As dificuldades de se entrar em uma universidade pública no Brasil



  

Entrar em uma universidade pública no Brasil está se tornando cada vez mais difícil, a concorrência está cada vez maior e as pessoas cada vez mais se preparando de diferentes modos. Muitos ficam perdidos e não sabem por onde começar para poder entrar em uma universidade como a USP, por exemplo.

Confira agora uma entrevista do estudante Rafael Coelho, 20 anos, um estudante do terceiro ano de Geografia da USP, ele conta um pouco como foi sua preparação e sua experiência de ter entrado na melhor universidade do país.

Tom: Primeiramente, muito obrigado por nos conceder a entrevista, por que escolheu Geografia?

Rafael: Eu que agradeço, então, quando eu entrei no cursinho eu queria prestar Rádio e TV, mas com os debates e as aulas eu fui ficando com vontade de prestar cursos de Ciências Humanas (História, Geografia e Ciências Sociais), fiquei entre esses três um bom tempo, meio que no final da preparação escolhi Geografia, mas ainda cheio de dúvidas sobre o que fazer, somente fui descobrir que queria Geografia mesmo depois que entrei.

Tom: E como foi sua preparação, quanto tempo levou?

Rafael: Até julho eu praticamente não estudei, deixava o cursinho meio de lado, em julho que comecei a ficar mais a fim de entrar num dos três cursos e comecei a me empenhar e tudo mais, eu estudava de manhã até a noite nas férias do cursinho, quando o cursinho voltou eu tinha aula de manhã e estudava os conteúdos até a noite (parava por volta de umas 19h), no fim de semana eu não estudava, deixava pra descansar e ler as obras da Fuvest, foi assim até o final da segunda fase.

Tom: E o nervosismo na hora da prova?





Rafael: Geralmente eu não fico nervoso em provas, eu fico mais focado para fazer e esqueço o nervosismo, passei mais nervoso na hora do resultado mesmo.

Tom: O que você pretende fazer no futuro?

Rafael: Ao terminar a graduação em Geografia eu pretendo dar aulas em escolas públicas e cursinhos, além disso, tenho vontade de fazer uma pós-graduação em Geografia Humana ou outra graduação, que seria Ciências Sociais.

Tom: Para finalizar, você tem alguma dica para quem quer entrar na USP, assim como você?

Rafael: Faça um cursinho, estude, dedique-se, é só um ou dois anos se esforçando para conseguir, é só ter força de vontade. E dá uma relaxada às vezes, porque a pressão é muito grande. E também presta o que gosta e não o que os outros querem que você faça, fazer o que gosta é o melhor.

Tom: Muito obrigado Rafael e boa sorte!

Por Tom Freitas



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *