo de prova que está lidando. Em seguida, leia e escreva muito, bem como se mantenha atualizado com o que acontece no mundo, através de jornais, revistas e internet. Isso ajudará na hora de emitir uma opinião ao examinador. A leitura de filosofia também pode ser útil, pois ensinará como os grandes filósofos pensavam.

Diante disso, o estudante precisa tomar bastante cuidado com a linguagem utilizada e evitar gírias, bem como clichês ou ditados populares. Evitar, ainda, expressões como “eu acho” ou “eu acredito”. Conhecer as conjunções da língua portuguesa pode ser um diferencial na hora da prova, pois fará com que o examinando saiba conectar orações e estabelecer relações de sentido.

Por fim, antes de iniciar a prova, coloque no rascunho as principais ideias sobre o tema proposto e redija baseado nelas.

Por Luciana Viturino


Com a imensa quantidade de vestibulares que temos nos dias de hoje, juntamente com a gama de concursos públicos com inscrições abertas nem sempre é tão fácil decorar toda a matéria. Muitas vezes o aluno não consegue memorizar melhor o assunto que foi dado em sala. Desta forma, vamos falar a respeito das melhores táticas para se memorizar mais e melhor.

Treinar a memória é como praticar uma atividade física, tem de ser exercitada diariamente a fim de garantir um bom desempenho. Assim, uma das melhores formas de garantir um bom desempenho continua sendo através da leitura. Ela supera a prática de outras atividades como xadrez e palavras-cruzadas. No entanto, não basta que o indivíduo apenas leia, ele precisa refletir sobre o que está sendo lido. Especialistas afirmam que aqueles alunos distraídos ou desatentos não conseguem ter um bom rendimento das informações desejadas. Por isso, uma das maiores aliadas da memória é a atenção, pois sem ela, ninguém memoriza nada.

Além disso, alguns mestres dão dicas aos alunos e dizem que uma das formas de se memorizar determinado assunto é através da leitura em voz alta e posteriormente gravar o que está sendo lido para ouvir depois. A repetição auditiva tende a permanecer por mais tempo na memória do que a imagem visual.

Há também outra forma de memorizar que é através de associações mnemônicas. Contudo, é importante salientar que nenhuma técnica trará bons resultados se o estudante for desorganizado, pois, assim, ele não conseguirá organizar as informações no cérebro e ao realizar uma prova, terá dificuldades para localizar a informação. Cabe lembrar que, o uso de resumos das matérias estudadas também são bons aliados quando se quer manter um assunto na memória. Ao término de cada aula, é importante que o aluno faça uma síntese do que foi aprendido e no dia seguinte, antes de retomar a matéria, que o aluno novamente releia a síntese da aula anterior.

Por Luciana Viturino





CONTINUE NAVEGANDO: