Protocolo de Kyoto – O Que é, Objetivos, Países Envolvidos

Protocolo de Kyoto – O Que é, Objetivos, Países Envolvidos




Saiba aqui o que é, para que serve e quais os países envolvidos no Protocolo de Kyoto.

Na busca em auxiliar o meio-ambiente e a mãe natureza, as nações filiadas à ONU – Organização das Nações Unidas – resolveram elaborar o “Protocolo de Kyoto”, um tratado que visa à diminuição da emissão dos gases de efeito estufa, ao qual agride a camada de ozônio, importante mecanismo que protege aqueles que aqui vivem contra os raios ultravioletas.

O documento teve a assinatura em meados da década de 90, mais precisamente no ano de 1997, durante a realização da conferência de Paris, na cidade de Kyoto, no Japão. O acordo é uma das medidas para a redução do aquecimento global.


Tratado

O tratado diz que os países reduzirão suas emissões de gases do efeito estufa em até 5,2 por cento. Estão na mira aqueles resíduos eliminados no ar por indústrias sediadas nas grandes potências. Para a ONU, estes gases tem colaboração considerável no aquecimento global, citado anteriormente na matéria, e que causa danos climáticos consideráveis e que assola os países há décadas.

Para o cumprimento do tratado, as nações devem tomar uma série de medidas, tais como: proteção de florestas e outros locais do meio-ambiente, a otimização energética como arma na diminuição dos gases, a promoção de práticas sustentáveis em um segmento considerável da indústria, a utilização e adoção de fontes renováveis de energia, produção de tecnologia, limitação da produção de metano, entre outras medidas.

Países que “toparam a parada”

Dos 170 países que toparam esta parada, destacam-se a adoção em massa das nações da América do Sul (Argentina, BRASIL, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Venezuela, entre outros) e aqueles localizados na África, Europa e Ásia.


O único país que causou confusão foram os Estados Unidos, durante a administração Bush. Naquela oportunidade, o presidente da maior potência do mundo justificou a posição do país devido à economia. Para ele, o protocolo traria efeitos negativos. Apenas sob o governo de Obama, voltou-se a discussão dos Estados Unidos cumprirem o acordo.

Países desenvolvidos e emergentes

A ONU estabeleceu obrigatoriedade para as nações desenvolvidas e aquelas que estão na categoria de emergentes. Para os primeiros, o cumprimento das metas seria mais rigoroso, já que estes contribuíram de forma mais expressiva para a situação atual do meio ambiente, resultando no aquecimento global. Estas terão que cumprir a meta de 5,2 por cento citada no texto anteriormente.

Aos países ditos emergentes, o cumprimento da meta não seria tão rigoroso assim, apesar de que, estes tem o compromisso de adotar as medidas descritas no documento.

Prazos

As medidas ratificadas no documento passaram a ser executadas em meados de 2005. Dez anos após a aplicação das medidas, a análise é de que as medidas não surtiram efeito já que, aumentou-se a emissão dos gases em cifras acima de 15 por cento.

O protocolo ainda está em execução e deve se arrastar por mais dois anos.

Brasil

De acordo com informações obtidas no site do Ministério do Meio Ambiente, por aqui, o acordo foi ratificado no ano de 2002, sob decreto legislativo após aprovação interna do tratado. Na oportunidade o texto foi tramitado com urgência, sendo aprovado após rápida discussão nas várias instâncias da casa.

Sobre a ONU

A ONU, ou Organização das Nações Unidas, originou-se ao final da segunda guerra mundial, no ano de 1945. Atualmente possui 73 anos. Com sede em Nova York, nos EUA, esta organização reúne os países signatários, que são 193 até o momento (incluindo o Brasil). Tem como origem a promoção da paz em todo o mundo.

Para a promoção da qualidade de vida e bem-estar da população mundial, a ONU tem diversos braços, destacando-se a OMS – Organização Mundial da Saúde – bem como os conselhos de direitos humanos e conselho econômico e social. Suas decisões são relevantes aos países membros e em quase sua totalidade acatada por eles.

Por Leandrinho de Souza



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *