Confira aqui algumas dicas para a Prova de Matemática do Enem 2018.

Se o leitor irá participar do Exame Nacional do Ensino Médio em 2018 ou conhece alguém que deve prestar ao exame, não deixe de acompanhar as nove dicas a seguir que foram selecionadas com o intuito de auxiliar o participante a obter um bom desempenho na prova de Matemática.

As dicas selecionadas foram realizadas para que o participante consiga realizar toda a prova de Matemática, otimizando o tempo gasto em cada questão e, por consequência, aumentando as chances de alcançar uma pontuação alta. Portanto, se deseja obter um bom desempenho nas 45 questões de Matemática, não deixe de acompanhar as informações que devem ser fornecidas a seguir.

Para quem não conhece o Enem, a prova de Matemática do exame é uma das mais temidas, senão a mais. Isso porque a educação brasileira apresenta grandes déficites no ensino de Matemática, tanto na rede privada, mas, especialmente na rede públca. E a prova de Matemática corresponde a 25% da nota total do exame. Desse modo, a pontuação do candidato nessa área é extremamente importante, uma vez que faz toda a diferença, principalmente no resultado final. Somando o fato de haver inúmeras questões, o que deixa a prova cansativa, o candidato já teme as questões por natureza. Dessa forma, com o objetivo de ajudar os candidatos que precisam fazer a prova no final desse ano, reunimos algumas dicas, a fim de auxiliar e diminuir a pressão, especialmente nos dias que antecedem a prova, que sem a menor sombra de dúvidas, são cruciais e podem ser determinates para que o candidato consiga o tão almejado resultado no Exame Nacional do Ensino Médio.

A primeira dica é planejar os descansos para que eles sejam feitos com qualidade. Não é novidade para ninguém que o Enem é um tipo de processo seletivo muito importante, uma vez que ele oferece aos participantes inúmeras oportunidades para que possam ingressar na formação superior, entre outros cursos. Desse modo, muitos dos candidatos não conseguem parar de pensar no peso que essa prova têm em suas vidas e acabam ficando muito tensos. Portanto, é fundamental para o participante do Enem, que na reta final, principalmente, ele realize pausas para descanso e principalmente tire um tempo dedicado ao lazer.

Assim, recomenda-se aos candidatos uma boa noite de sonhos e aos finais de semana, a realização de programas de lazer que não envolvam os estudos, muito menos as provas, uma vez que, para que aconteça o aprendizado é preciso que antes de tudo, haja descanço.

A segunda dica parece óbvia, mas ainda assim, não se pode ignorar, isto é, concentrar-se para realizar a prova é algo fundamental. Concentrar-se, significa que no dia do exame, o candidato não deixe com que preocupações envolvendo outros problemas possa tirá-lo do foco. Sendo assim, é sempre bom esquivar-se de assuntos que podem afeta-lo na hora da prova. Nesse caso, evitar pessoas que discutem sobre os conteúdos que podem cair na prova, pois essa é uma boa saída para se evitar o nervosismo. Além disso, é importante focar em resolver a maior quantidade de questões das disciplinas que foram estudadas e posteriormente revisadas, fruto de um estudo pautado em bastante disciplina. É importante ter em mente que entrar na faculdade é uma consequência de todas essas ações associadas à calma e uma disposição.

Outras dicas, que também são fundamentais para se alcançar uma boa pontuação, são as seguintes: resolver as mais fáceis primeiro e deixar aquelas em que se está com maior dificuldade por último. Isso otimiza o tempo para cada questão. Além disso, é necessário estar atento às pegadinha e treinar interpretação de texto, sem deixar de analisar as figuras, caso a questão venha acompanhada destas. Grifar o que o enunciado está pedindo também é essencial, uma vez que evita que o candidato caia em alguma pegadinha, dando a resposta errada. Outro passo, é simplificar o máximo que puder as contas que devem ser realizadas para se chegar no resultado final. Por fim, muitas questões podem ser resolvidas por lógica, evitando com que o aluno gaste o tempo desenvolvendo equações.

Ana Paula Oliveira Coimbra


Confira aqui algumas dicas para ajudar na escolha do curso no vestibular.

Escolher o curso para prestar vestibular é sempre um momento de indecisão para os jovens. Afinal, enquanto alguns já sabem desde cedo qual carreira desejam construir, a maioria deles ainda tem dúvidas sobre qual direção seguir. Esse é o seu caso? Para tornar esse processo mais simples, você pode adotar alguns métodos que lhe ajudem a chegar à melhor decisão.

Para evitar o estresse e até mesmo uma possível desistência na faculdade depois de já estar cursando a graduação, você pode fazer desde um teste vocacional até conversar com quem já atua na área. Confira abaixo, o que você deve levar em consideração para escolher a sua profissão!

1. Faça um teste vocacional

Para quem não tem nenhuma noção de qual profissão se enquadra melhor ao seu perfil, o primeiro passo é fazer um teste vocacional, que é composto por diversas perguntas objetivas, cuja finalidade é apontar quais áreas estão de acordo com as suas habilidades e preferências.

O teste vocacional pode ser feito rapidamente na internet e para acabar de vez com as suas dúvidas, você pode fazer testes em diferentes formatos. Assim, é possível ter mais precisão na escolha do ramo profissional.

2. Pesquise sobre o mercado de trabalho para os cursos do seu interesse

Depois de descobrir quais são as áreas com as quais você mais se identifica, o ideal é fazer uma pesquisa sobre o mercado de trabalho para esses cursos. Com isso, o estudante pode verificar a atuação e aplicabilidade da atividade na prática.

Procure saber o que de fato o profissional desse setor faz, onde estão as melhores vagas, qual é a média salarial para iniciantes e para quem já tem estabilidade na carreira, a carga horária a ser cumprida, bem como as possibilidades para atuar nesse campo.

3. Converse com profissionais da área

Conhecer a atividade do seu interesse na prática é uma excelente alternativa para decidir se é isso que você realmente quer para a sua carreira. Portanto, converse com profissionais que já estão atuando na área e tente tirar o máximo de dúvidas possíveis.

4. Estude os gastos do curso

O vestibulando também deve se preocupar com os valores que terá que desembolsar para fazer o curso. O primeiro passo é pesquisar quais são as instituições de ensino públicas que oferecem a graduação do seu interesse. Se o curso é ofertado em outra cidade, você terá que se mudar ou se deslocar diariamente para estudar, o que gera custos a serem considerados.

Já, se você vai prestar vestibular em uma universidade privada, é preciso levar em conta o valor da mensalidade, os gastos com a aquisição dos materiais exigidos para as disciplinas, transporte, entre outros.

5. Converse com a sua família

Os seus pais sempre manifestaram o desejo de que você seguisse a mesma carreira que eles, mas você prefere outra área? Nesse caso, nada melhor do que ter uma conversa franca com a sua família para explicar quais são as razões que estão te levando a tomar essa decisão.

Apostar em uma área que você não gosta apenas para agradar os seus pais, além de dificultar o seu processo de aprendizagem na faculdade, também pode contribuir para que você seja um profissional infeliz.

6. Analise a qualidade do curso

Se você já tem uma ideia do que quer cursar, o passo seguinte é buscar informações sobre a qualidade do curso na instituição em que você está de olho. É preciso analisar o corpo docente da universidade, se ela oferece programas de pesquisas, pós-graduação, entre outros benefícios que possam fortalecer o seu currículo para conquistar as melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Texto por Simone Leal


Adotar algumas estratégias para se dar em provas de vestibular ou Enem são interessantes.

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares estão próximos. Esse é o momento em que uma estratégia comportamental e psicológica pode fazer diferença no resultado da prova. Alguns estudantes começam a se preocupar desde já com as provas e entram em um ciclo espiralar de estresse. Já outros, desenvolvem estratégias para controlar a ansiedade e garantir uma mente leve para fazer as revisões necessárias.

Não de hoje já é sabido que o estado psicológico influencia bastante em qualquer tipo de avaliação. Mas, quando o assunto são os vestibulares, o fator “emocional” pesa ainda mais. Isso porque os vestibulares são provas que exigem dos alunos bastante calma e tranquilidade – tanto na hora de lembrar dos conteúdos, quanto nos dias pré-prova. É um dia que define os esforços de um ano.

O desempenho do estudante pode sofrer alterações positivas e ou negativas dependendo do comportamento que ele tiver nos dias próximos a avaliação. É comum que alguns alunos não consigam se desligar da tensão causada pela proximidade do vestibular e, assim, descuidem de fatores importantes como o sono e a alimentação. Um corpo cansado e estressado possui maior dificuldade de concentração, retenção de novas memórias, raciocínio e evocação dos conteúdos estudados.

Para evitar cair nessa espiral de estresse alguns aspectos comportamentais podem auxiliar bastante para o corpo e a mente estarem 100% na hora da prova.

O ideal é traçar uma rotina adequada com os horários da avaliação. Ou seja, se a prova começa 13h, seria interessante organizar os dias que antecedem a data da avaliação com um cronograma diário que permita você estar sereno e acordado às 13h. É contraproducente alterar sua rotina no dia da prova. Por exemplo, possuir uma rotina em que 13h você está dormindo e no dia da prova ter que estar concentrado às 13h.

Outro fator importante é manter uma dieta equilibrada e a prática de exercícios físicos. Isso irá contribuir para que o estresse vá embora e você consiga estar calmo na hora de fazer as revisões. Vale a pena mentalizar o momento em que você receberá a prova, imaginar o cenário em si e evocar uma sensação de calma. Lembre que um pouco de estresse faz parte e até pode ajudar, no entanto, pensar incessantemente na prova pode deixar você ansioso e cansado.

Por Matheus Griebeler


Confira nesta matéria algumas dicas do que estudar para a Prova do Enem 2016.

Estamos em agosto e novembro se aproxima cada vez mais. Os estudantes que irão fazer a prova do Enem estão a todo vapor nos estudos. Mas algumas dúvidas podem aparecer no meio do caminho, como por exemplo, o que estudar para o Enem? Bem, todo conteúdo aprendido durante os 3 anos de ensino médio são de grande importância para a realização da prova, dominar todas as matérias é essencial para mandar bem, mas claro que, existem alguns temas que caem constantemente nas provas.

Para quem está um pouco atrasado nos estudos, não precisa entrar em pânico, ou para quem deseja focar em algumas matérias ou revisar, existem matérias que sempre estão presentes nas provas do Enem, por isso é muito válido dar uma atenção especial a elas. Ficou curioso e quer saber quais são? Confira a seguir.

Vamos começar por aquela matéria que causa arrepio em uns e olhos brilhantes em outros, a Matemática. Uma matéria tão amada e odiada ao mesmo tempo, tem sido cobrada quase sempre da mesma maneira nas edições anteriores do Enem, os temas mais recorrentes são: Álgebra, Equações de 1º e 2º grau, Porcentagem, Operações com Frações, Análise de Gráficos e Tabelas, Estatística, Sistemas e Problemas, Probabilidade, Análise Combinatória e Cálculo de Área, Volume e Perímetro. De acordo com pesquisas feitas por professores de matemática, essas são os temas que mais aparecem no Enem. Fique atento a elas.

Vamos continuar na área de Exatas e vamos para Física. Outra matéria que costuma dar arrepios, mas há quem goste. Vamos aos temas mais recorrentes, que são: Mecânica, Energia, Eletricidade, Termofísica, Onda e Óptica. De acordo com os professores de física, esses temas apareceram constantemente nas edições anteriores do Enem, por isso, é importante dar uma atenção especial a elas.

Seguindo a regra, vamos falar de Química. Outra matéria do grupo das assustadoras, mas vamos lá, os temas que mais caíram nas provas de química foram: Estequiometria, Termoquímica, Neutralização e Oxidação, Equilíbrios Químicos, Ph, Funções Orgânicas e Tabela Periódica. É importante o estudante conhecer bem a tabela e saber procurar os elementos para economizar tempo. E também dar uma olhada mais atenta a esses assuntos em destaque.

Não é exatas, mas faz parte das Ciências da Natureza, vamos falar agora sobre Biologia. Uma matéria bem interessante que agrada muitas pessoas, apesar de ter algumas matérias mais complexas, a biologia encanta. Os temas que mais caem em biologia são: Genética, Ecologia, Evolução, Fisiologia Humana, Meio Ambiente e Imunização. É importante, além de atenção a esses assuntos, o estudante se atentar a questões de saúde atuais, pois o Enem tem costume de relacionar temas atuais com as matérias. Fique atento!

Vamos agora para as Ciências Humanas, começando por História. Para quem gosta de Humanas, essa é a matéria favorita. Os temas mais recorrentes em histórias são: Brasil República, Era Vargas, Brasil Colônia, Cultura Negra no Brasil, Segunda Guerra, Revolução Industrial e Brasil Império. As questões se Ciências Humanas são muito interpretativas, além do conhecimento teórico, é importante saber interpretar bem as questões.

Seguindo, agora vamos ver quais são os assuntos mais abordados em Geografia, assim como em História, as questões de interpretação estão muito presentes, fique atento. Os temas que mais caem em geografia são: questões envolvendo o impacto da tecnologia na vida social e política, Problemas Urbanos, Espaço Rural, Globalização, Impactos Ambientais e Geopolítica. Mais uma vez, leia os jornais, fique atento às novidades do mundo, questões atuais podem cair no Enem.

Indo para as últimas matérias Português e Redação. Como todo o Enem, português não poderia ser diferente, é uma prova que exige um grande grau de interpretação do estudante. Além de interpretação, o estudante tem que prestar atenção em: Gêneros Textuais, Norma Culta e Popular, Funções de Linguagem, Figuras de Linguagem e dentro de Português também é cobrado Literatura, é importante se atentar as Escolas Literárias. E para Redação, muito exercício e muita leitura. Leia bastante, principalmente notícias do Brasil e do mundo, pois com certeza, o tema da redação será sobre algo atual.

Siga as dicas e estude bastante, assim o resultado do Enem será o melhor possível. Bons estudos!

Camilla dos Santos Batista


Dicas para melhorar as táticas de estudo para a prova do Enem.

Como estudar para o Enem? Obviamente não há uma fórmula mágica que permite aos estudantes aprender os conteúdos que irão cair na prova. Mas, certamente, há modos de preparação que podem te colocar um passo a frente nos estudos e lhe render uma ótima nota. Contudo, cada um deve buscar seu próprio método, conhecer suas formas de aprendizagem, e, com isso, aprimorá-las para um melhor desempenho. Mas quais seriam os principais meios de melhorar seus estudos? Em relação a provas de Ciências Humanas, tentarei direcionar algumas dicas para você:

O primeiro passo é conhecer melhor a sua prova. Seja ela como for, Enem ou vestibular, é imprescindível a análise de exames dos anos anteriores para buscar quais são os principais temas abordados. Realize esse exercício com as últimas provas e anote quais os assuntos mais quentes que aparecerão para direcionar seus estudos. Além disso, a realização das provas pode ajudá-los a encontrar suas principais dificuldades em alguns pontos, os quais você deverá dar uma atenção especial.

O segundo passo, também relacionado ao conteúdo, é a análise do edital e do conteúdo programático. Ver quais são os temas mais quentes e relacioná-los com os encontrados no passo anterior. No edital pode haver temas que não caem há anos, mas nem por isso devem ser deixados de lado. Porém, é melhor focar nos assuntos mais quentes.

O terceiro passo: se atualizar. O Enem é uma prova que exige muito do conhecimento interdisciplinar, portanto se você conseguir relacionar os fatos históricos com acontecimentos atuais terá uma vantagem enorme. Por exemplo, a relação dos atentados na cidade de Nice na França com a data que estava sendo comemorada no dia da tragédia, dia 14 de julho, queda da Bastilha, início da Revolução Francesa. Ler revistas, jornais e procurar notícias na internet é um ótimo exercício, pois além de aprimorar sua leitura, o que também é de extrema importância para o exame, você estará se atualizando e compreendendo melhor o mundo ao seu redor.

O quarto passo, consiste justamente em “interdisciplinarizar” o seu estudo. Fazer a análise de imagens, tanto de época quanto atuais. Tentar compreender a fonte histórica dessas imagens e escrever uma reflexão sobre. Esse exercício pode ser feito também quando você for assistir a filmes ou documentários que auxiliarão nos estudos e na compreensão do tema de uma forma dinâmica e divertida.

Por fim, principalmente para a prova do Enem, o quinto passo é focar em História do Brasil. Não é nem um pouco surpreendente que assuntos do nosso país sejam mais frequentes no Exame Nacional. Então uma atenção melhor para esses pontos. Além disso, a atual conjuntura política na qual nos encontramos, exige uma atualização constante em sites confiáveis de noticias, isso também lhe auxiliará no estudo para a prova de redação, que exige ponto de vista, opinião e soluções problemas e intervenção.

Por Jean Carlos Weber Andrades


Confira aqui algumas dicas de tema que podem cair nas provas do ENEM e Vestibular.

Férias, descanso, lazer, tudo de bom, mas para quem está focado no Enem do próximo ano já pode ir dando uma olhada nos temas que podem cair nas provas.

As férias estão quase acabando, fica aquele gostinho de quero mais, sair com os amigos, ver muitos filmes e aproveitar ao máximo. Realmente é preciso relaxar, ano de vestibular e Enem não pode dar moleza e tem muita gente que mesmo de férias aproveita para revisar os estudos. Vale lembrar que sua vaga na faculdade é mais importante e as vezes por um simples detalhe pode-se perder um ano todo.

A professora Saray Azenha, coordenadora do cursinho pré-vestibular do Oficina do Estudante, aconselha o aluno estudar no mínimo umas quatro horas por dia. Segundo ela, sempre intercalando as matérias, num dia estuda as que achar mais pesadas, no dia seguinte optar por fazer uma redação e a leitura de livros, que são obrigatórios no vestibular.

A professora elaborou uma lista com os 10 possíveis temas do Enem que se pode estudar nas férias, confira:

1 – Grandezas e Unidades

Esse é um assunto muito atual e constante nas provas de vestibular e do Enem, exigindo que o candidato realize cálculos e transformações que envolvem as unidades de medidas.

2 – Sistema Imunitário ou Imunológico

É um conjunto de células, tecidos e orgãos que unidas atuam na defesa do organismo humano, contendo o ataque de qualquer invasor que pode vir em forma de bactérias, fungos ou vírus. Nesse caso nosso corpo é dotado de anticorpos para eliminá-los.

3 – Geometria Espacial

É o estudo das figuras geométricas no espaço e as três dimensões que o representam são: altura, comprimento e largura. Geralmente nas provas as questões sobre o tema abrangem cálculo do volume.

4 – Genética

Em biologia dizemos que é o estudo da hereditariedade da espécie humana, as características que passam de uma geração a outra.

5 – Globalização Econômica

É uma descrição do sistema capitalista que mostra aspectos positivos e negativos da economia mundial, como Mercosul e União Europeia.

6 – Química Ambiental

São processos químicos que agem na natureza e podem acontecer naturalmente ou pela mão humana.

7 – Interpretação de Texto

Qualquer prova de vestibular vai exigir a intepretação de textos, o aluno precisa estar apto e com boa concentração, pois os textos costumam ser longos.

8 – As fases do Modernismo

Saber todas as fases do modernismo e o nome das importantes figuras que deixaram sua marca no movimento, será um grande passo para se sair bem na prova de linguagens e códigos.

9 – Brasil Colônia

O aluno deve estudar tudo sobre o tempo em que o Brasil esteve sob o domínio de Portugal.

10 – Redação

Uma boa escrita é fundamental para se sair bem na temida redação, também saber elaborar o assunto. O ideal é treinar bastante, faça uma redação pelo menos uma vez por semana.

Sucesso e ótimas provas!

Por Ruth Galvão


A internet oferece ótimos recursos de estudo para diferentes provas.

Facebook, Twitter, Instagram, Tumblr, Blogs, YouTube, jogos online: tudo isso já faz parte da vida da maioria dos adolescentes. O que muitos não sabem é que a internet também está recheada de conteúdos interessantes para quem deseja utilizar o tempo livre para estudar e não tem condições de pagar um cursinho.

Sites interessantes para estudar:

O destaque vai para o YouTube! YouTube? Sim! Há muitos canais feitos por professores de diferentes áreas de conhecimento com verdadeiras aulas, sendo que alguns são 100% voltados para o ENEM e Vestibular e, por isso, também acrescentam questões destas duas provas e mostram ao estudante a melhor forma de resolvê-las. Fique esperto na busca, pois muitos canais voltados para Concurso Público também podem ser ótimas fontes de estudo para os vestibulandos!

O “vovô” Vestibulando Digital, programa transmitido pela TV Cultura entre 2002 e 2004 não perdeu sua importância, mesmo após uma década. As aulas duram cerca de 15 minutos e agregam as mais diferentes áreas de conhecimento: Biologia, Física, Geografia, Gramática, História, Matemática, Literatura, Química, Redação e também Inglês.

O site da escola Objetivo oferece um excelente recurso para os alunos que querem gabaritar em conhecimentos gerais: Atualidades Online. E não é só de atualidades que o site fala: apresenta dicas de redação, fala sobre os principais vestibulares do país, possui vídeos excelentes de literatura e, além disso, o estudante pode enviar perguntas em tempo real para os professores.

Cuidados na hora de estudar pela internet:

É só alguém pensar “Vou aproveitar e dar uma olhadinha no Facebook” que já era a concentração. O principal problema a ser enfrentado por quem estuda online é resistir à tentação de dar “uma olhadinha” no Facebook, no Twitter, se aquele Youtuber famoso postou um novo vídeo. Tenha disciplina! Se você tirou aquele tempo para estudar, esqueça as outras coisas! De preferência, deixe o celular no modo silencioso e em algum outro cômodo.

Lembre-se de descansar! Estudar horas seguidas sem levantar-se pode ser prejudicial para a saúde e para o rendimento. Estude cerca de duas horas, descanse por alguns minutos: levante-se, faça um lanche, se alongue, navegue na internet. No entanto, fique atento para a hora de voltar a estudar!

A internet possui um oceano de sites e canais interessantes que o estudante pode usar e abusar na hora de estudar para o ENEM e o Vestibular. É claro que exige um pouco mais de disciplina, no entanto, não tira o mérito desta forma de estudo e com certeza ajudará o vestibulando a chegar na prova com uma bagagem um pouco mais pesada de conhecimento.

Por Jéssica Lima Cochete


As Forças Armadas trarão apoio logístico e de armazenamento e tentarão garantir a integridade da prova e o não vazamento dela em redes sociais, como ocorreu nos últimos anos.

As Forças Armadas trarão mais uma vez segurança às provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Com apoio logístico e de armazenamento, tentarão garantir a integridade da prova e o não vazamento dela em redes sociais, como ocorreu nos últimos anos. O apoio foi oficializado pelo MEC no dia 18 de julho por portaria publicada no Diário Oficial da União.

Não é de hoje que Ministério da Educação e o da Defesa trabalham juntos na realização da prova. Desde 2009, essa parceria vem trabalhando para assegurar que a prova não vaze e seja utilizada de forma criminosa. Por exemplo, naquele ano o exame foi adiado devido a um roubo ocorrido em uma das gráficas onde estava sendo impresso, em São Paulo.

ENEM:

As provas do Enem 2016 serão aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro. No primeiro dia, sábado, os candidatos terão de responder questões de Ciências Humanas e Ciências da Natureza, com duração de 4 horas e 30 minutos. No domingo, nas provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e Redação, os candidatos terão 5 horas e 30 minutos para realização do exame.

Não perca a hora: os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília. As provas iniciarão às 13h30. Nos últimos anos, muitos candidatos perderam a prova por atraso. Por isso, tome cuidado para não desperdiçar essa chance.

O exame é uma comprovação dos conhecimentos adquiridos ao longo do Ensino Médio e pode ser utilizado para ingresso e praticamente todas as Universidade do território nacional. Além disso, propicia o candidato a participar do Programa Universidade Para Todos (ProUni) e Fies, programa de financiamento estudantil do governo.

Preparação:

Uma dica para quem está se preparando nessa reta final para o Enem 2016 é utilizar a plataforma do MEC para estudos e realizar os exames de anos anteriores. A Hora do Enem é uma novidade para se preparar nessa reta final dos estudos, lá você pode ver videoaulas, ter acesso ao um plano de estudos adequado às suas necessidades e realizar simulados, tudo on-line no conforto de sua casa. Além de ter acesso a notícias, receber orientações de como se preparar e muito mais. É uma ótima oportunidade para você estudar e se divertir ao mesmo tempo.

Por Jean Carlos Weber Andrades


Veja aqui algumas dicas de como fazer uma boa redação.

Confira aqui 25 dicas para conseguir fazer uma boa redação no ENEM ou Vestibular:

1. A redação precisa de combustível (fonte de dados), comburente (organização dos dados) e ignição (estímulo – porque escrever?).

2. Jogue as primeiras ideias fora, a maioria dos candidatos vai escrever a primeira coisa que vem à cabeça, o óbvio! Lugar comum – Fuja!

3. Só se faz uma boa redação quando se insere novos dados, a base da redação está na informação que obtemos e não no quanto escrevemos.

4. Ampliação de vocabulário – O porquê das coisas, origem das palavras, conotação e denotação, domine!

5. Não espere validação – Só se corrige o ruim, ignora-se o correto.

6. Leitura, leitura e… LEITURA (Clássica) – modelo linguístico!

7. Grandes filósofos, poetas e políticos – Credibilidade!

8. Converse com seu professor, acompanhe a correção quando for possível, ouça o que ele tem a lhe dizer sobre seu estilo.

9. Reescrita, correção de outras redações, troca de redações.

10. Conhecimento de grandes marcos nacionais e mundiais.

11. Pleno envolvimento com questões sobre mulher na sociedade, família, cidadania, efeitos ante e pós-guerra, sustentabilidade, trabalho infantil, etc.

12. Se o argumento a favor é fraco, argumente contra, mesmo que não seja o que pensa!

13. O item 12 só é válido em casos emergenciais, escrever sobre o que se pensa é sempre melhor.

14. Recorra a argumentos irrefutáveis, não ande sobre pontes frágeis e sem retórica (afirmar que a maioria das pessoas não gosta de política não é um fato, é uma suposição. Afirmar que as tecnologias atuais otimizam processos mas também nos toma tempo, é um fato irrefutável).

15. Não use frases feitas, muito “batidas”, ditados populares, gírias, trechos de músicas ou interjeições.

16. Aproximar datas e períodos denotam atenção e domínio do assunto (no primeiro semestre de 2016, na última década, no primeiro trimestre, no século XIX…).

17. Leia e releia antes de transcrever sua redação na folha de avaliação.

18. Verifique a fluidez do texto e se ele fará sentido para qualquer pessoa que o leia.

19. Procure dividir os argumentos em dois ou três parágrafos, para suavizar frases muito longas.

20. Use e abuse da semântica! Ela existe e conspira a seu favor!

21. Analogias pobres não queria, analogias nobres utilize, só não abuse!

22. Não repita a mesma palavra várias vezes e as flexione sempre que possível (educação, processo ensino-aprendizagem, educação, sistema educacional, escolarização, alfabetização, letramento, gestão do ensino, etc).

23. Cuidado com a pressa na transcrição, letras N, M, U, V, R manuscritas sem atenção podem causar problemas de interpretação do corretor.

24. Procure sinônimos (a palavra “gravidezes” existe, mas soa terrível para a maioria, então troque por “gestações”, “períodos gestacionais”).

25. Alimente-se bem, hidrate-se, durma cedo e acorde cedo durante toda a semana do Exame, assim estará adaptado no grande dia, quando precisará estar pronto às 7h.

Boa redação!

Gracieli Borges Ferreira


Confira aqui algumas dicas do que fazer para se dar bem no Vestibular.

As provas de vestibular e ENEM se tratam de provas extensas, de longa duração e que testam o conhecimento do vestibulando nas mais diversas áreas do conhecimento, passando pelas exatas, humanas, biológicas, linguagens e conhecimentos gerais.

Para um teste tão extenso como esse, é necessária uma preparação a longo prazo, que costuma acontecer durante todo o ano no qual o estudante pretende prestar a prova. No entanto, pelos mais diversos motivos, essa preparação costuma falhar ou acontecer de forma desorganizada. É importante ter em mente como estudar para ter êxito no dia do vestibular.

Uma das práticas mais comuns é estudar por várias horas uma mesma matéria. O resultado disso é que o vestibulando acaba aprendendo uma boa parte de algumas matérias, enquanto fica sem aprender outras matérias importantes. Por esse motivo, o recomendado é estudar a matéria no mesmo dia que teve a aula dela. Se a aula durou cerca de 50 minutos, deve-se estudar os 50 minutos daquela mesma matéria no mesmo dia. Após esse tempo, mude de matéria e estude 50 minutos de outra. É melhor possuir um conhecimento razoável das matérias que serão exigidas do que saber muito sobre poucas e nada sobre outras.

Crie um sistema que permita o estudo das matérias. Pode-se utilizar o despertador do celular para saber a hora de começar o estudo de outra disciplina. Mesmo que não consiga concluir todos os exercícios no tempo estabelecido, guarde-os para o fim de semana. Os fins de semana devem ser utilizados principalmente para resolver exercícios das matérias em que se tem maior dificuldade, treinar redação e ler revistas e jornais.

Evite qualquer tipo de tecnologia enquanto estiver estudando. O computador, o celular e até mesmo a música irão tirar sua atenção do objetivo principal, pois seu subconsciente estará prestando atenção em todo o ambiente à sua volta. Além do mais, se permanecer em redes sociais são grandes as chances de que o estudante irá pausar o estudo a todo momento para checá-las. O ideal é um local silencioso e um bom material didático.

No entanto, lembre-se que não se deve estudar 24 horas por dia. É ideal estabelecer horários e prazos, pois os momentos de descanso são ideais para a mente funcionar adequadamente. Algumas horas de distração são essenciais e não devem ser dispensadas.

Também é de grande importância manter um sono regulado. Estudar a madrugada inteira só fará com que o vestibulando esteja extremamente cansado no dia seguinte e não consiga manter atenção na sala de aula e, até mesmo, nos estudos no período da tarde.

Portanto, procure fazer um sistema de estudos regrado e com horários estabelecidos, separando muito bem a hora de estudar da hora de se distrair. Seguindo essas dicas, são grandes as chances de passar no vestibular.

Isabela Palazzo


Confira aqui algumas dicas de como conciliar os estudos com a vida pessoal.

Uma das épocas mais estressantes para o estudante é o período de vestibular. Conciliar coisas como vida pessoal, estudos e família pode não ser tarefa fácil para algumas pessoas. A pressão e expectativa da família e amigos também podem gerar um desconforto e cobranças pessoais muitas vezes inalcançáveis. Confira algumas dicas de como administrar bem seu tempo e evitar a sobrecarga de estudos, que pode gerar desde estresse até transtornos físicos.

– Faça uma lista de prioridades: as matérias que o estudante tiver maior dificuldade devem ser as mais estudadas, para evitar que o conhecimento não seja fixado.

– Anote os pontos fracos: anotar aquelas partes que precisam ser relembradas ajuda a ter domínio sobre seu real conhecimento.

– Faça pausas entre as matérias: nada de querer emendar um assunto no outro sem nem parar para descansar. Faça blocos de estudo com pausas entre as disciplinas, para que o cérebro possa retomar as atividades sem pressão. O tempo de descanso pode variar entre 15 minutos a meia hora. Em alguns casos, o estudante pode até fazer intervalos maiores, de 1 hora. Tudo vai depender do nível de estudo e do desgaste sofrido. Durante esse tempo de relaxamento procure atividades que te dão prazer: jogar vídeo game ou mexer no computador podem ser boas alternativas. Procure não pensar nos estudos nesse período de tempo.

– Respeite o tempo de descanso: mesmo que o seu relógio desperte para sua pausa durante um assunto importante, respeite o tempo da pausa. Anote onde parou e depois volte, com o cérebro mais relaxado. Sua produtividade com certeza será maior.

– Tire um dia de folga: é estranho falar em folga quando o vestibular se aproxima e todos os seus concorrentes estão em um ritmo acelerado de estudos não é mesmo? Mas a realidade é que todos precisam de um tempo para a diversão. Tirar um dia para se dedicar à família, amigos, namoro e coisas que te agradam, além de ser extremamente saudável, pode ajudar a criar ainda mais laços afetivos, muito importantes para essa fase da vida.

– Não se cobre demais: a busca pela perfeição, em alguns casos pode levar o estudante a um desgaste físico e emocional extremo. Defina metas realísticas. Nem sempre a aprovação virá no primeiro ano. Saiba disso, respeite seus limites. O processo de aprendizado é diferente para cada pessoa. Se não for dessa vez, respire fundo e tente novamente. O importante é não parar de tentar.

Rodrigo Silva


Confira aqui uma lista de filmes que ajudam na hora de estudar para o vestibular.

Muitos vestibulandos já vêm se preparando para o ENEM e para os Vestibulares 2016. Em meio a rotina de estudos, uma boa forma de descontrair e aprender ao mesmo tempo é assistindo filmes! Isso mesmo, muitas obras contem informações importantíssimas que podem te ajudar na hora da prova.

Então, se liga nessa lista e aproveite para aprender com um bom filme:

– Que horas ela volta? (2015): O filme de Ana Muyalert fez grande sucesso nas telonas no ano passado. Embora seja um filme atual, ele aborda um tema presente na nossa sociedade há anos, que a relação entre o patrão e a empregada, além de uma abordagem acerca da luta de classes.

– O ano em que meus pais saíram de férias (2006): Um filme de Cao Hamburger, que conta a história de um garoto de 12 anos que viu os pais serem obrigados a “saírem de férias” durante o regime militar no Brasil, o filme se passa durante a Copa de 70.

– O Nome da Rosa (1986): Um clássico do cinema, o filme de Jean-Jacques Annaud se passa durante a Idade Média, abordando o período do Renascimento, conflitos religiosos e sexuais da época.

– O dia que durou 21 anos (2012): O documentário dirigido por Camilo Tavares traz a tona a verdade sobre a participação dos estadunidenses no golpe de 64.

O pianista (2002): O filme se passa durante a Segunda Guerra e conta a história de um rapaz que sofreu de perto os horrores nazistas. Uma bela obra sobre o holocausto e a vida dos judeus durante esse período.

– O menino do pijama listrado (2008): Também se passa durante a Segunda Guerra e mostra de perto a rotina de um campo de concentração e tem como protagonista duas crianças, uma judia e a outra alemã. Uma obra fácil de entender e de se emocionar.

– A lista de Schindler (1993): Vem pra completar a lista de obras sobre a Alemanha nazista. Um dos maiores filmes de Steven Spielberg e que conta a história de Oskar Schindler, um empresário alemão que deu emprego para mais de mil judeus, salvando suas vidas.

– Adeus, Lenin (2002): O filme mostra as drásticas mudanças que ocorreram em Berlim após a queda do muro em 1989, principalmente do lado Oriental, dominado pelo comunismo.

– Promessas de um novo mundo (2002): É um documentário israelense que conta com a participação de sete crianças que vivem o conflito entre Israel e a Palestina.

E aí, preparados para a maratona?

Por Tom Vitor de Freitas


Confira aqui algumas dicas que podem ajudar na hora de escolher uma faculdade.

Muitos jovens sofrem com a pressão, já no Ensino Médio, de escolherem uma carreira e as universidades que prestarão vestibular. A escolha não é fácil, afinal, como saber se a universidade ou faculdade é boa? Muitas pessoas acabam optando pelas mais barata ou que possuem algum tipo de programa de financiamento ou bolsas, mas serão essas de fato é a melhor opção?

Separamos algumas dicas que vão te ajudar a fazer a escolha certa.

É essencial que o vestibulando consulte as avaliações feitas pelo MEC (Ministério da Educação). Basta acessar o site do MEC e procurar pelas faculdades que pretende cursar e então é possível verificar o Índice Geral de Cursos (o IGC, que varia de 1 a 5), que avalia a instituição e ao escolher um curso especifico da faculdade é possível conferir o Conceito Preliminar do Curso, também com notas que variam de 1 a 5.

A partir desse passo, é possível eliminar algumas das opções e terem algumas como principais escolhas. É importante também visitar a instituição. Comece pelo site, conheça um pouco e veja se ela se encaixa nas suas expectativas, em seguida procure por uma visita monitorada. Avalie a estrutura do local, uma universidade de comunicação deve ter bons equipamentos de fotografia, gravação, além de bons estúdios. Já uma faculdade de engenharia deve ter bons laboratórios. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas.

Conheça o corpo docente, é importante que a universidade tenha profissionais qualificados, mestres e doutores, isso também serve de critério para a avaliação do MEC.

Agora verifique o valor das mensalidades, um valor muito elevado por vezes se torna inviável, mensalidades muito baratas talvez indique uma baixa qualidade do curso. Pesquise e compare com as outras instituições. Verifique se há programas de bolsas e programas do governo como o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), além do Sistema de Seleção Unificada (SiSu), que ajuda a encaminhar o vestibulando para uma universidade pública.

Converse com alunos e ex-alunos, os grupos de redes sociais são ótimos para isso. Conheça suas opiniões sobre a instituição e suas colocações no mercado de trabalho.

O MEC também disponibiliza em seu site um ranking com as melhores universidades segundo as avaliações do IGC.

Por Tom Vitor de Freitas


Confira aqui algumas dicas na hora de escolher um curso de graduação.

Uma das mais importantes questões para os vestibulandos, além de passar no vestibular, é a escolha do curso de graduação ideal. Mais do que uma simples escolha, o curso se trata do conteúdo que o estudante precisará aprender além da profissão que poderá vir a exercer no futuro e, exatamente por esse motivo, muitos se sentem confusos e extremamente indecisos.

O primeiro passo a se dar para fazer uma escolha é conhecer bem a si mesmo. Dessa forma ficará mais fácil encontrar as áreas do conhecimento com as quais o candidato tem mais afinidade. Além do próprio “eu”, as outras pessoas podem ser consultadas também, como por exemplo os amigos e família.

Caso o estudante esteja completamente perdido em relação aos cursos e o conhecimento que eles oferecem, uma boa dica é começar pensando sobre qual carreira se gostaria de seguir. Procure pensar na profissão em que se sentiria confortável e trabalharia gostando do que faz. Lembre-se que a carreira vai além do simples trabalho, ela une todos os conhecimentos que a pessoa possui. A partir do momento em que se tem uma carreira em mente, é possível começar a traçar o caminho que deverá ser feito para que o objetivo seja alcançado.

Analise suas próprias habilidades e também quais as matérias com as quais você tem mais afinidade. Pense nas carreiras que são mais relacionadas com sua personalidade e pesquise sobre cada uma delas. A pesquisa pode ir além da leitura, sendo incorporada com palestras, participação em congressos e até mesmo conversando com profissionais da área pretendida.

Essas pesquisas devem ter o objetivo de descobrir quais áreas do conhecimento são mais atrantes para o estudante. Assim, se terá um melhor “filtro” para decidir um curso que tenha relação com essas áreas. Decidir um curso sem saber o caminho que ele pode te levar pode acabar sendo um desperdício de tempo.

Quando tiver uma carreira em mente, pense em qual ponto dessa carreira se quer chegar, pois existem várias profissões dentro de uma carreira. Quando seu ponto estiver definido, é a hora de observar o que será necessário aprender dentro dessa profissão, para que assim o estudante tenha como objetivos também cursos preparatórios de idiomas e estágios.

Portanto, o estudante que estiver com dúvidas sobre a escolha de seu curso pode começar partindo da carreira que gostará de seguir. Daí em diante, é necessário descobrir sua afinidade com determinadas áreas do conhecimento e conferir a compatibilidade com a grade curricular do curso de graduação pretendido.

Isabela Palazzo


Confira aqui algumas dicas de como fazer uma boa redação.

Quase todos os vestibulares brasileiros e o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) exigem do candidato na hora da prova a elaboração de uma redação, quase sempre no estilo dissertativo-argumentativo e muitas vezes é preciso escrever um bom texto para ter a chance de ser aprovado naquela universidade dos sonhos. Mas afinal, escrever uma redação é mesmo um bicho de sete cabeças?

Não. Muitas pessoas alegam extrema dificuldade na hora de dissertar, outras acham super fácil, mas a verdade é que a habilidade escrita é desenvolvida com muita prática e leitura, sendo que algumas dicas também podem dar aquela forcinha.

Primeiro, entenda a estrura de um texto, entenda cada uma das partes que o formam. A intrudução é formada quase sempre por um único parágrafo, nada muito longo, nele deve-se apresentar o assunto que será tratado ao longo do texto. No desenvolvimento é onde se organiza todo o pensamento do texto e apresenta-se os argumentos, algo em torno de 2 ou 3 parágrafos, ou 14 a 18 linhas. A conclusão é o fechamento da redação, é apresentada uma solução, a conclusão propriamente dita, não muito extenso, um parágrafo é suficiente.

É importante que você seja claro e objetivo, não repita palavras, use sinônimos se necessário, não utilize gírias e evite palavras no gerúndio.

Após estudar toda essa estruturação é importante praticar bastante, na rotina de estudos para o vestibular escreva uma redação semanalmente, procure também os temas das redações passadas de algumas universidades. Algo muito importante é manter-se atento ao tema e não sair dele. Muitos candidatos chegam a zerar por fugirem demais do assunto proposto.

Esteja informado, muitos temas cobrados nos vestibulares exigem seu conhecimento sobre assuntos atuais, então leia bastante jornais, revistas, sites e acompanhe os noticiários.

Na hora da prova mantenha a calma e leia a proposta com atenção, no rascunho estabeleça os pontos que irá abordar e comece a dissertar a partir deles. Sempre leia o último parágrafo escrito para não perder o foco. Leia e releia seu rascunho antes de passar a limpo. E claro, não se esqueça do título, de preferência deixe-o por último.

Entenda que não é preciso ser um escritor para apresentar uma boa redação, é necessário atenção e prática, é avaliado a sua capacidade de organização do texto e seu raciocínio sobre o assunto e não a sua opinião de fato.

Por Tom Vitor de Freitas


Confira aqui algumas dicas de como estudar e se prepara melhor para os vestibulares.

Muitas faculdades no Brasil inteiro estão com inscrições abertas para o vestibular de meio de ano, outras já começaram a disponibilizar o calendário para o processo seletivo do ano que vem, como a Fuvest. Mas afinal, como se preparar para todas essas provas?

Algumas dicas são fundamentais, mas é essencial se preparar com antecedência.

Estabeleça uma rotina. Tenha em mente que não é saudável estudar o dia inteiro de segunda a segunda. Separe um tempo para os estudos, mas não deixe de lado algumas horinhas para o lazer. É importante manter um hábito diário, então tenha um horário fixo, quatro horas diárias já é suficiente.

Quais matérias estudar? Faça um cronograma, defina os dias e horários para o estudo de cada disciplina, dê prioridade para as que tem mais dificuldade.

Procure um lugar tranquilo, bem iluminado. Pode ser seu quarto, bibliotecas, cafés ou centros culturais espalhados pela sua cidade. Evite estar em contato com as redes sociais. Concentre-se.

Reserve um tempo para ler jornais e revistas, além de assistir a noticiários. Esteja bem informado sobre o Brasil e o mundo, isso pode ajudar nas questões de atualidades e no desenvolvimento de uma Redação.

Crie o hábito de resolver exercícios e refazer provas e simulados de vestibulares passados, assim é possível ir se familiarizando com o estilo das provas. Escreva redações. Há diversos sites de estudos que determinam temas e corrigem redações online. Pratique sempre e não acumule dúvidas. Aliás, não deixe para ler as obras obrigatórias na última hora. Leia-os com calma, faça resumos.

É importante também se alimentar bem, evitar comidas pesadas antes de estudar para não se sentir exausto.

Nos finais de semana relaxe, saia com a família, amigos, divirta-se. Pratique esportes e esqueça dos estudos por um tempo, tudo isso também faz parte da rotina e contribui para que não haja esgotamento físico e mental.

E o mais importante: DURMA! Não deixe o descanso para depois, o ideal é que se tenha de 7 a 9 horas de sono por dia. Não estude mais do que o necessário, isso pode causar muito estresse e desânimo.

Cada pessoa possui um ritmo de aprendizado, uma capacidade de concentração diferente, então não cobre-se demais, não compare sua rotina com a de outros estudantes. Entenda seu corpo e seu ritmo, assim é possível aproveitar o melhor de si, sem se desgastar demais.

Por Tom Vitor de Freitas


Confira aqui algumas dicas para melhorar o seu rendimento nos estudos.

Quer ser um bom aluno e melhorar nos estudos? Muitas vezes, tentar apenas estudar sozinho não é suficiente. É preciso mais dedicação, empenho e algumas pequenas alterações de comportamento. Ir bem na escola pode ser muito mais fácil do que você imagina! Confira nossas dicas!

Dicas para se dar bem na escola

1- Anote o que o professor fala:

São muitas informações passadas durante a aula e decorar tudo pode ser impossível. Embora você tenha o livro e a apostila como aliados na hora de estudar. O professor sempre dá dicas na hora da aula. Anote-as em um caderno e utilize para estudar. Veja qual o tema que ele deu mais ênfase, pois as chances desse tema caírem na prova são grandes.

2- Não conseguiu entender, não desanime!

Às vezes acontece de estar na sala de aula e achar que entendeu tudo, mas na hora de estudar as dúvidas aparecem. Se isso acontecer com você, não desanime, sempre tem um colega que tem mais facilidade na matéria. Ligue para ele ou mande email, ele pode ajudar você a entender!

3 – Estudo em grupo:

Se não tiver cuidado, o estudo em grupo pode virar bagunça, mas com um pouquinho de organização vocês podem tirar bom proveito dele. Prefira estudar com um ou dois amigos no máximo, para diminuir a conversa. Se reúnam e um pode ajudar o outro a entender melhor o tema. Discutam sobre a matéria, isso ajuda muito.

4 – Use a internet a seu favor:

Você gosta de navegar? Embora a internet seja um ótimo lugar para se distrair e conversar, ela também pode ser usada na hora do estudo. No Youtube você encontra vídeos dos mais diferentes temas e eles ajudam muito no estudo. Como há vários professores diferentes, cada uma deles têm uma forma de ensinar e, assim, se você não entender o conteúdo com um deles, pode assistir à aula do outro até aprender. É prático e gratuito. Aproveite!

Gostou das nossas dicas? O importante é não desanimar na primeira nota baixa. Peça ajuda a um colega, aos pais ou use os recursos da internet e foque nos estudos. Assim, conseguirá atingir seus objetivos e ter um bom desempenho no ENEM ou em vestibulares. Boa sorte!

Por Milena Godoy


Quem pretende começar a estudar este ano para vestibulares ou o Enem deve organizar a rotina de estudos para dar conta de todo o conteúdo e estudar com qualidade.

É muito importante que um vestibulando saiba organizar seu tempo e seus estudos, para que assim possa aproveitar ao máximo e absorver todo o conteúdo que conseguir aprender.

Se você pretende prestar vestibular ou ENEM em 2016, confira algumas dicas para organizar sua rotina de estudos neste ano.

– A primeira coisa que deve ser feita é montar um cronograma com todos os horários e afazeres. É recomendado que um vestibulando estude cerca de 3 a 5 horas, fora da sala de aula, para conseguir agregar conteúdo e conhecimento. O cronograma deve organizar os horários para estudo, descanso, revisões e trabalho.

– Se o estudante faz um cursinho, deve estudar a matéria da aula no mesmo dia que aprendeu ela. Não é aconselhável deixar para depois, pois o conteúdo irá acumular e logo será esquecido.

– É importante reservar um tempo para ler jornais e revistas ou sites de notícias. Isso auxilia na compreensão de atualidades e conhecimento do que acontece no país. Um bom exercício é ler artigos de diferentes opiniões sobre um mesmo assunto, dessa forma o senso crítico e a argumentação são trabalhados.

– Procure provas antigas do vestibular que pretende prestar e resolva elas. Assim o vestibulando irá se acostumar com o formato de prova e também com o tempo da prova. O tempo é muito importante em uma prova longa, tanto para resolver as questões adequadamente quanto para treinar a mente a ficar horas em uma mesma coisa.

– O estudo deve acontecer de segunda a sábado. Um dia de descanso é essencial para que o desempenho da pessoa na prova seja bom.

– Deve-se revisar o conteúdo do vestibular cerca de 4 a 3 semanas antes da prova. Se o vestibular tiver uma 2ª fase, a revisão para essa fase deverá ser feita assim que o candidato souber que foi aprovado para ela.

– Algumas escolas disponibilizam simulados de vestibular, da mesma forma como acontece de verdade. Faça pelo menos um por mês. Se não for possível ir até a instituição para realizar o simulado, baixe as provas em casa e simule com o tempo exato da prova que pretende prestar. 

Desta forma você poderá se preparar adequadamente para realizar o vestibular ou até mesmo o ENEM no fim deste ano.

Por Isabela Palazzo


Quem irá prestar vestibular ou Enem em 2016 deve ficar atento aos temas mais relevantes que podem aparecer nas provas.

Se você pretende prestar vestibular ou ENEM em 2016 deve ficar atento aos temas que têm mais tendência de aparecer nessas provas. É muito importante ter um bom conhecimento em história, desde a antiguidade até a atualidade.

Veja aqui alguns dos temas de história que são mais cobrados nos vestibulares:

– Antiguidade Clássica:

Um dos conteúdos que com certeza aparece nas provas de vestibular e também no ENEM é a antiguidade clássica de Grécia e Roma. Uma das partes mais importantes relacionada a esse tema é a democracia ateniense. O vestibulando deve ter a capacidade de fazer associações com a democracia de Atenas e a democracia atual.

No que diz respeito a Roma, as noções sobre os triunviratos, leis, religião, conquistas sociais e plebeias é de grande importância.

– Feudalismo:

Sobre o feudalismo, é importante entender as relações sociais e econômicas e como a sociedade feudal se organizava com a Igreja Católica. O estudante deve ter em mente que esse período direciona a transição para o atual sistema econômico vigente, sendo capaz de fazer associações sobre as diferenças sócio-econômicas dos dois sistemas.

– Absolutismo:

 Também chamado de “Antigo Regime”, esse é o período em que o poder era todo concentrado nas mãos de um rei. O vestibulando deve conhecer os teóricos absolutistas mais famosos, como: Thomas Hobbes, Maquiavel e Jacques Bossuet.

– Revolução Francesa:

Resultado do descontentamento de uma grande parcela da população que não possuía participação no sistema econômico absolutista, a Revolução Francesa pode ser considerada como uma das mais importantes revoluções burguesas que já aconteceram. Na prova, podem aparecer questões que pedem para o estudante analisar o cenário de revolução antes e depois da propagação dos ideários iluministas.

– Colonização (Mercantilismo):

Para ter uma melhor compreensão do Brasil colônia, é importante entender o mercantilismo, sendo a prática econômica ocorrida no Absolutismo, que fazia com que nações europeias buscassem metais preciosos em outros locais, principalmente o ouro. A escravidão da população negra foi ocasionada principalmente por esse processo econômico.

– Independência do Brasil:

O estudante deve ter conhecimento do fracasso da economia mercantilista em solo brasileiro, assim como deve saber sobre a abertura dos portos em 1808.

– Dom Pedro II:

No período de D. Pedro II o estudante deve ter noções sobre o ciclo do café, a Guerra do Paraguai e a abolição da escravatura, assim como senso crítico sobre o último tema que pode vir a ser tema de redação.

– Era Vargas:

Sobre Vargas, os pontos mais importantes é sua ascensão ao poder por meio de um golpe de Estado, a criação do Estado Novo e as táticas para aceitação popular com o populismo.

– Ditadura Militar:

Os pontos mais importantes da Ditadura Militar são: a criação do AI-5, a cultura como forma de protesto (músicas, filmes, teatro, etc), o movimento Diretas Já e o Milagre Econômico no governo de Médici.  

Por Isabela Palazzo


Confira aqui algumas dicas para realizar uma boa redação durante as provas do Vestibular.

A redação costuma deixar os estudantes ansiosos e inseguros, uma vez que não é possível saber exatamente o tema dela. Sendo muitas vezes o maior critério em vestibulares para entrar na faculdade desejada, é muito importante fazer uma boa redação. Mas como fazê-la?

O primeiro passo para escrever uma boa redação é saber escrever. Para isso é de extrema importância que o vestibulando leia bastante. Leia livros, jornais, revistas e artigos. A leitura deve se tornar um hábito diário, logo uma pessoa que lê bastante consequentemente irá escrever melhor.

A folha de redação nos vestibulares tem um limite de linhas. Treine para respeitá-las e escrever textos que caibam na folha. Textos muito pequenos irão perder pontuação, assim como textos que não cabem na folha e ficam incompletos.

Fique atento à estrutura de texto exigida no vestibular (dissertação, narrativa, notícia etc). Ela deve ser respeitada e seguida de acordo com a forma de determinada estrutura. No caso da dissertação, tipo de texto exigido mais comum, deve ter um parágrafo de introdução, cerca de três parágrafos de argumentação e um para a conclusão, que no caso do ENEM deve conter uma proposta de intervenção.

Algumas pessoas preferem começar a prova pela redação, embora isso dependa muito do vestibulando que está realizando a prova e como ele organiza seu tempo. Há uma dica para quem não gosta de começar a prova pela redação: Ao abrir a prova leia a proposta de redação e organize um pequeno rascunho apenas com as ideias que tiver em mente, pode anotar em tópicos ou como preferir, em seguida faça a prova. Após a prova faça a redação definitiva. Para algumas pessoas essa técnica pode ser mais funcional, uma vez que durante a prova podem surgir novas ideias até com os próprios textos dentro dela.

Antes de passar a caneta, sempre releia seu texto procurando por erros gramaticais ou frases desconexas e repetidas. A correção é muito importante e pode te poupar alguns pontos que perderia por falta de atenção.

Isabela Palazzo


Confrontar o passado, sonhar, deletar pensamentos negativos são alguns das segredos para conseguir superar os limites.

Superar limites e ter autoconfiança é sem dúvidas muito importante para o autoestima. Sem isso o jovem estudante não consegue seguir em frente, não consegue reconhecer o seu valor e respeitar a si mesmo. A vida possui barreiras e obstáculos capazes de enfraquecer a fé, desanimar e frustrar sonhos vindouros.

As dificuldades de conseguir passar no vestibular ou de ano no colégio, o relacionamento difícil muitas vezes com colegas de sala de aula, a responsabilidade logo cedo de tentar se destacar em meio a tanta concorrência, a baixa renda financeira, a desigualdade social, entre outras situações acabam entristecendo jovens de todo o mundo.

Para superar seus próprios limites é preciso antes de tudo confiar em si mesmo. Ninguém conseguirá desenvolver um trabalho escolar, por exemplo, sem antes confiar que tem capacidade. ”Hoje eu consigo vencer meus limites, antes o que eu achava impossível realizar, agora eu sei que eu sou capaz, pois tenho confiança e sei que vou vencer”, destacou Rafael de Lima, 14 anos, pernambucano.

Para quem não possui este sentimento, a insegurança acaba prevalecendo e tudo que se pretende executar, passa despercebido, pois o indivíduo não acredita em si mesmo e acha que não vai dar certo, preferindo esquecer o sonho idealizado. Este sentimento de confiar em si mesmo é primordial. Para desenvolvê-lo é necessário confrontar o passado, por mais tenebroso que tenha sido e perguntar a si mesmo se o passado tem relevância em sua vida atualmente.

Outra forma de conseguir ter autoconfiança é apagar o que vem lhe desanimando, tentar não pensar em situações negativas e passar a desenvolver atividades que você gosta, lembre de todos os momentos que te fizeram felizes

Sonhe. Imaginar um futuro brilhante, com seus desejos alcançados é outro fator que pode encorajá-lo a ter autoconfiança.

Incentivo dos pais é um ponto muito importante. Quando os pais conversam, dialogam e  transmitem palavras de ânimo aos filhos, eles conseguem passar algo positivo, um estímulo maior que desenvolverá a autoconfiança em seus filhos e, consequentemente, conseguirão enfrentar os seus limites.

Por Erika Amanda Silva de Souza


A matéria é essencial para o desenvolvimento de uma sociedade e possibilita a interpretação de dados coletados

Ao analisar a grade curricular da maioria dos cursos de graduação oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior do Brasil, é muito provável que se encontre ali a unidade curricular (matéria, como já é de costume chamar) de Estatística. Engana-se, e muito, quem pensa que a matéria de Estatística está presente apenas nos cursos que se enquadram como Ciências Exatas.

A Estatística é um campo de estudo muito importante para o desenvolvimento de uma sociedade, pois possibilita a interpretação de dados coletados e permite a interpretação da situação atual de um objeto de estudo, para a tomada de decisões futuras.

A Estatística está presente na vida de diversos profissionais, tanto de forma direta quanto indireta. Na atualidade, a estatística está presente, principalmente, nas seguintes áreas.

– Ciências Naturais (Astronomia, Física, Química…)

– Ciências da Saúde (Biomedicina, Biologia, Medicina…)

– Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciências Políticas…)

– Ciências Sociais Aplicadas (Economia, Contabilidade, Administração…)

– Ciências Comportamentais (Pedagogia, Psicologia, Terapia Ocupacional…)

– Ciências Exatas (Engenharia, Matemática, Atuária…)

A Unidade Curricular varia de acordo com as necessidades específicas de cada curso superior, e depende também da metodologia escolhida pela Instituição de Ensino. No entanto, é de praxe que as universidades ensinem: Arredondamento estatístico; Séries Estatísticas; Preparação de Dados Estatísticos; Média, Moda e Mediana; Medidas de Dispersão e Probabilidade.

Esse conteúdo serve de base, permitindo que o aluno faça uso das técnicas estatísticas para a organização e análise de dados. Para informações mais precisas – pois como já foi dito, a unidade curricular varia de acordo com o curso e a faculdade – sugere-se uma breve visita ao site da universidade, abrir a página do curso e procurar pela grade curricular ou plano de ensino.

A matéria pode ser um pouco difícil para os alunos com dificuldade de raciocínio lógico. No entanto, o conteúdo base da estatística não costuma abusar de cálculos complexos da matemática. Alunos que se identificam com a matéria tem mais chances de atuar com pesquisa acadêmica, pois a estatística é extremamente importante para a investigação e planejamento da ciência.

Sendo assim, fica claro que, diferente do que muitos pensam, a estatística é essencial no dia a dia de diversos profissionais, seja em pesquisas com o consumidor, seja na análise da necessidade de um novo produto no mercado, ou ainda no estudo do comportamento humano.

É muito provável que o estudante universitário se “encontre” com essa matéria, odiada e, ao mesmo tempo, amada por muitos, mas indiscutivelmente necessária para a ampliação do conhecimento.

Por Júnior Beluzzo


Alguns fatores podem ser considerados para ter uma decisão assertiva no momento de escolher a profissão correta.

A escolha da profissão certa geralmente é um dos momentos mais difíceis e complicados na vida da maioria das pessoas. Todos esses pontos complicados são perfeitamente justificáveis e naturais quando se observa o fato de que a escolha geralmente é feita em uma idade onde ainda não se tem muita experiência e nem muito autoconhecimento. Esses dois pontos inclusive podem fazer com que a escolha se torne mais fácil. Mas isso é um privilégio de poucos.

De qualquer maneira, essa decisão pode acabar sendo um pouco menos difícil quando consideramos alguns pontos fundamentais. Confira abaixo algumas dicas simples para ajudá-lo em sua escolha:

– Faça pesquisas:

Nem todos têm uma ideia de qual área se identifica mais. Por isso, é importante que a pessoa comece a fazer pesquisas sobre as mais variadas áreas de conhecimento. Nessa pesquisa podem entrar também quais universidades são interessantes para a pessoa, quais e os cursos que elas oferecem e o que cada curso faz especificamente.

– Conheças as empresas:

Essa é uma boa forma de aprender sobre uma determinada área. Ao visitar uma determinada empresa a pessoa vai ter uma noção de como será a vida profissional depois da formação na universidade. Também é uma boa saída para saber o que há de bom e não tão bom em cada profissão. Assim, fica mais fácil saber o que irá continuar interessante é útil mesmo antes de se formar.

– Orientação profissional:

Esse é muito fácil de ser seguido. Atualmente as pessoas têm mais facilidades e acesso a cursos de orientação profissional. Os testes vocacionais também são interessantes, mas é bom lembrar que estes são muito superficiais. O bom mesmo é aprender com profissionais qualificados na área.

– O autoconhecimento:

Se conhecer pode ser até considerado o ponto mais importante. Se a pessoa sabe exatamente o que sabe fazer bem, que tipo de talento possui, o que a atrai e etc, o caminho para escolher algo que tenha afinidade para ela fica mais claro. É interessante a pessoa ter em mente que a sua vida pessoal interfere diretamente em sua vida profissional. Então, escolher profissão “por achar” ou “por salário” dentre outros tiros sem alvo é uma péssima ideia, além de ser uma completa perda de tempo.

Por Denisson Soares


No início da carreira é preciso ter paciência e correr atrás do que realmente quer.

Depois de decidir que carreira quer seguir, o que vai estudar e quais são seus objetivos, você precisa dar mais um passo: começar sua carreira. E esse pode ser considerado um dos passos mais difíceis, principalmente, se você está em um ambiente desconhecido e totalmente novo para você. Mas calma! Esse não é um problema impossível de se resolver, todos nós começamos de alguma forma nossas carreiras e algumas dicas são muito úteis para te ajudar a dar os primeiros passos em direção ao sucesso.

– Como começar?

O seu primeiro emprego provavelmente não vai ser em um cargo alto ou de alta responsabilidade, o ideal é começar como estagiário na sua área se você é estudante ou até mesmo como aprendiz. Fazer cursos extracurriculares dentro da área que você deseja atuar é um diferencial que as empresas costumam valorizar.

– Tenho vergonha de me expor.

Não tenha medo ou vergonha disso, para adentrar o mundo corporativo você precisa dar as caras, procure pelas melhores oportunidades e use os contatos que tem a seu favor. Todos sabem o quanto essa etapa é importante, inclusive as empresas.

– Consegui um trabalho, como faço para me destacar?

Se a parte mais difícil já foi superada você está no caminho certo, mas precisa tomar certos cuidados para não cair em armadilhas que geralmente pegam profissionais em início de carreira. Não tente ser mais do que é, faça seu trabalho e bem feito, se aparecer algo que você realmente entenda, se proponha a ajudar, mas não tente fazer tudo sozinho, você pode acabar ficando sobrecarregado e não realizar as tarefas com perfeição.

– Quanto tempo vai demorar para eu subir de cargo?

No caso de estagiários, quando o contrato chega ao fim eles são efetivados. E, a não ser que você tenha sido um mau estagiário ou a empresa esteja passando por momentos difíceis, você terá sua vaga garantida. E então vários fatores estão envolvidos em subir de cargo novamente, e não depende 100% de você, mas se fizer sua parte bem feita, com certeza terá cargos cada vez melhores.

Por Tom Vitor de Freitas


Bolsa-auxílio para estagiários teve aumento de 12,8% entre os anos de 2013 e 2014.

Quer estudar e fazer um curso de nível superior que ofereça um salário atrativo? Se a sua resposta é sim, saiba que uma pesquisa foi feita recentemente pelo Núcleo Brasileiro de Estágio (NUBE), onde mostra quais são as carreiras mais promissoras que você pode seguir para conseguir conquistar sua meta.

De acordo com o levantamento feito por essa empresa que oferece constantemente vagas de trabalho para os universitários, o valor pago aos estagiários como bolsa-auxílio teve aumento de 12,8% entre os anos de 2013 e 2014.

Por exemplo, antigamente os estagiários dos cursos de Agronomia, Estatística, Economia e Engenharia entravam no mercado recebendo de R$ 964,81 a R$ 1,1 mil, mais os benefícios; hoje esse valor está bem maior a depender da região do país.

Os cursos de nível superior que estão oferecendo remuneração com o valor a partir de R$ 1.100 são:

  • Agronomia: R$ 1.622,01;
  • Estatística: R$ 1.5464,83;
  • Ciências Atuariais: R$ 1.526,82;
  • Economia: R$ 1.510,45;
  • Ciência e Tecnologia: R$ 1.461,96;
  • Química Industrial: R$ 1.275,88;
  • Química: R$ 1.263,12;
  • Ciências contábeis: R$ 1.197,21;
  • Relações Públicas: R$ 1.192,08.

Os cursos Superiores Tecnológicos com salários a partir de R$ 950,09 são:

  • Tecnologia em Construção Civil: R$ 1.178,88;
  • Tecnologia em Gestão de Qualidade: R$ 1.159,21;
  • Tecnologia em Mecatrônica: R$ 1.082,60;
  • Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas: R$ 1.029,42;
  • Tecnologia em Gestão Comercial: R$ 1.022,22;
  • Tecnologia em Processos Gerenciais: R$ 1.013,74;
  • Tecnologia em Comércio Exterior: R$ 1.011,84;
  • Tecnologia em Secretariado: R$ 1.007,76;
  • Tecnologia em Design Gráfico: R$ 988,06;
  • Tecnologia em Redes de Computadores: R$ 966,77.

Mas lembre-se que além de pensar no valor que vai receber ao se formar em uma determinada área, é preciso pensar se realmente gosta de realizar a função que vai escolher, evitando assim frustração no futuro.

Escolher a profissão nem sempre é fácil, o ideal é realizar testes vocacionais tanto na internet quanto nas universidades de todo o país.

E se estiver procurando uma vaga de estágio, saiba que muitas ofertas são disponibilizadas todos os dias nos site www.nube.com.br.

Por Yasmin Fernandes Robles


Pesquisa revelou que cursos na área de Engenharia podem favorecer que os estudantes fiquem bilionários.

Quem entra para a faculdade, espera conseguir um bom emprego, ter uma carreira próspera e, claro, ganhar muito dinheiro. Mas a realidade é bem diferente, pelo menos para boa parte destes estudantes.
Se você está planejando entrar para a faculdade e também está nos seus planos o sonho de ficar rico ou até mesmo bilionário, saiba que alguns cursos são apontados como os menos indicados para quem quer ficar rico, entre eles os cursos de Direito, Administração e até mesmo o curso de Economia. Em contra-partida o curso apontado pelos homens de sucesso, como o mais favorável para ficar bilionário são aqueles da área de Engenharia.

O Approved Index, fez uma pesquisa com 100 pessoas mais ricas do mundo, de acordo com a Forbes e deste total, 22% investiu em estudo de Engenharia. Já os alunos de Administração representavam apenas 12%.

A pesquisa mostra que o estudo de Engenharia é mais favorável para ficar bilionário, mas, também, confirma que o fato de você estudar Administração não significa que não vai conseguir sucesso profissional.

E surpreendentemente, a pesquisa apontou que 12% dos homens mais ricos do mundo, fizeram Artes na universidade, ou seja, não devemos levar em consideração somente o curso escolhido na universidade, para sabermos se alguém vai ou não ficar rico.

Esta pesquisa mostrou mais um dado interessante: 32% dos homens mais ricos do mundo não têm diploma universitário, como o próprio Bill Gates que é o homem mais rico do mundo ou até mesmo o criador do Facebook, Mack Zuckerberg, que também não concluiu a universidade.

Confira o resultado da pesquisa com os 100 homens mais ricos do mundo:

  • 32% – não fez universidade;
  • 22% – Engenharia;
  • 12% – Administração;
  • 9% – Artes;
  • 8% – Economia;
  • 8% – Outros;
  • 3% – Finanças;
  • 2% – Ciências;
  • 2% – Direito.

Mas, atualmente, nota-se um crescimento na perspectiva de que estudantes de Matemática, Biologia, Física e Química, possam chegar mais rápido à riqueza.

No final, o que a pesquisa revela é que não é o curso em si que o aluno escolheu na faculdade que irá determinar se ele irá ou não se tornar um bilionário, mas sim, a determinação deste aluno, sua dedicação e as escolhas feitas ao longo de sua vida.

Por Russel


Quem é estudante universitário sabe que precisa ter muito mais que disciplina para ir bem na faculdade. Independente do curso, os trabalhos semestrais, provas e exames são quase os mesmos procedimentos utilizados pela maioria das universidades como técnica de avaliação e desenvolvimento dos alunos para cumprirem efetivamente a graduação, conforme o regulamento estabelecido pelo MEC (Ministério da Educação).

São desses procedimentos que ninguém escapa, ou melhor, escapa de ficar em dependência, caso for reprovado em alguma disciplina do curso por um mal desempenho. Para evitar esse tipo de transtorno, veja o que você pode fazer:

1. Programe-se:

Não basta apenas ter disciplina, é preciso se programar. Não é preciso também estudar que nem um louco, dia e noite, noite e dia. Se você domina o assunto ou a matéria, com certeza basta algumas horas dos seus dias para se dedicar a isso. Pode ser aquelas horas que você gasta para beber com os amigos, para ficar jogando vídeo game ou nas redes sociais.

Separe todo o material de estudo e vá lendo e colocando o que aprendeu na prática, seja no papel ou conforme a demanda da atividade.

Uma dica excelente é não deixar para estudar em cima do dia ou da hora da prova, como em um dia antes ou meia hora antes. Saiba que a famosa "decoreba" só serve para dar branco na cabeça na hora da prova. Por isso, o ideal mesmo é dominar o conteúdo e aprender de forma prática a disciplina, ou a teoria dela.

2. Faça grupos de estudos:

Os grupos de estudos são ideais para ir aprimorando o conhecimento por meio das dúvidas sanadas por cada um dos colegas. Para isso, marque um dia em que todos possam se encontrar para estudarem juntos, seja na biblioteca da faculdade, em uma cafeteira ou mesmo na casa de um dos estudantes. Só não vale perder o foco e cair em distrações.

Por Daniela Almeida da Silva


Sabemos que a educação do nosso país está cada vez mais em transição. Há sempre uma proposta de mudança entre os políticos, mas sabemos que isso nunca acontece, pelo menos por enquanto. Então, a melhor forma de nos precavermos é buscar o conhecimento por conta própria. Para isso, veja as dicas a seguir e fique preparado para ficar bem informado:

– Faça cursos online:

Hoje em dia, com o avanço da tecnologia e a expansão da internet, temos à nossa disposição diversos recursos para melhorar nossa vida. Já não precisamos utilizar papel e caneta e muitas vezes nem sair de casa para termos o que queremos. É o caso dos cursos a distância. Existem até faculdades renomadas no Brasil que oferecem diversos tipos de cursos de especialização e até pós-graduação para se fazer a distância, no conforto de sua própria casa. Para isso, basta pesquisar de acordo com sua necessidade. Há desde cursos de idiomas a cursos de graduação, pós-graduação, técnicos e de especializações em geral. Vale lembrar que nem todos são gratuitos, depende da instituição. Às vezes pode até ter um custo menor.

– Livros:

Sabemos que a leitura é o melhor remédio para expandir nossa capacidade de aprendizado e nossa criatividade. Quem tem o hábito de ler está sempre antenado e muito bem informado. Hoje em dia, se a pessoa souber utilizar a internet poderá pesquisar desde sites que oferecem livros gratuitos para downloads a sebos que vendem muitos livros mais baratos. Enfim, tem para todos os tipos e gostos.

– Programas de inclusões:

Dependendo do lugar onde você mora também poderá se beneficiar de programas de inclusão social com oficinas que oferecem cursos profissionalizantes gratuitos pelo governo. Esses programas beneficiam parte da sociedade e está disponível para pessoas de todas as idades e níveis sociais. São cursos de inglês, de costura, de secretária, atendente, entre outros diversos. Informe-se com a prefeitura de sua região para saber mais informações sobre o que está disponível em sua cidade.

Por Daniela Almeida da Silva


A UFRJ possui um programa especial para estudantes de baixa renda permanecerem na universidade. Contribuindo com uma bolsa auxílio, diminui a necessidade do aluno ter de trabalhar, pelo menos, por longas horas durante o curso.

São 4 programas, com as seguintes condições:

  • Bolsa Auxílio:
    • Benefício de R$ 400,00 mensais
    • Aluno deve comprovar más condições sócioeconômicas de sua família
  • Benefício Moradia
    • Benefícios: vaga para morar no Fundão e benefício de R$ 400,00 mensais
    • Aluno deve comprovar más condições sócioeconômicas de sua família e demonstrar que mora longe
  • Bolsa de Acesso e Permanência
    • Benefício de R$ 400,00 mensais e auxílio transporte
    • Aluno deve comprovar renda familiar per capita inferior a 1,5 salário mínimo

Informações mais detalhadas no site da UFRJ.


Muitas pessoas pensam que passar no vestibular é uma tarefa muito difícil ou até impossível, entretanto se você estudar corretamente e manter a tranquilidade este desafio pode se tornar mais fácil.

Alguns especialistas alertam que um dos piores erros cometidos pelo estudante é o exagero. Não adianta estudar 20 horas por dia, pois não dá tempo de aprender muito mais e atrapalha o lado psicológico.

Professores aconselham o estudante a se concentrar  no conteúdo mais fácil, já que tentar aprender o que não sabe vai ocasionar o desespero e ansiedade do candidato. É importante focar no conhecimento que já foi adquirido.

Na hora da prova é fundamental que você não perca tempo com uma questão que não lembra. Se isso acontecer passe para frente e faça tudo o que você já sabe e, no término da prova, retorne às perguntas que foram deixadas de lado.

Aqui você encontra 20 dicas para começar sua caminhada rumo à aprovação:

– Leia mais para escrever melhor;

– Não fique nervoso na hora da prova;

– Começar a prova pelas matérias que você sabe;

– Escreva a matéria com as suas próprias palavras para fixar e aprender;

– Não falte às aulas e sempre faça os exercícios propostos pelo professor;

– Faça resumos das matérias;

– Concentre-se na hora dos estudos;

– Entenda que o vestibular não é o fim do mundo e que ele é igual para todos;

– Acredite em si mesmo e no seu potencial;

– Faça as provas dos exames anteriores do vestibular que está prestando, para adquirir confiança e se familiarizar com os tipos de questões;

– Programe sua rotina de estudos com horários definidos para cada matéria;

– Não se prive do descanso e da vida social;

– Foco na redação;

– Mantenha-se atualizado;

– Procure fazer a prova com calma e concentração;

– No dia da prova faça uma alimentação leve;

– Procure dormir bem no dia anterior à prova;

– Leia todos os livros obrigatórios durante o ano;

– Identifique as suas dificuldades e foque nelas;

– Procure chegar ao local da prova com uma hora de antecedência.

Por Raquel Alice


Estudar para obter boas notas em um vestibular pode não ser uma tarefa fácil para todos. Por isso, é necessário ter muita persistência e disciplina. Se você encontra-se nessa fase, atente-se às dicas a seguir e aprenda como estudar para ir bem nos vestibulares:

– Separe tudo o que você tem para estudar:

Nessa hora vale tudo. Livros, sites, cadernos, rascunhos, apostilas, arquivos, entre outros. Tire algumas horas do seu tempo todos os dias para estudar, dar uma lida e revisar tudo o que você aprendeu durante os estudos. Nunca se conforme com pouco. Tenha persistência em estudar e aprender cada vez mais.

– Estude de tudo um pouco:

Comece estudando algumas coisas do ensino médio, depois parta para ferramentas de redação, dê uma revisada em sua gramática, principalmente na nova revisão ortográfica e fique por dentro de todas as atualidades.

– Programe-se:

Se você é uma pessoa que trabalha fora e não tem muito tempo, coloque um alarme para te lembrar dos horários que você tem que estudar. Utilize um despertador ou uma agenda eletrônica para você se programar e não ficar sem estudar por muito tempo, pois quanto mais você se atualizar e se dedicar nos estudos, melhor será seu desempenho.

– Atualize-se:

Atualize-se com novas leituras, assista documentários e matérias informativas, leia jornais, livros e artigos científicos para ficar bem informado e seja curioso com notícias da atualidade. Busque novos meios de aprendizados e leia livros em outros idiomas, principalmente em inglês, se for o caso. Uma boa alternativa também é buscar imprimir antigos modelos de vestibulares para você se basear. Só não vale olhar o gabarito.

– Esteja preparado:

O mais importante de tudo é que você se sinta bem preparado para o grande dia de realizar a prova. Esteja certo de que você será muito cobrado por isso.

Portanto, um dia antes da prova, durma bem, alimente-se bem e dê mais uma revisada em tudo o que você estudou.

Por Daniela Almeida da Silva


Ser estudante não é fácil, horas de estudo, pressão da família, ilusões próprias. Se você está finalizando os estudos para prestar um vestibular, saiba que todas essas situações podem interferir no seu rendimento na hora da prova.

Muitas horas seguidas de estudo não são aconselháveis, principalmente porque tantas horas próximo aos livros pode favorecer a falta de concentração já que o estudante cansa e acaba perdendo o foco, para aliviar essa maratona, faça uma atividade física ou escolha um determinado horário no dia para fazer algo que lhe seja prazeroso.

Sobre a pressão familiar, saiba que não está sozinho e que muitas pessoas passam ou passaram por isso, o melhor é sentar e conversar com a família, principalmente com os pais. Explique todas as suas incertezas, todos os seus medos, enfim, como se diz "coloque as cartas na mesa", uma boa conversa pode amenizar o ambiente e você irá se sentir muito mais seguro para enfrentar todos os grandes desafios que virão.

No que diz respeito às próprias ilusões e expectativas, tente não se cobrar tanto, quando há dedicação e interesse os bons resultados fluem naturalmente. Estas são algumas dicas para você ir bem na prova, mas se por alguma razão que tenha fugido do seu controle, a sua prova não tenha sido tão boa e você infelizmente não conseguiu a vaga na graduação, não desista, afinal dificilmente boas conquistas são fáceis de conseguir.

Sabendo que o mundo do vestibulando pode ser bem duro, muitos cursos pré-vestibulares buscam dar um empurrãozinho na motivação dos jovens fornecendo bolsas de estudo para que estes estudantes possam passar no próximo vestibular.  

No Brasil, alguns cursinhos já iniciaram as suas inscrições para o processo de fornecimento de bolsas de estudo, este é o caso do Curso Objetivo, Etapa, Poliedro, Sistema COC. 

O Curso Objetivo está inscrevendo até esta terça-feira, 16/12, através do seu site. A avaliação e a seleção de beneficiados ocorrerão no dia 17 às 14h. Já o Etapa está dando bolsas de estudos na cidade de São Paulo e em Valinhos. A inscrição é feita através do site. O Poliedro fornece bolsas em Campinas (SP), Rio de Janeiro e São Paulo, as inscrições são feitas através do endereço eletrônico. O sistema COC de ensino é o mais abrangente, as oportunidades são para as cidades paulistas de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, Vitória (ES), Maceió (AL) e outras cidades, as inscrições devem ser feitas no site.  

Participe das seleções e não perca o foco! A sua vaga estará garantida para o próximo ano. 

Por Melina Menezes


Não é difícil pelos corredores das faculdades encontrarmos jovens perto da conclusão do curso desanimados com o que encontrarão pela frente. Isso acontece muito, mais do que deveria na realidade.

A vontade de possuir um curso superior e muitas vezes a cobrança da família, faz com que muitos jovens percam preciosos anos se dedicando a uma coisa que não lhes agrada. Perdem tempo e dinheiro. Mas e aí? O que fazer? Bom, cada caso tem uma particularidade que não deve ser ignorada, mas no geral, os casos se repetem e as soluções são quase iguais. Uma delas é abandonar tudo e começar de novo. Nesse caso, você se deparará com um inimigo – você mesmo. É muito comum, pessoas que desistem do curso dizerem: ano que vem começo outra faculdade. Do ponto de abandono até o próximo ano, geralmente existe um tempo vago, tempo esse que com certeza trará acontecimentos que podem fazer com que você adie a decisão de começar uma nova faculdade. Você pode se apaixonar e casar – é verdade. Não que o casamento seja um impeditivo para os estudos, mas talvez você crie outras necessidades, como trabalhar para comprar móveis ou um imóvel.

Vamos supor que o amor não bateu na sua porta nesse período. Mas apareceu uma oportunidade incrível de trabalho, cujos horários não são compatíveis com os estudos e você pensa: bom, no segundo semestre do próximo ano eu volto. E assim vai. Passa o tempo e nada de uma decisão favorável em voltar aos estudos. Uma coisa inteligente de se fazer é o seguinte: decidiu parar aquele curso? Então imediatamente procure a coordenação da faculdade.

O que você quer estudar? É alguma coisa em que se aproveite alguma matéria que você já cursou? Se sim, faça a migração para o outro curso e aproveite matérias, para ganhar tempo no novo curso.

Nada pode ser aproveitado? Então comece de novo, mas comece rápido, para que no futuro você não tenha a sensação de ter jogado vários anos pela janela.

Por Luciana Viturino


Tudo começou na pré-escola quando você ganhou sua primeira caixa de giz de cera. Aquelas folhas em branco e aqueles bastões coloridos faziam a alegria do seu dia. Com o tempo, seus desenhos começaram a ganhar um contorno mais limpo, mais profissional. Você trocou o giz de cera por lápis afiados, onde os traços saiam mais alinhados e perfeitos. Um dia, decidiu: serei desenhista. Ótimo, e vai ganhar dinheiro como? Pichando muros que não é. Se decidir não estudar pode ser que ganhe uns trocados fazendo faixas para supermercados, placas e letreiros para comércio.

Profissionais dedicados nessa área ganham um bom trocado, ou se você for bom e tiver sorte pode ilustrar revistas infantis da Turma da Mônica ou do Wall Disney. Todo bom desenhista sonha e isso é bom. Com habilidade e um toque de sorte, você pode chegar lá. Mas existe um caminho mais seguro e com mais chances que pode ser traçado por aqueles que nasceram com o belo dom de desenhar.

Uma dessas alternativas é ser Designer. O que é um designer? O que faz? Primeiramente é um profissional que deve ter uma capacidade criativa acima da média. Deve ter ideias constantes e saber interpretar um pouco de tudo e transformar em arte.

Um designer de interiores irá criar projetos (desenhos) de como os interiores das casas podem ser decorados. Desenhará o modelo do seu sofá, desenhará a cozinha perfeita para o seu estilo.

Um designer de paisagens fará os desenhos do seu jardim. Fará um projeto de como suas orquídeas e suas árvores ornamentais ficam melhores distribuídas pelo espaço disponível.

Um designer de moda, ah, esse inventa moda mesmo. A criatividade deve transbordar nesse profissional. É ele que criará as roupas que seus filhos usarão e que provavelmente você não gostará.

Todos esses profissionais usam sim um lápis como ferramenta, mas os softwares disponíveis no mercado auxiliam muito a todos esses profissionais.

Vale a pena conhecer mais da área e ver se seu perfil gosta de inventar moda.

Por Luciana Viturino


Você já pensou em qual faculdade irá estudar? Não? E também já escolheu o seu curso? Não? Pois estou aqui para lhe ajudar. Às vezes, muitas pessoas cursam o que não querem pelo fato de não saberem o que escolher. Existem milhares de cursos, mais você precisa de uma vida inteira para escolher um só. Se escolher um curso errado, será perda de tempo não é? Então aqui vou lhe mostrar três cursos bons que também possa ser de seu interesse.

Você já pensou em ser Arquiteto? É uma área em que você irá projetar e organizar espaços externos e internos de acordo com a funcionalidade e o bom conforto. Imagina você fazendo, pelo próprio esforço, aquela casa dos sonhos? Esse curso tem a duração média de 5 anos, e nele você também estuda as disciplinas de Ciências Humanas e Exatas.

Agora vou lhe mostrar um pouco de como é ser um bom Veterinário. Esse profissional é capacitado para cuidar de animais silvestres e domésticos, além de cuidar da saúde, alimentação e reprodução de rebanhos. Outra questão importante, é que em sua profissão ele também pode inspecionar a produção de alimentos de origem animal. Um Médico Veterinário está cada vez mais valorizado, pois os “pets”, animais de estimação estão aumentando muito pelo fato de as famílias estarem diminuindo o número de filhos.

Bom, eu já mostrei alguns cursos. Agora eu vou falar um pouco sobre o curso de Ciências Contábeis, pois independente do passar dos anos, esse curso nunca sairá de moda pelo fato de todas as empresas de porte médio e grande precisar de alguém para controlar as suas finanças, lucros e despesas. Esse curso tem uma duração em média de 4 anos e dependendo da faculdade de sua escolha, poderá ser feito em modo presencial, semipresencial e online. O salário inicial poderá ser de R$ 1.800,00 a R$ 2.000,00, é um bom começo, não acha?

Para quem pensa em fazer vestibular esse ano ainda, a Faculdade Anhanguera e a Faculdade Fama estão com as inscrições abertas.

Para mais informações sobre os cursos basta acessar o site guiadoestudante.abril.com.br/home.

Boa sorte!

Por Luciana Viturino


Já imaginou ser um profissional que trabalha com agricultura e estuda a cultura dos campos? Então o curso de Agronomia é para você, pois é isso o que um profissional graduado do ramo faz. Eles são conhecidos muitas vezes como Agrônomos ou Engenheiros Agrônomos. Saiba que eles entendem muito de campo e dos alimentos de origem vegetal e animal, visando assim, o menor custo de produção, aliados a qualidade e produtividade. Além disso, ele sabe muito bem como conservar o meio ambiente.

Todavia, você deve estar se perguntando qual é o curso específico para você que quer se tornar um agrônomo e como se destacar no mercado. Para isso eu digo que você tem que fazer o curso de Agronomia e posteriormente, adquirir o registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA). Além disso, o domínio do inglês e da informática são grandes diferenciais no ramo. E não para por aí. Você precisa manter-se muito bem informado nas novas tecnologias, as quais avançam muito rapidamente e ser capaz de se adaptar a novas situações, ser comunicativo, ser proativo e bom para a tomada de decisões, ser capaz de resolver problemas práticos, criativo, curioso, ter facilidade em cálculos, interessado em construir coisas e estudar seu modo de funcionamento, gostar muito de ler, pesquisas e estudar e acima de tudo, você precisa ter em mente que estará constantemente ao ar livre e em contato com a natureza.

As principais atividades de um agrônomo vão desde o plantio até a distribuição de determinada mercadoria. Por isso, você irá planejar, auxiliar e executar os serviços ligados ao plantio e à colheita. No entanto, você também pode escolher outras áreas para atuar, como Defesa Sanitária, Engenharia Rural, Fitotécnica, Agribusiness, Agroecologia, Zootecnia, entre outros. Os ramos de especialização também são diversos, como Agrotecnia, Topografia, Melhoramento Animal e Vegetal, Recursos Naturais e Ecologia, Reflorestamento, Entomologia, Fitotecnia, Silvicultura, Economia Agrícola, entre outros. 

Por Luciana Viturino


Você já pensou em se tornar um Advogado, trabalhar em fóruns, escritórios, realizar audiências? Então, fique atento, pois neste artigo vamos dar dicas a você que quer cursar Direito e se tornar um profissional da área.

A primeira coisa que você precisa ter para se tornar um advogado além do curso é ser aprovado no Exame de Ordem e adquirir a carteirinha da OAB. Mas, você pode estar na dúvida e se perguntar: o que faz realmente um advogado? Bom, um advogado atua na defesa dos interesses do cliente. Por isso, ele estuda várias leis e pode atuar em diversos ramos, como trabalhista, tributário, cível, penal, empresarial, entre outros. Além disso, ele também pode escolher se quer trabalhar em um escritório ou em uma empresa, se vai seguir carreira pública ou privada. Se escolher o ramo público há várias outras profissões como Juiz, Promotor, Defensor, Procurador, Delegado de Polícia, entre outras.

Tudo bem, até aqui você já entendeu, mas qual a principal característica de um profissional da área para que ele seja um destaque no ramo? A principal característica é gostar de ler, pois as pessoas que fazem o curso não irão trabalhar com química, física, biologia, como era visto no ensino médio. Portanto, ele terá que ler muito, mas muito mesmo, pois existem várias leis e ele precisa estar antenado com todas elas. Mas não é só isso, ele também tem que ter uma boa capacidade de argumentação e habilidade em negociação, bem como boa memória, dominar o português e ser muito comunicativo. Tudo isso é fundamental. O gosto pela pesquisa, investigação e pelos estudos farão parte do resto da vida de um advogado.

Há também diversas ocasiões em que ele terá de saber debater. Cabe lembrar que debater não é discutir e sim usar os argumentos válidos a seu favor. O mercado de trabalho no ramo é bastante promissor e garante ótimas vagas para excelentes profissionais.

Por Luciana Viturino


Você já concluiu o ensino médio e não sabe qual profissão deve seguir? Já ficou pensando em um dia ser bombeiro, no outro dentista, no outro médico e por fim, querer várias profissões ao mesmo tempo? Então, você ainda não sabe o que seguir e precisa ler essa matéria que foi feita especialmente para você.

A princípio, o primeiro fator que tem de ser levado em consideração é a pressa. O velho ditado prevalece “a pressa é inimiga da perfeição”, porém, lembre-se de que você também não pode ficar muito tempo parado. Vai chegar uma hora que você tem que decidir o que vai fazer.

Outro passo importante a ser seguido são os testes vocacionais. Eles são de grande valia para quem almeja definir o caminho que realmente quer trilhar. Contudo, melhor do que isso é ir em busca de um profissional da área que se deseja seguir. Nem sempre o que vemos na teoria corresponde com a prática da profissão e é aí que você vai poder se enxergar futuramente.

Ah e se você está querendo um curso por que seu pai, mãe ou algum parente próximo quer que você faça, então esqueça. Você tem que se encontrar, fazer uma autoavaliação do que realmente gosta e escolher um curso que tem a ver com você. Vejo muitos pais querendo que os filhos se tornem médicos sendo que eles não têm a mínima aptidão para o curso. Por isso, vá em busca da prática, faça testes, leia mais sobre o que você quer e se possível peça ajuda a tais profissionais.

Os cursos livres de cada área podem ser um diferencial e ali você consegue diferenciar quem apenas pretende fazer um curso superior daqueles que almejam seguir carreira na área. Cabe ressaltar que alguns filmes podem ajudar, mas nem sempre eles correspondem com a realidade dependendo da área, o melhor é ir em busca da parte prática.

Boa sorte!

Por Luciana Viturino


Já imaginou ser um profissional de informática? Você se considera criativo e gosta de exatas? Então, esse pode ser um ótimo curso para você. A profissão possui diversos ramos nos quais o graduado pode atuar que vão desde a criação de jogos, desenvolvimento de softwares para celulares ou para sistemas distribuídos, trabalho com inteligência artificial, entre várias outras atividades. Todavia, o mercado de trabalho da computação é voltado em sua grande maioria para três áreas, como Engenharia de Software voltado para o desenvolvimento de sistemas de informação, Engenharia de Hardware destinado a arquitetura de computadores e máquinas e, por fim, Pesquisa Teórica.

O curso mais destacado no Brasil é o da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba. O curso tem duração de quatro anos e o foco principal é no desenvolvimento de softwares. Após o término o graduado pode se tornar gerente de projetos, gerente de redes e administrador de banco de dados. Além disso, o profissional pode optar também por docência na carreira acadêmica.

Se você se interessou pelo curso e gosta de desenvolver e utilizar a criatividade não tenha dúvidas, esse curso é para você. Cabe ressaltar que o curso é para quem não gosta de muito trabalho mecânico e o domínio do inglês é primordial, uma vez que a maioria dos livros é em língua inglesa.

Um dos destaques da área é o mercado de trabalho, o qual é bastante promissor e promete várias vagas para os próximos anos. Muitas delas serão para o exterior e entre as grandes empresas do ramo podemos destacar o Google, o Facebook e a Microsoft. No decorrer do curso há vários campeonatos no exterior em que você pode aprender com as mentes mais brilhantes da área. Podemos afirmar, ainda, com plena convicção, de que nos próximos anos as pessoas que não possuírem um alto conhecimento de informática ficarão fora do mercado de trabalho. Por isso, é necessário estar em constante atualização.

Por Luciana Viturino


Ocorrerá no próximo final de  semana, dias 08 e 09 de novembro (sábado e domingo), as provas do Exame Nacional do Ensino Médio/ ENEM 2014.

Atualmente, o exame está sendo utilizado como uma das partes do processo de seleção de várias instituições de ensino superior, tanto públicas quanto privadas. Além disso, a nota final do Enem está sendo utilizada como um dos critérios para a disponibilização de bolsas do Programa Universidade para todos (PROUNI).

Os cursinhos preparatórios em todo o país estão a todo vapor para realizar uma boa preparação de seus alunos candidatos ao exame. Alguns temas atuais têm se destacado bastante e possuem grande probabilidade de serem cobrados no ENEM 2014, são eles:

A falta de água e a crise no sistema hídrico

O paradoxo ocorrido no país com a escassez de água no estado de São Paulo e várias enchentes em outras localidades da região sudeste;

– Os decorridos cinquenta anos do golpe militar de 1964

Esse acontecimento político foi extremamente relevante para o país, que resultou em um governo de regime militar do ano de 1964 até o ano de 1985;

– A disponibilização da vacina contra o vírus "Human Papiloma Vírus", popularmente conhecido como HPV

O Governo Federal passou a disponibilizar gratuitamente vacinas para meninas na faixa de 11 a 13 anos de idade contra o vírus HPV;

– A crise do setor energético

Em janeiro do ano corrente foram registrados os dez maiores picos de consumo de energia elétrica da historia brasileira. Além disso, o tema engloba uma mistura das matérias de física, química e biologia;

– A maioridade penal com 16 anos

No ano de 2014 voltou a ser discutida no congresso nacional a mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), sobre a questão da redução da maioridade penal, que atualmente é atingida aos 18 anos para 16 anos de idade.

Por Maicon Douglas Rodrigues Arthuso


A maioria dos vestibulares são formados por duas fases. A primeira fase normalmente é mais geral, contando com todas as matérias presentes no ensino médio e tende a ser mais ampla na cobrança de conteúdos e sutilmente mais superficial no que diz respeito à profundidade com que os temas são cobrados.

A segunda fase geralmente tende a ser mais específica e mais aprofundada. Em alguns vestibulares, na segunda fase estão contidas todas as matérias, em outros apenas matérias específicas.

Por exemplo, se você for prestar um curso de exatas, você terá na segunda fase matérias de exatas (física, química e matemática e redação), se for prestar um curso na área de biológicas, terá que enfrentar matérias da área de biológicas e redação, e assim por diante.

Todos os vestibulares importantes do país, sem exceção, contém na sua segunda fase uma redação e, nessa etapa, as perguntas tendem a ser mais elaboradas, para que você responda dissertativamente.

Deixando a segunda fase um pouco de lado, vamos falar da primeira fase dos vestibulares. Essa fase, geralmente, conta com questões de múltipla escolha, com cinco alternativas (podendo ser de quatro alternativas em alguns vestibulares).

Exceto a UNICAMP, na primeira fase geralmente o candidato não enfrenta problema significativo com tempo para resolver a prova, que tem muito mais um caráter eliminatório, principalmente nos cursos e faculdades mais concorridas. Assim, o candidato não pode perder questões fáceis, já que muitos outros candidatos podem ultrapassá-lo. 

Na primeira fase, errar questões fáceis tira o candidato do vestibular, pois a maior parte dos outros candidatos vão acertá-la. Tendo isso em mente, o candidato deve encontrar e resolver inicialmente todas as questões fáceis da prova.

As questões aqui tem valor quantitativo, portanto, vale mais acertar 3 questões fáceis em 10 minutos do que ficar perdendo tempo em uma questão difícil. Questões difíceis tem obviamente pouco índice de acerto e devem ser encaradas principalmente como questões que serão responsáveis por diferenciar um candidato de outro.

Lembre-se, portanto, questões fáceis te passarão e questões difíceis te deixarão bem colocado.

Por Nosf


Provas, vestibulares, conclusão do ensino médio. Nessa época do ano muitas responsabilidades caem sobre jovens com idade entre 16 e 20 anos, e muitas vezes eles não estão preparados para escolher qual carreira seguir. pelo resto da vida.

Alguns se influenciam pelas famílias, seguem profissões dos pais, algumas vezes por admirá-los, outras para assumir empresas, consultórios ou escritórios. E muitas vezes é aí que mora o maior erro, já que acaba criando uma grande expectativa de sucesso em torno da família inteira.

É importante para o estudante analisar algumas situações como o mercado de trabalho e o piso salarial. Porém, o mais importante é gostar do ramo que escolheu. O estudante não pode esquecer que a área escolhida precisará de sua dedicação ao longo da vida, após a graduação, virão pós, MBAs e mestrados, isso citando apenas a área acadêmica. Reuniões, planejamento, dedicação em torno de algo que não foi bem escolhido pode se tornar um fardo.

Claro que nunca é tarde para recomeçar, fazer uma segunda faculdade, correr atrás daquele sonho que ficou guardado na gaveta. Mas por que não tentar acertar na primeira?

A tendência do jovem é focar apenas nos ganhos, mas lembrem-se: ganhar dinheiro e reconhecimento fazendo algo que dê prazer, que de dê alegria, é muito melhor. Quando fazemos algo com amor e satisfação a tendência é que sai bem feito e aí vem o reconhecimento, a valorização e todos os benefícios de uma boa escolha.

Pensem ao contrário, escolher uma profissão que dê dinheiro e que você não gostar pode afastar os clientes, já se você escolher uma profissão que de repente nem dê tanto dinheiro assim, mas que você irá fazer com dedicação irá agregar os clientes.

Além disso, não podemos esquecer que no período da faculdade será mais fácil superar os desafios de conteúdos que despertam seu interesse do que o contrário.

Por Vivian Schetini


A maratona de vestibulares está chegando, e os corações e as mentes estão acelerados, ansiosos, é muita expectativa sobre o futuro ao redor de milhares de jovens adolescentes estudantes. Mas existem algumas dicas que podem ajudar a manter a calma e a relaxar nesse momento crucial. Uma delas, e talvez a principal é: beba água.

Leve água para a prova, beba água antes, durante e depois. A água refresca nesses dias de calor intenso, o que ajuda a controlar um pouco da temperatura do corpo, e assim deixa os estudantes mais tranquilos para raciocinar.

Além disso, nosso cérebro é composto de 90% de água, por isso ele deve estar bem hidratado para funcionar melhor e não deixar os alunos "na mão".

E mais, a água não irá ser benéfica apenas nesse momento tão importante da vida do estudante. Beber água regularmente também ajuda no bom funcionamento do intestino, mantém a pele viva e sem rugas, é uma excelente arma contra a celulite, unhas e cabelos ficam mais fortes, combate o envelhecimento, ajuda a emagrecer, mantêm a aparência saudável.

O ideal é beber em média dois litros por dia, beba pequenos goles ao longo do dia inteiro.

Outras dicas:

No dia da prova é natural que os nervos estejam a flor da pele, então se alimente bem, mas dê prioridade para os alimentos leves. Durma bem, tente dormir pelo menos oito horas na noite anterior, mas se a ansiedade não deixar, não corra para os livros, veja um filme tranquilo, descanse o corpo. No dia da prova leve uma barrinha de cereal, chicletes e água, não se esqueça dela. Uma garrafinha deverá ser sua fiel companheira nesses dias de prova.

Mais do que isso, relaxe. Você se preparou, e é capaz. Respire fundo quando a memória falhar, a informação está lá guardada basta encontrar. E saiba, que se algo não sair como planejado, você pode tentar de novo. Só não pode desistir.

Por Vivian Schetini


Mais uma vez, um dos símbolos que melhor representam a educação mineira é destaque no cenário nacional. Em um levantamento apresentado no último dia 08 de setembro pelo jornal Folha de São Paulo, a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), foi considerada a 2ª melhor universidade Federal do Brasil.

Neste levantamento, foram avaliadas pelo jornal um total de 192 instituições de ensino superiores públicas e privadas do país.

Segundo o RUF (Ranking Universitário Folha), dentre os cursos oferecidos pela UFMG, os que mais se destacaram entre os das demais instituições avaliadas foram os cursos de Biologia, Ciência da Computação, Direito, Fisioterapia, História, Medicina Veterinária e o curso de Propaganda e Marketing.

Em 2014, a universidade que obteve o melhor desempenho na avaliação e foi eleita a melhor do país foi a USP (Universidade de São Paulo). Em segundo lugar ficou a Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

Completaram ainda as cinco primeiras posições do ranking do RUF a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), que ocupa o terceiro lugar geral, o quarto lugar foi ocupado pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e, fechando as cinco primeiras posições do ranking, a UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas).

Para conhecer a lista completa do RUF (Ranking Universitário Folha) e saber quais são as universidades brasileiras que obtiveram as melhores avaliações no ranking do Jornal Folha de São Paulo, clique aqui.

A pesquisa para a eleição do RUF foi feita pelo Datafolha, com aproximadamente 611 professores universitários que avaliaram os cursos das instituições de ensino superior para o MEC. Além destes professores, participaram da pesquisa mais 1.970 responsáveis por recursos humanos, onde estes avaliaram as siglas de todas as 192 universidades.

Em uma visão mais ampla da sua importância na educação brasileira e na formação de pessoas e profissionais, a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) ocupa ainda o 10º lugar no Ranking das melhores universidades da América Latina, segundo o QS World University Ranking 2014, e ocupa a posição entre 451-460 das melhores universidades do mundo

Estes resultados foram divulgados no último dia 15 de setembro. O QS World University Ranking é realizado anualmente e tem reconhecimento mundial.

Por Por Fabiano André de Carvalho


Você sente dificuldade em memorizar matérias teóricas, sejam elas relacionadas a momentos históricos, termos técnicos ou processos específicos? Saiba que, muitas vezes, tal dificuldade pode ser ocasionada pelo erro no modo como as informações são analisadas e agrupadas em sua mente

A escolha da técnica correta pode ser crucial para uma boa memorização. Por isso, pensando em auxiliar os candidatos a vestibulares, ENEM e demais processos seletivos, selecionamos as melhores técnicas de memorização para matérias teóricas

  • Anotação do conteúdo: já está comprovado que anotar os principais tópicos de determinadas matérias enquanto estuda é eficiente não somente para a memorização, mas também para a revisão e para o entendimento. Uma boa dica é atentar-se a detalhes certeiros, tais como datas e processos. Se você é universitário, pode aplicar s anotações no seu dia a dia na faculdade. Neste caso, as anotações recebem um nome específico: fichas de estudos.
  • Leitura atenta, porém ligeira: ler mais rapidamente favorece a assimilação do conteúdo em um curto espaço de tempo. Porém, é preciso atentar-se à assimilação do conteúdo. Se o candidato perceber que não está lendo com atenção e compreendendo, de fato, este conteúdo, é preciso retomar a leitura e, principalmente, o foco. 
  • Conteúdos complexos em primeiro lugar: quando o candidato precisa memorizar matérias complexas, principalmente que envolvam nomes, locais e datas, é recomendado que tais tópicos sejam analisadas logo no início do processo de estudos. O cuidado deve-se ao fato de a mente do candidato ainda não estar sobrecarregada e cansada com os demais assuntos, facilitando assim a compreensão. Esta dica é indicada, principalmente, para candidatos que preferem iniciar a resolução das questões que envolvem cálculos (muitas vezes, os cálculos tomam muito tempo do candidato, prejudicando o desempenho no restante da prova). 

Devemos frisar, porém, que estas táticas podem ser aplicadas tanto na rotina de candidatos que estão com exames bem próximos, como para aqueles que estudam com uma certa antecedência. Aproveite e dê um upgrade no seu processo de estudos! 

Por Tati M.


Se você é um participante assíduo de concursos públicos, processos seletivos e exames oficiais, sabe o grau de importância de uma redação bem escrita. Além de aplicar as características corretas, dependendo do tipo de texto requisitado, é preciso ainda transmitir a informação, ideia ou pensamento de forma clara e coesa

Pensando em lhe auxiliar, selecionamos em nosso artigo algumas dicas de como acertar na produção deste material. São dicas simples, mas que podem fazer bastante diferença no resultado final do texto:

– Saiba do que você está falando: conhecer o tema é essencial para que um texto seja correta e adequadamente redigido. Afinal, você quer transmitir informação verdadeira, certo? Por isso, antes de iniciar a redação faça uma boa pesquisa sobre a temática. 

– Descubra para quem você está falando: definir o público alvo do seu texto é essencialmente importante, visto que para cada tipo de público é necessária uma estratégia de conteúdo.  

– Evite períodos longos: aplicar parágrafos curtos é muito importante, principalmente para a rápida leitura e fácil entendimento do conteúdo. Escrever frases longas pode complicar a análise, além de dispersar o leitor. 

– Cuidados com a pontuação: a organização do conteúdo só é garantida com a correta aplicação da pontuação. É importante salientar que empregar corretamente vírgulas e demais pontos evita a ambiguidade (duplo sentido). 

– Utilização de termos rebuscados: a fim de agradar, é comum os candidatos utilizarem termos difíceis em seus textos. Entretanto, muitas vezes o real significado das palavras é desconhecido. É importante salientar que, na maioria das vezes, "o menos é mais"! Aposte em palavras simples, que sejam entendidas por todo e qualquer leitor. 

– Organização dos blocos de texto: organizar o texto significa, também, evitar a repetição de palavras, frases e ideias. Aliás, o pleonasmo é uma das figuras de linguagem mais comum utilizada pelos brasileiros e pode, inclusive, modificar a sua ideia, mesmo que discretamente. 

Devemos salientar que tais dicas podem ser aplicadas em todos os tipos de redação, seja nos exames de vestibular, concursos públicos e ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio. 

Por Tati M.


Sentir sono durante a rotina diária de estudos é bastante comum entre os estudantes, principalmente quando o volume de conteúdo a ser revisado é alto – como nos processos seletivos, concursos públicos, vestibulares e ENEM. Segundo professores, para evitar que o sono apareça inesperadamente, a regra principal é dormir bem à noite, no mínimo, por 8 horas consecutivas

Entretanto, além de uma boa noite sono, existem algumas formas de evitar o cansaço e, consequentemente, o sono. Listamos em nosso artigo 5 dicas infalíveis para você não sentir sono enquanto estuda. Confira a lista: 

1 – Alimentação correta: 

Que alimentar-se corretamente é bom para a saúde todos sabem. Porém, os efeitos de uma boa alimentação podem ser decisivos em muitos fatores, incluindo os estudos. As refeições mais leves e saudáveis, como saladas e alimentos integrais reduzem a sensação de sono após a ingestão. Uma excelente dica é evitar pratos carregados como churrascos, feijoadas e carnes ricas em gordura. 

2 – Atividade física: 

Não, não é preciso ser um maratonista expert ou frequentar a academia todos os dias. Basta que você realize pequenos movimentos durante o horário dos estudos, principalmente quando sentir que os olhos estão começando a pesar. Procure levantar-se, alongar-se ou simplesmente ir até a cozinha tomar um copo de água.

3 – Mantenha-se sentado: 

Apesar de ser muito confortável, estudar deitado só aumenta a vontade de tirar aquela soneca. Evite se deitar enquanto lê ou resolve as questões. Se possível, realize tais atividades em um local apropriado para tal, como uma escrivaninha. 

4 – Boa iluminação: 

Estudar em ambientes escuros favorece a produção de melatonina. E, quando mais melatonina no organismo, maior é a sensação de sono. Mantenha uma boa iluminação no seu local de estudos, seja este o quarto, a sala ou o home office.

5 – Aposte na cafeína: 

A cafeína, quando consumida com moderação, é um excelente despertador para o organismo. Pode ser encontrada no café, chá preto e também no açaí. Preste atenção à quantidade consumida: cafeína em excesso pode causar problemas cardíacos e nos ossos. 

+ uma dica: o bom e velho banho gelado é uma opção certeira para espantar o sono. Quando começar a sentir sono, dê uma pausa nos cálculos e tome aquela ducha fria.

Por Tati M.


Então você decidiu fazer o Exame Nacional do Ensino Médio e está com um milhão de dúvidas sobre a prova. Bem, saiba que você não está sozinho e, assim como você, muitos jovens sofrem por não saber ao certo o que vão encontrar na hora da prova.

Sem dúvida, a parte mais temida da prova é a Redação, onde você terá que demonstrar vários conhecimentos, domínio da grafia da língua portuguesa, coerência, coesão no texto, uso da linguagem culta e também o seu senso crítico. A análise crítica é avaliada mediante a observação da postura do candidato perante um assunto, isto é, da capacidade de dar soluções quando alguma situação deve ser mudada e a sociedade beneficiada.

Se você acha que não está preparado para dissertar acerca dos direitos humanos ou dar soluções para a crise econômica, não se desespere. Conseguir resolver problemas ou dar boas ideias reflete o ambiente cultural onde o estudante cresce. Faz parte da bagagem cultural a capacidade de tomar decisões e solucionar um problema, quanto mais conhecimento de atualidades o jovem possua, mais fácil fica olhar o contexto e buscar soluções para um determinado problema.

Provavelmente haja um ponto de interrogação na sua cabeça e esteja se questionando como aumentar a sua bagagem, eis que a resposta não é tão complicada e é relacionada com o tempo que você lê ou assiste televisão. Quando se fala em televisão, não é assistir uma filme de terror ou desenhos animados. Para adquirir mais cultura você precisará prestar atenção nos jornais, onde sempre aparecem matérias interessantes e relacionadas às atualidades. Se pensou em assistir um filme, tente buscar diretores que levem para os roteiros assuntos do momento e que sejam relevantes para a prova, documentários são ótimos.

Sabendo um pouco mais sobre o que está acontecendo no mundo ficará mais fácil pensar e chegar a uma solução para determinado problema.

Para fazer a análise crítica de forma correta, alguns passos podem ser seguidos a fim de melhorar a argumentação, são eles: verifique qual a proposta da redação, identifique qual é o assunto tratado no texto (tema principal). A partir destes dois primeiros passos, o estudante estará habilitado a relacionar o conteúdo tratado aos fatos que conhece, aplique todo o conhecimento que possua sobre o tema. Logo após de ter relacionado o texto com os seus conhecimentos, separe as ideias por tópicos, esquematize. Depois de dar estes passos, estará preparado para escrever a sua redação.

Por Melina Menezes


Nos dias de hoje não é raro encontrarmos pessoas que possuem grande dificuldade em memorizar determinado assunto. Diante disso, muitos são os fatores criados por especialistas para ajudar nessa tarefa. Porém, nem todas são eficazes e fornecem um bom desempenho. Sendo assim, vamos abordar neste artigo algumas dicas que irão fazer com que você memorize de forma mais rápida e eficaz.

A princípio é importante destacar que nosso cérebro é como uma máquina que precisa ser constantemente aprimorada para não definhar. É como se fosse um computador super moderno que possui capacidade infinitamente superior a de um computador normal. A primeira dica e considerada a melhor é o hábito da leitura. Ela continua na frente de outras atividades, como: xadrez, palavras cruzadas, entre outros. Todavia, não basta simplesmente ler, pois essa é uma tarefa passiva. É importante que o estudante reflita sobre o que está sendo lido para que não fique desatento ou distraído, uma vez que uma das grandes aliadas da memória é a atenção.

Entretanto, se, ainda assim, o estudante tiver dificuldades ao ler, recomenda-se a leitura em voz alta, pois estudos revelam que a repetição auditiva permanece por mais tempo na memória que a imagem visual. Com isso, o fato de ouvir ajuda a gravar mais que o simplesmente ver escrito num pedaço de papel. Com essa técnica o candidato pode utilizar algumas associações mnemônicas ou trechos importantes de determinadas matérias.

Cabe salientar que nenhuma técnica de memorização será eficaz se o estudante for desorganizado, isto é, ter disciplina para estudar e organizar o conteúdo em questão. É muito importante que sempre ao terminar uma aula, o aluno dê uma revisada no assunto que foi abordado e faça uma rápida síntese do que aprendeu. Na aula seguinte, antes de iniciar a matéria, o aluno precisa reler a síntese da aula anterior. Esse método é indubitavelmente considerado um dos mais eficazes se comparado a outros indicados por neurocientistas.

Por Luciana Viturino


Não é raro encontrarmos estudantes cheios de manias que atrapalham a produtividade nos estudos. Diante disso foi feito uma pesquisa que relatou quais são os piores fatores que atrapalham a vida dos estudantes. Desta forma, vamos abordar neste artigo as dez principais atitudes que pode arruinar o seus estudos.

O primeiro fator negativo e que recebeu os maiores votos está no telefone e nas mensagens de texto. Hoje em dia com as novas tecnologias e a criação de vários bate-papos, como é o caso do Whatsapp, alguns estudantes têm perdido muito tempo com isso. Se não tomar os devidos cuidados, esses aplicativos podem engolir o tempo de estudo do indivíduo.

Em segundo lugar está a fofoca com os amigos, a qual faz os estudantes perderem tempo e muitas vezes com assuntos dispensáveis. Em terceiro e quarto lugar está a internet e as mídias sociais, que têm feito o aluno ficar um bom tempo pesquisando páginas de menos importância e que pode se tornar um vício. O quinto culpado encontra-se nos intervalos para lanches ou fumar, no caso dos fumantes. Algumas vezes, se o intervalo é de 15 minutos, o estudante acaba se esquecendo e prolonga esse tempo, o que prejudica o cronograma diário.

Em sexto lugar, um dos fatores externos que mais atrapalham é um ambiente de estudo barulhento, pois faz com que o aluno não se concentre 100% nos estudos e demore mais tempo para aprender determinada disciplina. Em seguida, está a interrupção de familiares, a verificação de e-mails, a conversa quando o estudo é em grupo, e por fim, as chamadas em viva voz dos colegas de turma. Esses são os principais fatores que atrapalham a vida do estudante.

Se você se encontra com um dos problemas acima, procure tomar algumas providências e sanar o que atrapalha. Assim, você levará menos tempo para aprender o assunto e ser aprovado no concurso ou vestibular que deseja.

Por Luciana Viturino 


Um dos graves problemas hoje encontra-se no fato de conseguir se concentrar inteiramente nos estudos e livrar-se de fatores externos. Atualmente, o mundo moderno conectou toda a sociedade à interatividade, o que faz com que o estado de alerta e a distração andem juntos. Não é raro encontrarmos essa dependência tecnológica que faz com que muitas pessoas experimentem a sensação de aflição por não receber ou compartilhar informações.

Com isso, vamos dar algumas dicas importantes para você se livrar desses vilões que têm atrapalhado a sua vida. A princípio, aprenda a baixar o fluxo dos pensamentos a um nível parecido com a meditação. Isso esvazia o cérebro de outras preocupações e assuntos paralelos. Caso haja dificuldades, foque em algum ponto estático. O desafio aqui é livrar-se da imensa gama de pensamentos que causam ansiedade.

Alguns livros e exercícios proporcionam essas habilidades. É o caso daqueles que possuem alto nível de dificuldade, pois fazem com que os alunos se concentrem mais. Tenha em mente que você terá de ter uma rotina de estudos. Nesse momento não misture tarefas. Tome café na hora do café, trabalhe na hora do trabalho, e estude quando tem que estudar.

Além disso, trace metas daquilo que precisa ser estudado diariamente e a cada hora ou hora e meia, faça pequenos intervalos para descansar a mente. Se for preciso, realize uma lista com tudo o que precisa cumprir. Cada vez que concluir uma tarefa, você ganha um ponto, e se o trabalho for grande, dois pontos. Quando chegar a cinco pontos você se dá um presente. Com dez, você se proporciona meia hora de descanso.

Atente-se também para os estudos em grupo, pois podem ser uma boa tática para a apreensão do conteúdo, porém, isso exige regras de como o programa funcionará, para que não se transforme em encontros para fofocas. Se for preciso faça uma lista do que distrai você.

Por Luciana Viturino


Não é fácil encontrarmos jovens nos dias de hoje que gostam de trabalhar com cálculos. No entanto, aqueles que gostam podem ter certeza de que o mercado é bem atrativo. Diante disso, vamos abordar neste artigo as principais profissões que trabalham com cálculos e que são bastante promissoras.

A princípio temos de lembrar aos futuros profissionais que essas áreas são para aqueles que amam a matemática e não se importam em passar horas a fio resolvendo equações. Com isso, a primeira área em destaque é a de Engenharia, em específico Engenharia Metalúrgica, a qual o profissional irá lidar com a transformação de minérios em metais e ligas metálicas nas aplicações industriais.

Em seguida temos a Engenharia de Controle e Automação em que o Engenheiro projeta e opera equipamentos utilizados nos processos automatizados das indústrias e realiza sua manutenção. No entanto, a área de Engenharia não para de crescer, e, com isso temos a Engenharia Aeronáutica que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves, além do gerenciamento de atividades aeroespaciais.

Outra área de grande importância para aqueles apaixonados em cálculos é a Engenharia de Energia, na qual o profissional tem de planejar, analisar e desenvolver sistemas de geração, transporte, transmissão, distribuição e utilização de energia. Há, contudo, a Engenharia Química em que o profissional trabalha com o desenvolvimento de processos industriais que empregam transformações físico-químicas. E, juntamente com ela, podemos trabalhar com a Engenharia Física em que é possível pesquisar e desenvolver materiais e tecnologias.

Por fim, temos a Engenharia Ambiental que está bem crescente nos dias de hoje e o Engenheiro estará voltado para o desenvolvimento econômico sustentável, isto é, irá trabalhar com os limites dos recursos naturais. Como visto são inúmeras áreas, as principais voltadas para o ramo das engenharias. Lembrando que, há outros setores que trabalham com cálculos que não foram elencados nesta matéria. O que fizemos foi destacar as áreas mais promissoras dos últimos meses.

Por Luciana Viturino


O Internacionalista tem a tarefa de mediar negociações entre empresas, entidades internacionais, governamentais e necessita de conhecimentos sólidos em sociologia, economia, história e antropologia.

O mercado de trabalho para esse profissional se aqueceu após as transformações promovidas pela mundialização do capital e principalmente a Globalização, quando as empresas brasileiras passaram a ter mais contato ao mundo exterior e não mais presas às negociações nacionais.

O maior campo de trabalho para os Internacionalistas são as empresas privadas que têm constantemente buscado a assessoria de profissionais para a solução de problemas comerciais muitas vezes ligadas à diplomacia coorporativa para acordos em compatibilização de acordos para a economia sustentável.

Existem empresas que desejam alçar voos mais altos e se lançar no mercado exterior e esse profissional tem o papel de assessorar todo esse processo de mediação com a empresa no Brasil e seus parceiros no exterior. É fundamental que o profissional de Relações Exteriores tenha domínio do inglês, por isso é imprescindível que o graduando da área invista em cursos de idiomas para ser mais bem aproveitado pelo mercado de trabalho e conquistar uma boa oportunidade de emprego.

O profissional de Relações Exteriores muitas vezes tem envolvimento em questões bastante internacionais como política e economia por isso ter interesse nessas matérias podem ser um indicador que essa possa ser a sua área.

Atualmente o mercado de trabalho para profissionais dessa área está em crescimento, mas ainda é pequeno se compararmos às outras áreas.

Ter uma personalidade comunicativa de interlocução e mediação, ter facilidade para aprender outros idiomas e gostar de viajar são predisposições que podem mostrar um pouco do perfil desses profissionais que são responsáveis por todas as interlocuções nacionais de uma empresa. Tem a missão de ser o representante e o porta-voz de uma empresa para o mundo.

Procure se informar na grade curricular das universidades sobre as matérias do curso, e seja um profissional empenhado em ser diferente no mercado de trabalho.


Hodiernamente, não é raro encontrarmos estudantes que precisam trabalhar durante os estudos. Seja para pagar os próprios estudos, seja para ajudar no sustento da família em casa. Poucos são os que têm condições financeiras de ficar o dia todo somente por conta dos estudos. Desta forma, vamos abordar alguns aspectos dos benefícios de se estudar à noite.

Especialistas afirmam que um das melhores formas de gravar determinado assunto é no decorrer da noite, haja vista o silêncio ser maior e as poucas distrações durante esse período, as quais favorecem a concentração. A ausência de sons externos é o principal fator que leva inúmeros alunos a estudar nesse período. Todavia, para pegar nos livros esse horário são necessários alguns cuidados, pois, caso contrário, o aluno poderá desenvolver alguns hábitos que prejudicarão o desempenho escolar. O fato de dormir tarde, não ajuda as notas se o estudante não tiver qualidade no sono.

Outro fator que precisa ser levado em consideração é estudar numa mesa e com o ambiente iluminado. Ler deitado na cama é “pedir pra dormir”, além de ser uma péssima ideia para quem deseja manter a concentração. Ambientes pouco iluminados também dificultam o aprendizado.

Desta forma, se você está cansado de estudar durante o dia e não consegue obter bons resultados, é importante seguir essas dicas e verificar o desempenho durante o período noturno. Pode ser que essa melhora escolar se encontre nesse turno.

Ressalte-se que, cada estudante precisa pesquisar técnicas de estudos e se adequar a que for melhor. Não há uma técnica específica para todos os alunos, uma vez que cada pessoa tem sua individualidade e rende melhor de determinada forma. Porém, quando um estudante utiliza vários tipos de técnicas para aprender um assunto, pode ser que ele seja mais bem gravado. Como, por exemplo, utilizar videoaulas, leitura de livros e resolução de exercícios em seguida, é uma excelente tática para aprender um assunto.

Por Luciana Viturino


Esse é um período onde muitas pessoas estão estudando e já se preparando para a maratona de provas e de processos seletivos que vão acontecer no segundo semestre deste ano de 2014, como por exemplo, prova do Enem, que é uma das mais importantes, pois existe a possibilidade de conseguir bolsas de estudos em universidades públicas e privadas.

E como essa é uma fase onde os alunos precisam estudar durante muitas horas é preciso também se preocupar com a alimentação para os vestibulandos, e aqui vamos postar algumas dicas de como se organizar também nesse seguimento.

A primeira coisa que se deve ter em mente é que ninguém consegue manter um bom ritmo de estudos caso não se alimente bem, por isso, mesmo que isso leve algum tempo, é preciso sim parar um pouco para ter uma alimentação leve e saudável.

O indicado é fazer uma alimentação em um período de 3 em 3 horas, e durante esse tempo é preciso intercalar as principais refeições do dia, como o café da manhã, o almoço e o jantar. Coma alimentos leves, como frango grelhado, arroz integral e feijão sem caldo. Frutas também são recomendadas.

De acordo com alguns nutricionistas, o ideal mesmo é ter pelo menos 5 refeições ao dia para manter uma boa concentração e a boa disposição para conseguir ficar por mais horas estudando.

Mas vale também ressaltar que a rotina alimentar deve ser alterada aos poucos, até que o organismo comece e se acostumar.

É ideal também beber pelo menos 1 litro e meio de água durante o dia, e beber outros tipos de bebidas como água de coco ou suco natural.

Evite o consumo excessivo de café, de guaraná natural ou de mate, pois isso pode fazer com que você tenha insônia e isso prejudica o seu desempenho no outro dia.

Alimentos como lanches de fast food, salgadinhos, doces e refrigerantes devem ser evitados durante essa fase, pois além de não serem saudáveis, eles ainda podem prejudicar na sua concentração, pois podem causar enjoos e outros tipos de mal-estar.

Por Josiane Fernandes de Jesus


Apesar do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, ter uma diferença de meses da data de inscrição para o dia da prova, sempre existem aqueles que perdem a hora, que saem de casa atrasados e quando chegam no portão são barrados. Quando isso acontece existe toda uma tristeza, gritos e indignação.

No começo do exame, 1998 e até o ano 2000, os locais da prova eram escolhidos de acordo com a região que o aluno morava. Mas como o número de inscritos mais que dobrou em 2001, chegando a 3 milhões. Os inscritos eram direcionados a várias regiões da cidade, de acordo com o número de vagas e pela ordem alfabética, ou seja, alunos que o nome começasse com a letra A eram direcionados a uma área específica da cidade, e assim sucessivamente.

O problema é que não é raro o estudante ser mandando para uma região que não conhece, ou distante da onde mora. Apesar da divulgação ser feita no máximo 2 meses antes ao aluno por meio do site, e-mail e carta na residência do mesmo, muitos não procuram conhecer o itinerário.

Infelizmente é uma cena comum, todo ano pelo menos  umas duas ou três dezenas de candidatos chegam atrasados e começam a chorar em frente ao portão. Em 2010 ficou famoso o caso da estudante que a TV filmou no exato instante em que o portão fechou, ela chega atrasada 4 segundos,  e fica do lado de fora aos prantos. O horário é rígido e a funcionária que fechou o portão não ligou para a estudante já a caminho.

Outro caso famoso é  pai e filha que ano passado também chegaram com os portões fechados com uma diferença de dois minutos após o horário. A garota Ananda Pereira, de 18 anos, e o pai Irmar Rodrigues, de 54 anos, iriam prestar a prova para entrar em uma faculdade, na ocasião o grande vilão foi o trânsito da cidade de São Paulo.

Muitos culpam o trânsito, o atraso dos ônibus ou do metrô. Mas esse é o comportamento típico do brasileiro, de deixar tudo para a última hora. Fuja desse padrão, se o local da prova é distante e você terá que pegar transporte coletivo, saia com antecedência, já contando o atraso do ônibus e o trânsito.

Imprevistos acontecem, mas se a prova é muito importante para você, programe-se com antecedência, assim evitando chegar atrasado.

Uma boa dica é sempre escutar rádios que falam do trânsito, os sites sobre o assunto no dia e a portal da SPTRANS e da CPTM se você for de São Paulo, e os sites do transporte público para os outros estados (eles mostram todas as rotas comuns e alternativas para chegar adiantado no seu destino e ter um tempo para uma última revisada no material de estudo).

Por Rafael da Silva


Adquirir o hábito de escrever não é tão fácil quanto parece, uma vez que exige do aluno alguns cuidados especiais com a leitura, caligrafia e regras ortográficas. No entanto, é possível alcançar a nota máxima no Enem quando o candidato se atenta a esses fatores. Diante disso, vamos abordar algumas dicas de como escrever melhor, feitas por estudantes de exames anteriores que tiraram notas máximas.

Primeiramente, é importante destacar que dos mais de 5 milhões de textos corrigidos apenas 481 receberam notas máximas. Desta forma, o primeiro fator a ser levado em conta são as normas da língua portuguesa, isto é, ter um bom livro de gramática junto a um bom dicionário durante os estudos. Cabe salientar que não existe fórmula mágica para alcançar uma nota máxima, é necessário que o estudante se adapte à prática de redigir diariamente e estudar o máximo que puder.

Outro fator importante é a prova. O candidato que almeja ser um dos destaques no exame precisa conhecer o exame e verificar os que foram aplicados anteriormente. Isso fará com que você saiba o tipo de prova que está lidando. Em seguida, leia e escreva muito, bem como se mantenha atualizado com o que acontece no mundo, através de jornais, revistas e internet. Isso ajudará na hora de emitir uma opinião ao examinador. A leitura de filosofia também pode ser útil, pois ensinará como os grandes filósofos pensavam.

Diante disso, o estudante precisa tomar bastante cuidado com a linguagem utilizada e evitar gírias, bem como clichês ou ditados populares. Evitar, ainda, expressões como “eu acho” ou “eu acredito”. Conhecer as conjunções da língua portuguesa pode ser um diferencial na hora da prova, pois fará com que o examinando saiba conectar orações e estabelecer relações de sentido.

Por fim, antes de iniciar a prova, coloque no rascunho as principais ideias sobre o tema proposto e redija baseado nelas.

Por Luciana Viturino


Com a imensa quantidade de vestibulares que temos nos dias de hoje, juntamente com a gama de concursos públicos com inscrições abertas nem sempre é tão fácil decorar toda a matéria. Muitas vezes o aluno não consegue memorizar melhor o assunto que foi dado em sala. Desta forma, vamos falar a respeito das melhores táticas para se memorizar mais e melhor.

Treinar a memória é como praticar uma atividade física, tem de ser exercitada diariamente a fim de garantir um bom desempenho. Assim, uma das melhores formas de garantir um bom desempenho continua sendo através da leitura. Ela supera a prática de outras atividades como xadrez e palavras-cruzadas. No entanto, não basta que o indivíduo apenas leia, ele precisa refletir sobre o que está sendo lido. Especialistas afirmam que aqueles alunos distraídos ou desatentos não conseguem ter um bom rendimento das informações desejadas. Por isso, uma das maiores aliadas da memória é a atenção, pois sem ela, ninguém memoriza nada.

Além disso, alguns mestres dão dicas aos alunos e dizem que uma das formas de se memorizar determinado assunto é através da leitura em voz alta e posteriormente gravar o que está sendo lido para ouvir depois. A repetição auditiva tende a permanecer por mais tempo na memória do que a imagem visual.

Há também outra forma de memorizar que é através de associações mnemônicas. Contudo, é importante salientar que nenhuma técnica trará bons resultados se o estudante for desorganizado, pois, assim, ele não conseguirá organizar as informações no cérebro e ao realizar uma prova, terá dificuldades para localizar a informação. Cabe lembrar que, o uso de resumos das matérias estudadas também são bons aliados quando se quer manter um assunto na memória. Ao término de cada aula, é importante que o aluno faça uma síntese do que foi aprendido e no dia seguinte, antes de retomar a matéria, que o aluno novamente releia a síntese da aula anterior.

Por Luciana Viturino


A cada ano que passa surge novas profissões e novos ramos do saber. Diante disso, há uma gama de áreas que o estudante pode seguir. Em muitos casos essa variedade também pode deixá-lo em dúvida. Desta forma, vamos abordar neste artigo a profissão de Técnico em Transporte Metroferroviário, na qual o profissional atua na coordenação da circulação de veículos metroferroviários.

Durante a formação o profissional estuda temas como: fundamentos da operação, dinâmica e sinalização metroferroviária, centro de controle operacional, pátios e terminais, gestão e logística. Disciplinas essas que farão todo o diferencial após a formação.

Após concluir o curso o técnico poderá controlar e programar os horários de circulação de trens. Administrar e controlar as atividades de pátios e terminais. Operar equipamentos e sistemas de sinalização, telecomunicações e bordo utilizados nos sistemas metroferroviários.

Manobrar equipamentos e veículos metroferroviários. Atuar nos centros de controle. Prestar serviços de apoio ao usuário e supervisionar a equipe de trabalho. No entanto, durante a jornada laboral o técnico também preencher relatórios, planilhas, documentos de despacho, diário operacional e boletins de ocorrência, além de coordenar e orientar equipes de profissionais envolvidos com a operação.

É um trabalho bastante inovador e que fornece diversas possibilidades de atuação, como é o caso de: Instituições públicas e privadas do sistema metroferroviário; concessionárias; órgãos de controle e regulação; empresas de projeto, operação ou consultoria no setor metroferroviário.

Como vimos, é uma profissão bastante dinâmica que oferece vários setores para exercer o trabalho. Para fazer o curso, que tem duração de um ano e meio é necessário passar por um processo seletivo.

Os aprovados já entrarão em contato com a parte prática logo no início, pois terão de realizar estágio, além de fazer um trabalho de conclusão de curso. Ao final, os estudantes terão grandes chances de conseguir um bom emprego, uma vez que o mercado necessita desses profissionais. 

Por Luciana Viturino


Hoje em dia o que mais encontramos são pessoas recém-formadas já pensando em uma pós, especialização ou mestrado. Mas você sabe qual é a diferença de uma especialização e de uma pós, por exemplo?

O primeiro diz respeito a adquirir mais conhecimento sobre uma área determinada em que você já atua ou quer atuar. O segundo, vale mais para aqueles profissionais que se graduaram e que estão em busca de uma atuação mais específica. 

Mas, qual a melhor hora para iniciarmos tudo isso? Será que existe um momento especial para tomarmos uma iniciativa? Será que precisamos estar preparados para tal responsabilidade? Se esse é o seu momento atual, confira abaixo algumas dicas simples que podem te ajudar a refletir sobre o assunto.

Atualmente o mercado anda muito exigente mesmo, mas isso não quer dizer que você precisa abrir mão de você mesmo. Não invista em nada sem antes ter a absoluta certeza.

Antes de mais nada, o primeiro passo é adquirir experiência na profissão que você já escolheu. Estar tranquilo e satisfeito com a demanda da sua profissão atual fará com que você fique mais seguro quanto ao futuro dela, e consequentemente poder realizar seu curso tranquilamente. Por isso, não tenha pressa. 
Terminar a graduação, não significa que você deve obrigatoriamente se sujeitar a um outro curso sem saber a situação do mercado que você escolheu. Prefira adquirir experiência na profissão.

Se mesmo assim você optar por continuar seus estudos em sua carreira, prefira algo que esteja mais alinhado com a sua área no mercado. E, se não for o que você goste, repense essa questão, pois estabilidade normalmente envolve outros aspectos também. 

Um curso de pós-graduação ou mestrado normalmente precisa estar dentro daquilo que você já possui um certo conhecimento. Se você já possuir conhecimento e já atuar na área, basta se informar a respeito, assim você terá todo apoio necessário durante seu curso de especialização. 

Não invista apenas no diploma. Entregue-se de corpo e alma. Faça valer a pena. O mercado abre as portas para pessoas que são criativas e que exercem sua profissão com entusiasmo, e não para aquelas pessoas que não se atualizam. 

Por Daniela Almeida da Silva


Processos seletivos de vestibulares ou concursos costumam contar com provas para a qualificação do candidato. Essas provas possuem em sua maioria uma parte de matemática, língua portuguesa, conhecimentos gerais e redação.

Muitas pessoas têm grandes dúvidas na hora de desenvolver uma boa dissertação de acordo com o tema proposto pela prova em que estão fazendo. Acompanhe aqui algumas dicas de como escrever uma boa redação e tirar bom proveito de suas palavras escritas para ir bem em um processo seletivo.

O que é uma dissertação?

O candidato deve manter em mente que o texto exigido nessas provas, em sua maioria, é uma dissertação. Uma dissertação é um texto constituído de argumentos convincentes que procuram comprovar uma tese baseada nas opiniões do autor deste texto.

Etapas da dissertação:

É constituída por três etapas: apresentação, desenvolvimento e conclusão.

Apresentação:

Nesta etapa é onde o autor esclarecerá a tese, ou seja, o que pretende desenvolver no texto de acordo com o tema proposto. É aproveitado o primeiro parágrafo para a desenvoltura dessa “explicação” inicial, que guiará o leitor do texto para o assunto que será tratado.

Desenvolvimento:

No desenvolvimento são aproveitados cerca de 2 parágrafos, para que o autor desenvolva seu texto. O autor irá utilizar de argumentos que comprovem suas opiniões sobre o tema, podendo utilizar de fatos, dados, citações e também opinião própria, tudo para constituir argumentos plausíveis e convincentes.

Conclusão:

É apresentada no parágrafo final. Nela é feito o resumo das ideias apresentadas durante todo o texto. É possível que o candidato apresente uma solução para o problema discutido na dissertação, porém, não é obrigatório.

Lembre-se que dissertações não são textos longos. Embora exprimam a opinião do autor do texto, devem ser escritas de forma culta, evitando gírias ou coisas do gênero. Não costumam passar de uma folha, logo, deve-se ser objetivo e simples, apresentando seus argumentos de maneira eficiente para que sejam entendidos. Seguindo essas dicas, você poderá fazer uma boa dissertação.

Por Luiz Guilherme Feliciano Palazzo


Muitas pessoas de todo o Brasil sonham em fazer um curso superior em uma universidade de grande conceito e que sejam gratuitas, porém, para conseguir alcançar essa meta é preciso estudar muito e ainda realizar alguns tipos de simulações para estar cada vez mais preparado.

Porém, como todos sabem, a vida de um vestibulando não é fácil e muitas vezes não é possível ingressar no curso que almeja na primeira tentativa. Por isso, se você não conseguiu passar no vestibular e quer desde já se preparar para a próxima seletiva que vai acontecer ainda nesse ano, saiba que aqui vamos mostrar que o pensamento positivo e a vontade de vencer devem ser sempre os primeiros itens presentes na sua mente.

Vale lembrar que a rotina continua a mesma, tendo horas e horas de leitura de livros, de resumos, de realização de exercícios, fórmulas e quase sempre uma boa dose de tensão, porém, essa é uma fase que valerá muito a pena quando o seu nome aparecer na lista dos aprovados, não é verdade?

Não se desanime e olhe para o alvo, fazendo isso vai ser possível entender que você não foi o primeiro e nem será o último a ser reprovado, pois a procura pelos cursos é bem grande e existe um número limitado de vagas.

É fundamental que todos ainda tenham a consciência de que fizeram o seu melhor e que é preciso sim tentar melhorar para conseguir a realização do seu sonho, porém, é preciso também minimizar a autocobrança, que para alguns é extremamente severa, o que muitas vezes pode levar ao sentimento de derrota e não é dessa forma que se deve pensar.

Faça um guia de estudos e comece o quanto antes, porém, ainda vale lembrar que é preciso ter o tempo de descontração para que o estresse não tome conta e você fique ainda mais ansioso para a realização do novo exame.

Por Josiane Fernandes de Jesus


Você já parou pra pensar em estudar ouvindo músicas? Isso é o que vai dizer um grupo de neurocientistas que fez um estudo sobre o assunto. Muitos estudantes não conseguem estudar diante de tamanho silêncio e acabam dormindo ou então, não conseguem se acostumar com o barulho alheio e optam por ouvir determinados tipos de músicas.

De acordo com eles, o que ocorre é que a depender do tipo de música que o aluno esteja ouvindo, determinadas áreas do nosso cérebro são ativadas.  Estas áreas são as que cuidam da nossa criatividade e faz com que nossa concentração, autoconfiança e coordenação melhorem. Todavia, é importante lembrar que as músicas que os neurocientistas indicam são as clássicas, as que contêm apenas sons ou então aquelas na qual o cantor cante em outro idioma que você não entenda, porque o fato de ouvir, por exemplo, uma música em língua portuguesa em que você tem pleno domínio, pode te deixar mais disperso e com vontade de cantar.

Entretanto, existem alunos que já se acostumaram desde pequenos a estudar em pleno silêncio e quando ficam diante de algum tipo de barulho, perdem a concentração. Esse é um fator prejudicial, pois nos dias de hoje é muito difícil encontrarmos um ambiente na qual seja 100% silencioso. E nos dias de prova, pode ser que o ambiente não esteja totalmente calmo, devido à ruídos ou outros fatores externos. Diante disso, a melhor coisa a se fazer é habituar-se a estudar com alguns tipos de barulho.

O tipo de música varia de pessoa para pessoa, cada uma tem um tipo biológico de um jeito. Ainda que sejam gêmeos não significa que terão o mesmo gene. Por isso, se você é do tipo que gosta de ouvir músicas durante os estudos, aproveite essa dica e deixe que elas agucem a sua criatividade. Com o tempo, já será perceptível a mudança ocorrida.


Os vestibulares mais concorridos do Brasil já passaram, mas no ano que vem tudo volta de novo. Muitas pessoas tentando pela primeira vez e muitas tentando mais uma vez entrar na universidade dos seus sonhos. Entrar em uma boa universidade no Brasil não é tarefa fácil, ainda mais com tanta concorrência e com tantas pessoas com o mesmo sonho, o que te diferencia delas? Você se acha preparado para encarar esse desafio? E se não, o que fazer?

Nos seus últimos dias de estudo, é importante fazer uma revisão de tudo o que você acha mais importante, as matérias que você tem mais dificuldade precisam ter uma atenção especial, tudo o que você não gosta ou não entende pode cair na prova também, então é bom focar no que você ainda não é tão bom.

Manter a calma é uma das coisas mais importantes para ir bem em uma prova, o nervosismo atrapalha a concentração e não te deixa pensar direito. Um dos segredos para manter a calma é não pensar muito na prova nos dias que a antecedem, é claro que isso é quase impossível mas tente deixar sua cabeça livre de qualquer pensamento que envolva a prova. Ficar estudando nos últimos dias só te deixa mais nervoso, não estudar nesses dias não vai atrapalhar, afinal, você já se preparou durante um ano para esse dia.

Dê o seu melhor independente da nota de corte que você precise. Esse é um grande problema das pessoas: o vício de se acomodar, alguns pontos a mais na prova não farão mal a ninguém e te darão mais segurança para fazer a segunda fase de provas.

Então lembre-se, para se sentir bem e seguro, procure estar relaxado, ter certeza de que estudou o suficiente e dê sempre o seu melhor, se não for dessa vez, sempre temos o ano que vem para tentar mais uma vez. Mantenha sua cabeça erguida e boa prova!

Por Tom Freitas

dicas para antes da prova

Foto: Divulgação


Você tem um Tablet? Talvez não! Mas com certeza você tem um celular! Nos dias de hoje todo mundo tem um celular.

O celular pode ser um forte aliado para seus estudos. Além de poder fazer pesquisas na internet.

Você poderá com aparelhos mais avançados baixar aplicativos. Aplicativos com simulados, para você responder durante o seu dia, você pode também  assistir a vídeo-aulas e ouvir músicas auto explicativas. Como por exemplo: Para o aprendizado da língua portuguesa você pode baixar as músicas da banda Sujeito Simples www.sujeitosimples.com.br , por exemplo. Aprender a língua portuguesa cantando.

Nas horas de dúvidas e no aprendizado de novas palavras, você também pode baixar aplicativos ou arquivos em Java quem contenham dicionários da língua portuguesa e até mesmo tradutores.

Graças a tecnologia não ficamos mais presos ao papel e ao livro, com estes avanços, pode-se aprender de forma divertida e criativa favorecendo ao nosso cérebro, pois ficamos menos estressados e menos sobrecarregados na hora de estudar.

Considero super importante esse mecanismos e estratégias que já vem sendo utilizados por muitos durante o dia a dia. Use o celular a seu favor e obtenha sucesso em seus estudos, só não vale ficar trocando sms’s com os amigos o tempo todo!

Por Lidiane Freitas


Sabe-se que a prova de redação de qualquer processo seletivo na atualidade é de caráter eliminatório. Por isso, vou repassar algumas importantes dicas para você que está estudando e deseja ser aprovado nas seleções;

Para que se consiga fazer uma redação relativamente boa. Antes de tudo se faz necessário que você aprenda a ser um leitor. Buscar prazer ao ler até bula de remédio (Brincadeira tá?)…

Mas é necessário sim que você leia bastante. Leia quantas notícias forem necessárias na internet, habitue-se a ler jornais e revistas.

Procure manter-se sempre informado, assista a telejornais e a reportagens. Coloque o seu senso crítico pra funcionar. Não sabe como fazer isso? É fácil. Comece desse jeito: Tudo o que você ler, habitue-se a escrever ao menos um parágrafo sobre o assunto.

Após ler reportagens, procure pensar a respeito e colocar no papel o que você pensa a respeito do assunto, dê sua opinião, discuta a respeito do tema e defenda sua ideia. Assim você estará se preparando para dar um show na sua prova de redação seja ela de vestibular ou concurso, até mesmo, classificatória para admissão em empresas.

Por Lidiane Freitas


Esse é o momento certo para você começar a estudar e a se preparar para as provas de vestibular, prova do Enem que vai ocorrer no mês de outubro, ou para qualquer outro tipo de avaliação que requer conhecimentos gerais da sua parte.

Muita gente deseja estudar para o vestibular mais não sabem exatamente como fazer isso, por isso, aqui vamos mostrar quais são as melhores dicas para mandar bem nas provas, e saiba que a primeira delas é manter uma boa rotina de estudos, inclusive nos finais de semana.

Deixe um lugar separado na sua casa para estudar. Esse lugar deve ser tranquilo, e de preferência, que você tenha acesso à internet nele.

Depois de fazer isso, saiba que de acordo com o coordenador do curso pré-vestibular Anglo de São Paulo, Alberto Francisco do Nascimento, o ideal é fazer um cronograma diário de estudos.  No caso, é preciso fazer uma tabela com a quantidade de horas que vai estudar uma determinada matéria, qual a matéria que vai estudar em cada dia da semana e etc.

Após isso, é preciso sempre seguir essa rotina para conseguir os melhores resultados. E para testar os seus conhecimentos faça simulados na internet. Um site que você encontra muitos simulados é o Guia de Estudantes. Clique no link guiadoestudante.abril.com.br e acesse. 

Por Josiane Fernandes de Jesus


Aqui, pois, falaremos sobre dicas importantes para quem ainda não escolheu seu curso ou profissão em termos de vestibular. Essa é, sem dúvida nenhuma, um dos maiores desafios da vida de um estudante. Afinal, ao escolher que profissão seguir, ele deixa de lado várias oportunidades e caminhos que poderia ter seguido. Seja como for, para ajudar em seu processo de vocação, eis alguns pontos relevantes para pensar.

1 – Pense nas profissões que você mais gosta. Faça uma lista com as atividades que, de acordo com a sua opinião, mais tem a ver com seu perfil.

2 – Converse com profisisonais das áreas de seu interesse. Faça perguntas sobre o mercado de trabalho, os salários, as funçõers mais exigidas em seu trabalho. Procure aprender sobre o cotidiano do curso escolhido para ver se, realmente, este se encaixa no seu jeito de ser.

3 – Escreva suas habilidades. Preste atenção nos cursos que mais possuem características parecidas com suas competências. Isso, naturalmente, auxilia no que diz respeito a sua vocação para determinadas tarefas.

4 – Tenha uma segunda opção: embora, em muitos casos, os estudantes já sabem o querem fazer, sempre é bom ter um plano b, algo que possa ser importante caso a primeira escolha acabe se tornando frustante.

Essas foram algumas dicas que tem como objetivo orientar os futuros universitários do nosso país.

Por Madson Lima de Oliveira


Vai fazer o vestibular na Cásper Líbero e não sabe como se preparar para essa avaliação que vai acontecer no dia 15 de dezembro? Saiba que a própria fundação vai oferecer palestras gratuitas sobre filmes e livros que vão ajudar nesse vestibular.

Essas palestras serão ministradas pelos professores da instituição de ensino, na qual eles comentarão sobre os livros e filmes que caem na prova do vestibular.

Nessas palestras todos os vestibulandos poderão tirar dúvidas fazendo perguntas e interagindo com os professores e com outros alunos que estarão na plateia, sendo uma excelente oportunidade de aprendizado.

Com certeza você não pode perder dicas de extrema importância que esses professores vão oferecer, por isso saiba como participar.

Veja o cronograma das palestras abaixo:

Til – José Alencar – 13/08, às 15h
Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis – 27/08, às 15h
O Cortiço – Aluísio Azevedo – 10/09, às 15h 
Sentimento do Mundo – Carlos Drummond de Andrade – 24/09, às 15h
O Fio das Missangas –  Mia Couto – 8/10, às 15h
Leite Derramado – Chico Buarque – 22/10, às 15h

Ligue para os telefones (11) 3170-5910 /  3170-5911 e se inscreva a partir do dia 06 de agosto. Para saber mais acesse o site www.casperlibero.edu.br.

Por Josiane Fernandes de Jesus


No vestibular ou no Enem, uma boa redação é essencial para se obter aprovação. Nesses concursos (quer queira, quer não queira), este é um mal necessário. Existem fatores que devem ser considerados para se fazer um bom texto dissertativo/argumentativo. Veremos o que pode ser útil na hora de encarar algum concurso vestibular ou o próprio exame do ensino médio.

Um dos pontos mais importantes – senão o mais interessante – é estar bem informado. Sem estudar assuntos de atualidades, não é possível fazer uma boa redação. Segundo a professora Maria Aparecida Custódio (escola Objetivo): “O candidato precisa estar atento às questões que estão mobilizando a opinião pública e que podem provocar polêmicas no país”. Sem as informações adequadas, é inviável chegar a uma boa pontuação na prova argumentativa/dissertativa.

A tendência dos temas das redações do Enem são justamente temas sociais, os quais estão atrelados a assuntos da atualidade, como já comentado – por isso da importância de se estar atualizado desses temas. Pode ser que seja um tema atípico para quem faz a redação na hora do exame, mas com certeza as informações que o vestibulando captou, estudou ou recapitulou meses antes da prova, serão de extrema importância para o desenvolvimento do tema proposto.

Outro aspecto primordial é estar tranquilo para enfrentar o exame. Estude, mas descanse bem na semana que antecedente ao exame. Além de estudar, é preciso dar um tempo a mente, para que ela possa absorver o que foi estudado – esse é o melhor método a ser seguido, quando se fala de estudos preparatórios. O nervosismo na hora da prova atrapalha tudo, acaba bloqueando o que foi estudado.

Portanto, para o próximo exame, estude, organize-se, relaxe. Seja um estudante aplicado. Respeite o seu corpo e mente, dando repouso necessário para eles. Leia revistas, sites especializados em estudos e provas de concursos e exames preparatórios. Estude temas da atualidade para a prova da redação, e lembre-se de que o que foi estudado, em qualquer hipótese, ajudará a você a elaborar uma boa redação.

Por Reginaldo Soares


O vestibular 2013 está chegando e com ele sempre a mesma angústia, a mesma dúvida de sempre que assola a maioria dos Jovens do Brasil: Que curso devo escolher? Aqui,como caráter de informação e ajuda para o estudantes, falaremos um pouco a respeito de uma interessante  profissão: Jornalismo.

Existem vários meios onde o jornalista pode atuar: revistas, internet, rádio, televisão etc. O curso,que dura quatro anos, é composto por disciplinas tanto práticas, como  teóricas; matérias que vão de Teoria da Comunicação até aulas de Webjornalismo. Se você é curioso, gosta de ler e escrever, aspira por novidades, talvez a carreira de jornalista seja a sua vocação.

O mercado de trabalho é amplo,embora os jornais e revistam estejam diminuindo. Muitos Jornalistas optam por trabalhar como freelancers. Assim, para ser um grande profissional, lembre-se que o jornalismo é uma área que precisa de pessoas com senso crítico e comprometidas não somente com a notícia, mas sim com a melhoria de toda uma nação.

Assim,para uma melhor reflexão de sua parte sobre o jornalismo, deixaremos uma frase do jornalista e grande mestre da literatura, o colombiano Gabriel García Márquez: ''Porque o jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade.''

Por Madson Lima de Oliveira


Para quem vai prestar vestibular, uma dúvida é certa: que curso e profissão escolher?

O grande dilema é que muita gente não sabe o que quer e, por conta de uma educação deficiente, também não entende sobre as profissões, de modo que fica complicado escolher alguma delas. O vestibulando deve, sem dúvida, fazer o que gosta. Por isso, como não podemos destacar todos os caminhos profissionais que existem, deixaremos  a dica de uma profissão que somente cresce em nosso país: a Psicologia.

A Psicologia é uma área que oferece muitas possibilidades de trabalho para os seus profissionais. O Psicólogo pode ser clínico, organizacional, hospitalar, escolar, além de poder atuar como professor universitário ou no ambiente social, ou seja, trabalhando nas comunidades.

O papel da Psicologia é amplo, mas podemos resumir dizendo que trata-se de uma profissão que une saúde e comportamento como suas principais ferramentas. Os Psicólogos precisam respeitar a subjetividade de cada sujeito e desalienar o ser, buscar soluções que englobam todos os fatores da vida de uma pessoa: mental, físico e social.

Sim, a Psicologia não se restringe somente aos consultórios, pois até área jurídica já existe.

Aqui você ficou sabendo um pouco sobre a função desse profissional. Se gostou, então estude Psicologia.

Por Madson Lima de Oliveira


Você vai prestar vestibular e não sabe quais livros de literatura deve ler? Seus problemas acabaram. Conheça, de acordo com uma lista feita pela FUVESP, quais são os romances que mais caem nas provas vestibular!

Lista de leituras obrigatórias:

1 – Memória de um Sargento de milícias: essa obra foi escrita pelo autor Manuel Antonio de Almeida. O livro fala das camadas sociais mais pobre do país e revoluciona a forma de fazer literatura no Brasil por conta de sua linguagem popular. A obra foi publicada em 1854, sendo um dos principais marcos do movimento do Romantismo.

2 – Vidas secas: Escrito pelo alagoano Graciliano Ramos, Vidas Secas é um dos livros mais lindos e importantes da cultura nacional. Trata-se da história de uma família nordestina que tenta sobreviver ao imapcto da seca. Sempre presente em vestibulares e testes, esse livro virouum clássico literário,além de habitar no imaginário de todosos que não consequem esquecer da cadela Baleia.

3 – Memórias Póstumas de Brás Cubas: Esse romance escrito pelo grande Machado de Assis é figura certa e carimabada em diversos exames. Todo vestibulando precisa ler essa história que, de forma genial,é narrada pelo próprio morto. É uma obra que marca o começo do Realismo no Brasil.

4 – Macunaíma: clássico do escritor Mário de Andrande, pesquisas mostram que Macunaíma já caiu seis vezes no vestibular.  É uma obra modernista onde conhecemos o verdadeiro herói brasileiro.

5 – Iracema: principal livro do escritor cearense José de Alencar, Iracema conta a história da índia virgem dos lábios de mel que se apaixona pelo português Martin. Esse romance também figura muito nos vestibulares nacionais.

Por Madson Lima de Oliveira


Sabe-se que atualmente as provas de Português raramente trazem  questões que abordem somente gramática. Tem-se dado uma grande importância à interpretação. Questões de interpretação podem envolver gramática e testar o seu nível de compreensão textual.

As provas estão vindo sempre repletas de textos, poemas, charges, músicas,  entre outros. Então, antes de começar a responder leia atentamente às questões, em seguida leia com bastante atenção os textos da prova e grife o que mais te chamar atenção. Sabe por qual motivo deve grifar? Pra facilitar sua visibilidade. E também você já vai ter um pouco de noção do que estará sendo pedido nas questões.

Por isso, assim que pegar a prova, “passe o olho” rapidamente nas questões, pra evitar aquele problema chato de estar respondendo a questão e sentir necessidade de voltar a ler todo o texto novamente.
Se tiver poema, tente identificar a princípio de qual época é o autor e qual escola literária.

Nas charges, observe se há intertextualidade. A intertextualidade é a relação que ela possui com outros textos ou temas. Vale a pena ressaltar que a prova de língua portuguesa é uma das que mais “pesam” em qualquer processo seletivo.

Se a prova vier com alguma música, coloque em prática o seu senso crítico e boa sorte! 

Por Lidiane Freitas


Como você fica no dia anterior de uma prova? Segue rituais propagados em cursos preparatórios? Fica roendo todas as unhas? Revisando os assuntos? Se você respondeu sim a maioria das perguntas preste atenção, pois, darei algumas dicas para que saibam como se portar neste momento tão importante.

Na hora de uma prova de concurso ou vestibular, à princípio é necessário manter a calma em todos os aspectos. Não adianta estudar na véspera. É um erro de muitos alunos se desesperarem tentando abarcar todos os assuntos aprendidos. Apenas relaxe.

Você estudou? Se sente preparado?  Em caso afirmativo, não esquente. Um dia antes da prova procure sair, ir ao teatro, ouvir uma boa música, ir ao cinema, ir à igreja, sair pra comer, sair pra dançar (Mas nem pense em ingerir bebida alcoólica). Faça coisas simples e prazerosas para você.

Muitas pessoas dizem que você precisa dormir cedo, descansar, fazer tudo “certinho”, mas eu não concordo. Durma no horário de costume. Não há um ritual a seguir, não seja metódico, siga o relógio do seu organismo.

E no dia da prova? Cuidado com a alimentação! Não exagere, pois o nervoso e a ansiedade podem interferir na sua digestão, evite comer pratos picantes ou pesados. Certifique-se que está muito bem acompanhado por uma garrafinha de água.  Já vi gente levando cachorro quente, salgadinhos, refrigerantes e etc.

Sinceramente, acho que se fizer isso, vai gastar uns 30 minutos só comendo. Se for comer algo que seja algo doce (seu organismo vai precisar de muita glicose), então pode ser uma barra de cereal nutritiva, um suco pronto, frutas  ou até mesmo uma deliciosa barra de chocolate… E então? Tudo ok?

Espero que sigam as dicas e por fim, não esqueçam de levar 1 caneta reserva e sucesso!

Por Lidiane Freitas


Muitas vezes os estudantes, antes mesmo de se formar no curso escolhido, começam a ter dúvidas sobre a profissão que antes lhe parecia mais conveniente. E, em não poucos casos, vários deles pensam em fazer uma segunda faculdade, com uma opção de curso totalmente oposta do já vivenciado.

Identificou-se com a descrição acima? Se a resposta foi sim, saiba que não é errado que o jovem busque novas oportunidades quando a perspectiva atual não mais lhe agrada. O problema é saber avaliar se esta insatisfação é real ou apenas momentânea, resultado de uma (ou inúmeras) decepção, ou experiência negativa com o curso atual. Caso o desagrado seja de fato com a profissão, rever o curso realmente pode ser uma boa opção. Entretanto, caso haja frustrações com o curso, é importante pensar no futuro fora da Universidade, afinal, este é apenas o momento de preparação, pois a experiência profissional é bastante distinta da experiência acadêmica.

Portanto, lembre-se que, se não está animado com a atual escolha, a próxima pode também não lhe render grandes frutos, caso não seja bem pensada. É necessário avaliar todas as opções, presentes e futuras, e sempre se lembrar de que somos capazes de fazer mudanças em nossa vida a qualquer momento, basta saber qual é o momento correto.

Por Leni do Vale


Vou relatar agora uma situação tão comum, que se você não passou (ou passa) com certeza conhece alguém que já vivenciou: após anos de muito empenho, você se forma em um curso superior, e de repente, passa-lhe pela cabeça que talvez a profissão escolhida não seja bem o que gostaria de fazer pelo resto da vida. Então, esta história lhe soa familiar?

Com certeza esta é uma constatação bastante complicada, mas não é motivo para você se preocupar tanto assim, afinal, como já disse, você não está sozinho. Na verdade, é mais comum do que você imagina, pois escolhemos nossa profissão em uma fase da vida em que acabamos de descobrir que somos adultos e temos responsabilidades. Neste momento, queremos mais é ir para a balada com os amigos do que perder noites de sono decidindo um futuro tão incerto.

Então, se você se encontra nessa situação, relaxe. Lembre-se que nunca é tarde para começar a fazer coisas novas, o importante é ter disposição para isto.

Aprender uma atividade às vezes pode ser mais prazeroso do que você imagina, principalmente porque agora a escolha será feita com maturidade e principalmente, muita cautela. Por isso, tire um tempo para se redescobrir, pense no que você gosta e o que lhe dá prazer.

Estude as profissões, mas não apenas levando em consideração a remuneração que ela poderá oferecer, pense principalmente em sua satisfação, com certeza, a contraprestação será uma consequência.  

Por Leni do Vale


Para os estudantes que passam por uma séria preparação para os vestibulares uma tecnologia relativamente recente tem se tornado um sério agravante, as redes sociais.

Facebook, Skype ou Instagram, são utilizados por muitos estudantes diariamente e não raramente por muitas horas por dia. O uso indiscriminado do tempo e o excesso de atenção a esse tipo de atividade podem ser grandes problemas para quem precisa manter o foco nos estudos.

O candidato deve saber que precisa priorizar seus esforços e que se não encarar de forma séria as limitações no período de preparação pode sofrer consequências e ter todo o ano colocado em risco. Portanto, a médio prazo, os prejuízos podem ser bem grandes do ponto de vista do desgaste mental e dos esforços empregados.

As redes sociais fazem parte do nosso dia a dia e o candidato não precisa abandoná-las por completo. No entanto limitar o tempo em no máximo uma hora diária, podendo flexibilizá-la em frações de 30 minutos por dia pode ser um bom começo.

Há canais nas próprias redes sociais sobre vestibular com dicas e conteúdo específicos, assinar esse tipo de publicação pode auxiliá-lo a não esquecer ou se perder nas horas na frente do computador e ainda passar alguma informação que pode ser útil na hora das provas.

Por Bruno Hardt


Já pensou em largar na frente dos concorrentes em busca da tão sonhada vaga nos vestibulares federais e estaduais? A disputa está cada vez mais acirrada e para garantir uma vaga, não basta apenas estudar a matéria constante no edital.

Além da fase de preparação com o levantamento e resolução de provas anteriores também é preciso dominar técnicas de leitura e compreensão do texto. Neste sentido, convém destacar que poucos são os candidatos que conseguem responder uma prova, dedicando a merecida atenção a todas as questões.

Alguns priorizam esta ou aquela matéria em detrimento de outra. Há aqueles que lançam a sorte no “chute” e nem sempre obtêm êxito com esta prática. No final das contas, o candidato desanima com a demora na aprovação adiando a realização de um sonho em razão de um simples hábito que pode ser incorporado no dia a dia: o hábito da leitura.

E não basta ler de qualquer jeito. A falta de concentração dá margem a distrações e diminui a velocidade na leitura. O ideal é ler com os “olhos”, na velocidade do pensamento, evitando assim um subaproveitamento do seu tempo.

Por Ana Carolina Maciel


O ano de 2013 já vai começar e é grande a quantidade de estudantes candidatos às vagas das Universidades Federais e Estaduais de todo o Brasil, como a UFMG, a UERJ e a UNB.

Passar em um vestibular e garantir uma vaga nestas universidades requer um grande esforço dos estudantes. Isso porque a concorrência é grande e as provas são difíceis.

Sem dúvidas o nível de ensino que o estudante teve durante sua vida (principalmente no 2º grau) influencia muito no seu desempenho. É a base dos estudos que garante uma boa colocação no vestibular. Mas não depende só disso. O estudante tem que se esforçar por conta própria, lendo bastante e fazendo muitos exercícios.

Fazer cursinhos preparatórios é essencial, principalmente para quem tem dificuldades de estudar sozinho. Mas mesmo quem faz cursinhos, é bom estudar em casa também para fixar o conteúdo.

Para os candidatos que preferem estudar em casa sem a ajuda de cursinhos, é importante ter disciplina e organização. Se alimentar bem para ter energia para os estudos, desligar a televisão, o celular e o computador para que não seja interrompido, são algumas regrinhas básicas para estudar em casa. Por fim, dedique mais tempo às matérias que sente maior dificuldade.

Por Nathalia Henderson


Ler ainda é considerado uma tarefa difícil para muitos brasileiros. Pesquisas mostram que quanto mais cedo começarmos a ter o hábito da leitura, maiores são as chances de nos tornarmos leitores assíduos e evitarmos somente aquela passadinha de olhos pelo papel.

O hábito da leitura nos ajuda a prestar mais atenção em tudo que está a nossa volta, afinal, a preguiça de ler já fez com que muitos alunos não obtivessem um bom resultado no vestibular. 

Quanto mais cedo começamos a ler, melhor será nosso desenvolvimento em qualquer processo de aprendizagem.

Muitos alunos erram questões no vestibular pela falta de compreensão do enunciado, o que pode estar diretamente ligado à falta de atenção durante a leitura. Passar os olhos e achar que tudo foi compreendido é o maior "pega ratão" aplicado pelo cérebro do ser humano.

Diversos vestibulares aplicam perguntas que podem ser interpretadas de forma ambígua e o detalhe que faz toda a diferença é a atenção e facilidade de compreensão. 

A leitura desenvolve diversos sentidos e traz muitos benefícios, os quais irão se perdurar por toda a vida.

Além de desenvolver uma comunicação mais rica, através do conhecimento das palavras, escrita correta, desenvolvimento da imaginação e da pronuncia, as leituras, seja de livros, jornais ou revistas, nos concedem uma bagagem cultural importantíssima para encarar o mercado de trabalho. Lembrando sempre que o primeiro passo para entrar no mercado de trabalho ainda se chama VESTIBULAR.

Por Dayane Garcia


Alguns estudantes ficam em dúvida se a carreira que escolheram é realmente a que desejam. É exatamente por isso que os vestibulandos precisam se informar melhor sobre a profissão que almejam antes de prestar o vestibular, para que futuramente a faculdade não se torne uma decepção.

Há inúmeras formas de o vestibulando descobrir mais sobre o curso que gosta. Uma delas é comparar a grade curricular de inúmeras faculdades e analisar qual atrai mais o estudante. Muitas vezes as faculdades divergem bastante sobre a metodologia utilizada. Além disso, a linha de pesquisa também contribui para grandes diferenças entre as universidades.

Outra maneira é procurar profissionais da área de interesse e saber como trabalham, com o que trabalham e onde trabalham. Sabendo mais sobre o dia a dia desses profissionais, o estudante entenderá como funciona a dinâmica da profissão que escolheu.

Os estudantes também podem ir às faculdades e assistir algumas aulas do curso que gostam. Geralmente faculdades públicas permitem isso sem que o aluno necessite agendar uma aula. Faculdades privadas podem exigir que o aluno avise com antecedência que deseja assistir uma aula.

Se no final ainda houver dúvidas sobre a profissão, o melhor a ser feito é procurar um orientador profissional.

Por Jéssica Fabrícia da Silva


Uma das provas que muitas vezes causam medo nos candidatos de vestibulares em todo o país diz respeito à redação. Isto ocorre pela necessidade de um pensamento claro do estudante para que seja criado um texto conciso e coerente, exigência esta que pode ser um problema.

As bancas examinadoras de vestibular, neste tipo de avaliação, consideram a qualidade do texto, bem como o atendimento do mesmo aos requisitos solicitados na prova de redação.

Por isso, de forma generalizada, é sugerido pela maioria dos professores que os alunos iniciem a prova pela redação, analisando o tema e fazendo o rascunho. Depois desta primeira versão, é preciso fazer as questões de Português e depois retornar para realizar a versão final da redação, que estará mais concisa e adequada às propostas da banca.

Para evitar que neste processo de confecção do texto surjam problemas fatais para a aprovação, os estudiosos deste assunto indicam que os principais erros relacionados à redação são: Fuga do Tema, Erro do Gênero do Texto (exemplo: fazer uma narração ao invés de uma dissertação), Apresentar Argumentos Frágeis, Texto sem Coesão e Coerência, Usar Gírias, além de Cometer Erros Gramaticais ou de Concordância.

Deste modo, para evitar a ocorrência destes erros, é preciso um estudo aprofundado das regras gramaticais e de produção de textos. Além disso, também é necessário treinar muito antes da prova para verificar como esta a elaboração das redações pelo candidato.

Por Ana Camila Neves Morais


Grande parte da sua vida é dedicada a aprender um pouco de tudo: português, matemática, história, biologia, entre outras disciplinas. Contudo, algumas destas matérias ficam apenas em vagas lembranças, pois quando o ensino médio termina, o apropriado é seguir adiante com o que mais se identifica.

Geralmente, a maioria dos alunos tem em mente qual profissão seguir e começam a se preparar durante o último ano para prestar o temido vestibular.

Para quem tem dúvidas quanto à profissão, uma das opções para se decidir pode ser por meio de uma consulta com um orientador vocacional, que vai analisar seu perfil, seus interesses e indicar algumas áreas de atuação.

Neste momento, é importante pensar no futuro e observar se a profissão escolhida não está saturada no mercado de trabalho. O ideal é fazer uma pesquisa para verificar as áreas em destaque e que necessitam de mais pessoas capacitadas.

Há também a possibilidade de se fazer um curso preparatório para o vestibular, ganhando tempo para a decisão da profissão e facilitando o ingresso em faculdades públicas, normalmente mais concorridas.

Pronto. Após um tempo de esforço e dedicação aos estudos, finalmente chegou o dia do vestibular! Fique tranquilo, descanse bastante antes da prova, alimente-se bem e, acima de tudo, confie em si mesmo. Seguindo estas dicas, o resultado deve ser satisfatório.

Por Anne A. Matioli Dias


Muitos vestibulandos de primeira viagem, não sabem como aproveitar melhor o tempo destinado para o estudo.

Aqueles que estão começando a caminhada rumo à graduação, geralmente se perdem nas inúmeras matérias, aproveitando pouco o tempo de estudo. Para tudo na vida é necessário muita disciplina e perseverança. Quem deseja vencer um obstáculo, conquistar algo, precisa ser dedicado e não desistir nunca. Disciplina ajuda a qualquer um a vencer.

Ter disciplina nos estudos significa ser organizado. O estudante que almeja uma vaga em um grande centro universitário deve não só organizar as matérias e temas, mas precisa também, ter um quadro fixo de horários, precisa estabelecer metas. Sempre separe uma ou duas matérias para serem estudadas no dia, em horários pré-estabelecidos de estudos, e sempre que possível, agende um horário para fazer uma pequena revisão do que já foi estudado.

Vestibular não é “bicho de sete cabeças”, só é necessário disciplina, perseverança e organização.

Por Rodolpho Medeiros


Pronomes relativos costumam ser recorrentes nas provas de inglês dos vestibulares e, caso não sejam o tema das questões em si, costumam ser essenciais para o entendimento do texto. Como o próprio nome diz, eles servem para relacionar duas partes da oração. Na sentença, os pronomes relativos podem ser “objeto” ou “sujeito”, e para cada situação há uma peculiaridade e um pronome a ser utilizado.

Os relativos Who e Whom trazem um tom de identidade à palavra antecedente, que deve ser uma pessoa ou um personagem (animal, desenho, etc) com nome. Whom é utilizado de maneira mais formal e normalmente se relaciona a um observador (por exemplo: The man whom i saw at the park).

Quando os pronomes relativos exercem a função de objetos do verbo, eles podem ser omitidos, mas caso sejam o sujeito (por exemplo: Who is he?) não deve haver omissão. Toda vez que o relativo for seguido por um verbo, ele funciona como sujeito, caso o contrário, ele é o objeto.

That e Which são pronomes que servem para coisas e animais sem identidade. When se relaciona ao tempo (por exemplo: Remember me when i’m gone); Where a lugares (exemplo: Where are you going?) e Whose pode ser traduzido por “cujo”.

O pronome mais complicado de utilizar é o What, pois ele pode funcionar tanto como objeto, como sujeito da oração. No entanto é mais comum ser o sujeito.

Por Lucas Coelho

Fonte: Só Língua Inglesa


As provas de inglês que são aplicadas nos vestibulares costumam ser bem simples. Para quem já conhece razoavelmente a língua, as questões não apresentam grandes dificuldades, especialmente as relacionadas à compreensão de texto. A facilidade da prova e o seu alto índice de gabaritagem acabam resultando em uma grande vantagem para alguns em relação a quem não conhece o idioma.

Portanto, o necessário para quem não sabe falar inglês não é aprendê-lo, mas sim entender como as provas funcionam e estudá-las. Assim, o candidato fica sabendo como fazer os testes, sem necessariamente dominar a língua.

Um exemplo prático é a prova da VUNESP, que é aplicada para a UNESP (Universidade Estadual de São Paulo), além de algumas outras faculdades no interior do Estado.

A prova de inglês da VUNESP normalmente apresenta um texto e questões de dois tipos: compreensão e vocabulário. Os testes relacionados ao vocabulário frequentemente trazem conjunções e pedem na resposta algum sinônimo, em inglês ou português, ou a ideia que a conjunção traz. Por exemplo: Indeed, my battery was running low (“Na verdade, minha bateria estava se esgotando”). O termo “Indeed” significa “Na verdade” e traz uma ideia de ênfase à frase.

O site InfoEscola apresenta uma lista de conjunções traduzidas e suas respectivas aplicações.

Por Lucas Coelho


Se você ainda não conquistou sua vaga no vestibular, saiba que muitas universidades oferecem oportunidades no vestibular de inverno. Ele também é uma alternativa para você treinar para as provas do final do ano. As provas já estão próximas. Confira as dicas a seguir:

A primeira dica é resolver questões dos vestibulares anteriores das instituições de ensino para as quais deseja se candidatar. Desse modo, você pode avaliar o seu desempenho e treinar o tempo de resolução das questões.

Participe dos simulados que a sua escola ou curso preparatório oferece. Assim, você também pode se preparar psicologicamente e não ficará ansioso no dia da prova.

Faça uma lista dos assuntos nos quais você tem mais dúvida e esclareça com os professores. Mantenha-se atualizado. Consulte os jornais, revistas e sites da internet para revisar os principais acontecimentos da atualidade, principalmente os dos meses de abril e maio. Eles podem ser abordados nas questões e, inclusive, na redação.

Programe os seus estudos. Faça um plano para estudar até dois dias antes do exame. Nesse planejamento, inclua sábados e domingos. Você terá pouco tempo para revisar os assuntos. Portanto, dedique-se.

Por Melisse V.


Se você tem escolaridade de nível médio (cursando ou concluído) e tem interesse em continuar os estudos, confira as dicas a seguir para conhecer quais são os tipos de cursos de nível superior e escolher o seu.

O curso de nível superior tradicional envolve licenciatura e bacharelado. Enquanto que na primeira, os alunos aprendem técnicas destinadas à pesquisa e ao ensino; no segundo, a orientação é voltada para o mercado de trabalho. A modalidade tradicional é uma graduação, oferece diploma e dura, no mínimo, quatro anos.

As graduações tecnológicas ou cursos de tecnologia têm, em geral, duração de até três anos. Essa opção mais compacta é uma alternativa para quem tem interesse em obter um diploma com validade nacional em menos tempo.

A modalidade de curso superior – educação à distância, se oferecida por uma instituição de ensino reconhecida pelo MEC, terá a mesma validade de um curso presencial. Desse modo, os estudantes obterão diplomas ou certificados ao final do curso. Essa é uma opção para pessoas com uma rotina mais ocupada, o que torna difícil o acompanhamento das aulas diariamente.

Por sua vez, os cursos seqüenciais, embora sejam de nível superior, não é graduação. Há dois tipos: 1) De Complementação de Estudos: oferece certificado e não diploma; não requer autorização prévia do MEC e não precisam ser reconhecidos. 2) De Formação Específica: oferta diploma e devem ser autorizados e reconhecidos pelo MEC.

Por Melisse V.


Além de dominar os assuntos cobrados nas provas de vestibular, o candidato deve cuidar do seu bem-estar. Uma alimentação saudável permite que o seu organismo esteja disposto a realizar as atividades necessárias na sua preparação.

Na fase pré-vestibular, durante o ano, alimente-se bem. Faça todas as três principais refeições e lanches leves intercalados. Busque comer de maneira equilibrada, isso irá melhorar o seu rendimento nos estudos, além de aumentar a sua imunidade e melhorar o sono.

A recomendação é comer frutas, verduras, legumes, peixe, linhaça e castanha do Pará. Esses alimentos contribuem para o fortalecimento das funções do cérebro.

Lembre-se de beber água, de 1,5 a 2 litros por dia, para ficar hidratado.

Não exagere! Ficar em jejum pode gerar mal-estar, pois seu cérebro não terá os nutrientes necessários.

Evite comidas gordurosas e pesadas. Este tipo de alimento pode causar sonolência e má digestão.

Energéticos, café e outras bebidas com cafeína aumentam a ansiedade dos estudantes. Prefira dormir bem a ficar acordado estudando durante toda a madrugada.

Na véspera do dia da prova, evite lanchonetes para não correr o risco de passar mal durante a prova. Leve alimentos para repor suas energias, como chocolate, água, barra de cereal e água de coco em caixinha.

Por Melisse V.


Para obter aprovação no vestibular é preciso ter domínio do conteúdo cobrado nas provas, fazer simulados e cuidar da saúde. Veja algumas dicas de como se preparar e conquistar um bom desempenho nas provas.

A primeira recomendação é elaborar uma programação de estudos. Se o candidato cursa o ensino médio ou curso preparatório, ele deve prestar bastante atenção nas aulas do dia e nas dicas dos professores. Em casa, realize os exercícios e faça a revisão dos assuntos abordados. Desse modo, você pratica as disciplinas e consolida o aprendizado.

Participe também dos simulados realizados pela sua escola, responda a questões de vestibulares anteriores e faça o vestibular como treineiro, por experiência. Assim, você pode avaliar o seu desempenho.

Outra orientação é realizar uma redação a cada semana, no mínimo. Mantenha-se atualizado: leia as notícias em jornais, revistas ou na internet. Dessa forma, você escreverá a redação com domínio. Além disso, você fica preparado para o ENEM.

Cuide também da sua saúde. Estudar uma madrugada inteira não é produtivo. Seu organismo precisa relaxar. Estabeleça um horário na sua rotina para fazer exercícios físicos e um dia na semana para o lazer e para o descanso. Isso permitirá que seu corpo fique bem para a próxima semana de atividades.

Por Melisse V.


Ficar ansioso com as provas do vestibular e preocupado com o início da vida acadêmica é normal para quem se prepara para esses exames. Desse modo, além de estudar os assuntos cobrados, os candidatos devem saber como controlar a ansiedade para garantir um bom desempenho. Confira algumas dicas a seguir.

O apoio dos pais e familiares é fundamental. Se você já tem esse suporte em casa, aproveite para conversar sobre seus receios e dúvidas. Caso não tenha, você precisa conversar tranquilamente com seus pais e explicar-lhes que a pressão não ajuda e até pode prejudicar o seu resultado. Eles devem saber que o seu foco deve ser nos estudos. O estresse apenas atrapalha a sua concentração.

Outra dica é realizar um exercício de respiração que auxilia a aliviar a tensão, principalmente nas vésperas e no dia da prova. Siga a orientação: feche os olhos e inspire até encher o abdome. Depois pare e, aos poucos, expire soltando o ar pela boca até o abdome ficar vazio.

Respirar profundamente eliminará o excesso de ansiedade que você naturalmente sente. É recomendável fazer esse exercício todos os dias, uma vez em cada turno. Além disso, você pode dar uma pausa nos estudos a cada hora. Dessa maneira, você terá uma melhor concentração para a próxima hora.

Por Melisse V.


Como alguns de vocês já sabem, muitos vestibulares de Universidades Federais, Estaduais e mesmo particulares publicam listas de livros, as famosas "leituras obrigatórias". Nelas são selecionadas obras de referência da Literatura em língua portuguesa a serem cobrados nos exames. O número de livros é geralmente grande, especialmente quando levamos em conta o baixíssimo hábito de leitura do brasileiro médio.

As listas podem variar bastante, podendo ter desde 5 a até 19 livros cobrados por cada instituição.

Mesmo que existam alguns livros que sejam coincidentes entre as listas, como obras de Machado de Assis e Guimarães Rosa, se um estudante fosse prestar vestibular em todas essas instituições teria que ler mais de 50 livros! Mesmo que ele se concentrasse apenas em ler os livros sem estudar para as demais matérias, acredito que fosse uma tarefa bastante inviável para a grande maioria.

Felizmente algumas instituições como USP e Unicamp unificam sua lista de leituras obrigatórias. Além disso, a relação delas geralmente não varia muito de um ano pra outro, permitindo que os estudantes possam programar suas leituras ao longo do Ensino Médio ou mesmo permitindo aos candidatos que possam aproveitar suas leituras de um ano para o outro. Além disso, muitas vezes (dependendo do Vestibular) não é necessário ler realmente as obras, mas apenas se informar sobre alguns aspectos literários da obra, como a corrente literária em que o autor se aplica ou quais os temas principais que a obra analisa.

Em breve eu pretendo lançar uma série de posts analisando os principais aspectos de obras cobradas em exames de vestibular. Mas, por enquanto, fiquem com essas dicas.  

Por Wilson Lira


Jovens que ainda estão indecisos com relação a que carreira seguir, devem procurar setores que prometem grande crescimento e desenvolvimento futuramente.

Entre eles podemos destacar a área de Tecnologia da Informação (TI). Aqueles que gostam e tem habilidades com computadores, lançamentos tecnológicos e games podem investir nessa carreira.

Esse mercado está num momento de grande expansão e a tendência de crescimento é mundial, um setor que está diretamente ligado à tecnologia tem tudo para ser a profissão do futuro.

No Brasil existem diversas faculdades e universidades que oferecem o curso, e a procura é grande, porém devemos ressaltar que a capacitação dos jovens profissionais é importantíssima e se estende por toda a carreira.

O profissional de TI pode desenvolver projetos, trabalhar com implantação e implementação de sistemas, além disso, poderá trabalhar em diversos tipos de empresa, os segmentos que exigem profissionais de TI são muitos e variados.

Por Milena Evelyn


Quando o assunto é “vestibular” muitos jovens ainda têm dúvidas, principalmente aqueles que irão prestar pela primeira vez.

A inexperiência e a insegurança são as principais causas das notas baixas e não colocações nos vestibulares.

Para que o candidato faça uma boa prova algumas medidas e hábitos devem ser tomados. Inicialmente todos devem ter em mente que a rotina de estudos diária é fundamental, assim como a leitura que deve se tornar um hábito.

O hábito da leitura facilita muito e já começa através das obras literárias exigidas pelas universidades.

Procure assistir jornais, ler revistas e sites de notícias. Estar atento às atualidades pode favorecer muito na hora de elaborar uma redação, já que é comum a maioria das universidades utilizarem fatos recentes para elaborar o tema da redação a ser proposta no vestibular.

Leia atentamente as questões da prova, procure entendê-las, a interpretação e a compreensão de cada item é fundamental.

Lembrando que a inexperiência pode causar nervosismo aos jovens vestibulandos, portanto, procure manter a calma e a concentração para que tudo ocorra bem.

Por Milena Evelyn


Ainda não conseguiu aquela vaga tão desejada no curso de seus sonhos para o começo deste ano? Tudo bem, 2011 ainda não acabou e há tempo para você tentar o ingresso em universidades públicas e particulares de qualidade. Muitas instituições de ensino superior costumam abrir vagas em vários cursos superiores para o segundo semestre de cada ano. Com isso, há a possibilidade do curso que você deseja ser ofertado novamente na mesma ou em outra instituição. Confira abaixo a lista de algumas das principais instituições públicas e particulares que abrirão inscrições para os seus vestibulares referentes ao segundo semestre de 2011.

UFSJ (Universidade Federal de São João del Rei)

Informações e inscrições: www.ufsj.edu.br/vestibular/

Unesp (Universidade Estadual Paulista)

Informações e inscrições: http://www.vunesp.com.br

UFG (Universidade Federal de Goiás)

Informações e inscrições: www.vestibular.ufg.br/

FUMEC (Fundação Mineira de Educação e Cultura)

Informações e inscrições: http://www.fumec.br/ingressar/vestibular.php

FGV (Fundação Getúlio Vargas)

Informações e inscrições: http://www.fgv.br/vestibular/

UFPR (Universidade Federal do Paraná, Campus Litoral)

Informações e inscrições: http://www.nc.ufpr.br/

Fatec (Faculdade de Tecnologia)

Informações e inscrições: http://www.vestibularfatec.com.br/

UEM (Universidade Estadual de Maringá)

Informações e inscrições: http://www.cvu.uem.br/

Por Gabrielle Caroccia


Não é difícil vermos em dias de vestibular, candidatos pálidos e aparentemente apavorados.

Carregam água, doces, biscoitos, como se estivessem indo para uma noite na selva.

Calma, é só um vestibular.

O que nos distancia dos nossos anseios e sonhos é o medo.

O medo de errar, de frustrar a família e a si mesmo, faz com que vários candidatos formidáveis fiquem fora da universidade.

Matemática, química, física são mais fáceis de serem aprendidos, de que a “arte” de dominar o nosso próprio temor.

As salas dos cursinhos estão lotadas, todos querem uma “vaguinha” na universidade, mas qual deles, entre tantos, quer aprender a lidar com o seu medo, com a frustração, com a derrota?

Professores ensinam as teorias, ensinam o conteúdo, mas caberá ao candidato driblar a ansiedade e o nervosismo.

Por isso sempre digo para os vestibulandos, se não passar este ano, acalma-te, ano que vem tem mais uma maratona de provas e de possibilidades, a vida é longa e dará tempo de fazer tudo que sonha, desde que queira.

O mais importante não será o ingresso na universidade e sim aprender com estes “testes da vida”, que o importante ter sucesso em tudo o que faz e sim, ser um sonhador, que sonha acordado e que não deixa o medo e o nervosismo atrapalhar suas decisões.

Chirlei Trelha





CONTINUE NAVEGANDO: