Educadores – Problemas no processo educacional



  

Ouvimos, e até lemos, quase todos os dias, matérias jornalísticas que põe em xeque o caráter do educador. É como aparecer nessas matérias algumas dicas para educar bem os alunos, dicas que não são dadas a Engenheiros mostrando como construir um prédio melhor, nem para um Médico mostrando como não matar o paciente dando um remédio errado. Não podemos negar que essas matérias mostram a verdade – verdade exagerada e sensacionalista.

Lendo os relatos sobre a experiência com a escrita, é possível observar isso também. A culpa dos alunos não se interessarem por escrever recai sempre no Professor. Aqui não estou redimindo o educador de todos os seus pecados, pois sei que há muitos que são realmente ruins.

Entretanto é necessário perceber que a incapacidade do Professor em dar uma aula boa não vem apenas de seu caráter como individuo, mas de inúmeros fatores, como por exemplo: a falta de estrutura da escola, a formação acadêmica, se os alunos conseguem ler e escrever e etc.

Como estudante de Letras e uma futura Professora, decidi discorrer sobre a formação acadêmica dos educadores.

Sabemos que enquanto Professores de Letras, devemos dar aulas de todas as matérias que englobam a disciplina de Português. Mas será que estamos preparados para dar aula de todas essas matérias? Será que a faculdade nos dá bagagem para isso? No caso da disciplina de gramática, sabemos que não.





Como um estudante de Letras pode sair da faculdade sem entender gramática? Sendo que provavelmente ele entrou na universidade sem saber, porque o Professor do ensino médio também não sabia e assim não conseguiu explicar direito?

É um círculo vicioso que torna as aulas de gramática mais difíceis e chatas. Porque quando um aluno disser que Português é complicado, não teremos como rebater, já que nós mesmos não sabemos, por exemplo, classificar uma oração subordinada.

E essa oração subordinada é tão importante na formação do aluno enquanto cidadão? Não, mas precisamos entender a necessidade delas na sala de aula, de compreender que o aluno deve sair da escola sabendo o que é uma oração subordinada, assim como deve sair sabendo fazer o calculo de nox e ox.

Faz-se necessário discutir o que devemos ensinar aos estudantes de Letras que decidem ser Professores, em vez de discutir o dom e a vocação do ser humano para ser Professor.

Por Marina Lara



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *